Out 19 2010

Cortar despesas

Publicado por as 19:00 em A minha cidade,Geral

E não se podia emagrecer este organismo, que conta com cerca de 30 estruturas directivas, todas de alto nível?

Share

51 Resposta a “Cortar despesas”

  1. AVLISESTE diz:

    Atendendo a este número de altas patentes, oficiais generais e respectivos sub alternos, a EDIA é um grande “exército”.
    Quantos “soldados” têm ? certamente muitos, que dão para formar vários batalhões! Partiu-se do princípio de que Alqueva era o maior lago artificial da Europa e então tinha de ser grande em tudo, não importava como e a que custo.
    Tem sido um regabofe completo (foi preciso pagar favores e arranjar tachos para os amigos, compadres e afilhados) Fartai vilanagem….. que o dinheiro logo aparece!
    Como agora já não há “guito” e é preciso encolher / reduzir a estrutura, como é obvio e lamentávelmente, irá ser dispensado grande número dos ” soldados”: “Os oficiais”, habituados a estar sempre à mangedoura do poder e comprometidos com o “desgoverno”, espreitarão estratégicamente a altura ideal para dar o “salto” e poderem “aboletar-se”
    noutro qualquer exército que lhes dê guarida!
    Infelizmente, todos os governos precisam destas obras faraonicas para “agasalhar” os seus friorentos e famintos eleitores.
    Cá estamos para ver o que vai acontecer quando o aeroporto de Beja fôr inaugurado: Certamente, muitos dos “inuteis” que hoje preenchem os gabinetes da Edia, vão ser transferidos para lá. Recorde-se que está em constituição ou já foi mesmo constituida a empresa de Águas do Alentejo SA, cujo objectivo principal se sobrepôe ou poderá colidir com a Edia.
    Dá sempre jeito …… transferem-se uns quantos (os da cor) da Edia para as Aguas do Alentejo e “evita-se” o desemprego de uns quantos boy,s.

  2. C Gomes diz:

    … e se for preciso a EDIA comete uns erros (se já não foram cometidos) para se justificar a ocupação do espaço pela nova empresa.
    É óbvio que quem cometer os erros mais estratégicos tem o futuro garantido.

  3. Regina diz:

    Bem, se multiplicarmos este exemplo pelos 1400 Institutos Públicos, podemos ter uma vaga ideia da nobreza que pelo nosso País grassa…

  4. tigre alentejano diz:

    Todos amigos, uma familia…. assim se destroi o Estado.

  5. zig diz:

    Poder, podia, mas não seria a mesma coisa…

  6. Anti-Maldizentes diz:

    Ainda acham que o desemprego está baixo. Ainda querem despedir mais gente? A EDIA é uma das poucas empresas do pais que tem demonstrado um grande trabalho! Para o trabalho que têm tido, ainda necessitavam de ter lá muito mais pessoal. Sei que se não se brinca, trabalha-se! Deixem-se de dizer mal de quem não conhecem!

  7. Regina diz:

    Pois claro Anti-Maldizentes, o ideal era todos nós termos doutoramentos, sermos directores de serviços públicos, reformarmo-nos no topo de carreira, termos um subsidio de renda como os Juízes, um subsidio de reintegração como os deputados, etc, etc… Ao fim ao cabo, somos todos portugueses e com os mesmos direitos! Empregos assim, todos queremos sim senhor, venham eles!!

  8. Rato dos Pomares diz:

    Ao que acresce a procissão de viaturas em que se deslocam funcionários (em algumas, não poucas, funcionário) que todos os dias fazem o percurso Évora-Beja, Cuba-Beja, Beja-Beja e vice versa. Onde eu trabalho, também se trabalha, mas cada um vai no seu carro, não temos um principesco seguro de saúde para o próprio e família e, em carreiras equiparadas, ganha-se substancialmente menos. Enfim! Arábias. Vamos lá a ver o PPC vai fazer em relação a esta erupção de luxo asiático na planura do Baixo Alentejo, quando em Julho ganhar as eleições e, claro, o Post do Praça a denunciar a situação, se nada se alterar, claro.

  9. AVLISESTE diz:

    Para Anti-Maldizentes:
    Demonstrado um grande tabalho? Em quê? Não me digam que agora tambem querem ser responsáveis pelos milhões de água armazenada? Expropriações, canais, estradas, barragens e barragecas ?. Certamente não será do seu tempo, por isso lhe digo: O Dr. António de Oliveira Salazar, mandou construir a Barragem de Cabora Bassa, sem nunca ter posto os pés em Moçambique e com um quadro de pessoal, infinitamente menor. Com tantos directores, o Dr. Salazar, teria posto o Rio Tejo a passar pelo Alqueva e gastando menos dinheiro. Assim não admira não haver dinheiro: Se estes senhores estivessem a gerir o Deserto do Saara, rápidamente, teriam de importar areia!
    Bom a obra está feita, vamos lá a ver a quem ela aproveita e serve: Para já, quem está a tirar partido dela e em grande parte são os espanhois, porque para nós portugueses, atendendo ao preço da agua e a condicionantes várias pode vir a tornar-se num mega ELEFANTE (aliás já o é em termos de quadros).
    A nossa agricultura está de rastos e com a sobrevivência altamente comprometida, pelo que será muito dificil aproveitar a mais valia do Alqueva. Os agricultores espanhois tem incentivos para investir em Portugal (olivais, vinhas, etc), enquanto os portugueses “recebem” incentivos para desinvestir (taxas de juro, impostos, ecologistas, verdes, burocracias etc. etc.).
    Não creio que Alqueva possa servir muito mais para alem de reserva estratégica de água (bem precioso num futuro próximo), turismo e lazer, porque para a agricultura (horto fruticolas etc), isso foi chão que já deu uvas, na medida em que os produtos vindos de Espanha, chegam cá a preços altamente convidativos (basta ir a um hipermercado e confirmar) os quais são impossiveis de praticar pelos nossos agricultores.
    Voltando à EDIA e quanto à necessidade de ter lá muito mais pessoal, é preciso saber para quê e com que finalidade e em que sectores, ou será só para dar guarida a mais uns quantos afilhados que ficaram de fora e já começam a “rabear” por lhes tardar a merenda ?
    Não se diz mal de quem não conhecemos, só que os factos estão à vista: Só um organismo estatal se pode dar ao luxo (que o contribuinte paga) de ter tantos cordenadores, directores, etc. etc., com todas as mordomias que isso implica.

  10. Chica Zabumba diz:

    É pena o Sr.Rato dos Pomares não estar informado, que quem criou a actual estrutura da EDIA foi um presidente PSD, por isso se sestá esperançado em grandes mudanças a este nível, tire o cavalinho da chuva, porque não vai ser o PPC a fazê-lo, terá que esperar pelo camarada Jerónimo ou Louçã, porque com os da alternância habitual o (desgoverno) continuará igual ou quiça, consiga piorar…

  11. Ricardo Santos Silva diz:

    A INVEJA,

    A “INVEJA”, é realmente um dos maiores problemas do nosso país, já perfeitamente identificado por Fernado Pessoa.
    É lamentável que em vez de se procurarem soluções, se promova a intriga e a inveja, e que se fale de forma irresponsável do que não se sabe. vivemos no País dos treinadores de Bancada, em que se abre a boca e qualquer um diz os disparates que lhe apetece, é por isso que o País está como está!

    Vamos aos factos, que seria de Beja e do Alentejo sem o Empreendimento de Fins múltiplos de Alqueva, será que o mesmo não tem servido o interesse de todos, nas multiplas relações que gera ( não ganha a restauração?, a Hotelaria, as pequenas empresas de fornecimento de serviços,…???)

    Alguém tem a noção da dimensão e oportunidades geradas a partir da obra que se está a fazer, e que o facto da antecipar implica uma muito maior sobrecarga humana, também aqui era importante comparar o número de pessoas afectas ao mesmo em função da dimensão, investimento e implicações dete, com outros projectos do País e da Europa. Também aqui o cumprimento dos objectivos não proporcionou prémios a ninguem, e muitos dos quadros superiores ganham mais mal do que muitos quadros com competências iguais em muitas autarquias.

    Se a EDIA fechar, parece que muitos até ficam satisfeitos, orgulhosos, esquecendo-se que porventura, que é através do trabalho da EDIA, que se pode garantir que a região melhor aproveite oportunidades de sair da situação em que está (Também aqui era importante que se lessem as noticias que falam dos esforços em marcha neste sentido, ou que se contactasse a empresa para o efeito, e são muitos, esses ninguém os refere! porquê??)
    Niguém mede as consequências se a EDIA “fechar”, como defendeu o Dr. Marques Mendes do PSD, na débil economia de Beja e do Alentejo, e desta forma ficar-se a geito para que sem empresas, e sem pessoas todos vejam as suas vidas aqui mais dificultadas e ameaçadas. não perderemos todos??

    Mas a inveja e a cegueira é tal, que temos é de dizer mal de tudo e todos, soluções zero.
    Por este caminho meus amigos, não vamos lá. Só lá vamos com trabalho, e não é o de lingua, foi assim com a Alemanha, com o Japão,… Será que temos de bater mais no fundo para perceber??

    Vamos mas é “trabalhar” e aproveitar as novas oportunidades que o Projecto do Alqueva nos proporciona!

    E quem faça comentários que os faça com responsabilidade no que diz, apresentando soluções construtivas|

  12. guga diz:

    CAMBADA DE CHULOS!!!

  13. soldado da pátria diz:

    mudem mas é de atitudes e deixem-se de alternar actores todos da mesma escola

  14. Rato dos Pomares diz:

    Exma Senhora Dona Chica
    Com o devido respeito permita-me que lhe diga que o meu comentário está carregado de cepticismo e reserva relativamente a mudanças e/ou a postura crítica, a seu tempo, por parte do blogger face à ausência destas! Lê-se nas entrelinhas, repare bem . . . está lá! Sem prejuízo, o tal “Presidente do PSD” que refere e que criou(?) a referida estrutura não foi seguramente o Dr. Pedro Passos Coelho (por quem nutro especial simpatia e em quem deposito inequívocas esperanças quando chegar a altura de ser diferente, a seu tempo, também). Além disso o contexto económico nacional e funcional, de uma estrutura em fase de implantação, à qual se impunha um desempenho arrojado, era outro, então.
    Portanto, digo, repito, insisto e mantenho, o estado alienado (leia-se: Descontextualizado face ao território em que se insere e do contexto económico nacional, ambos de facies marcadadamente deprimido) em que o Reino Arábico da EDIA vive e ostensivamente se exibe, é escandaloso.

  15. Rato dos Pomares diz:

    Sr. Ricardo Santos Silva.

    copy paste (sem autorização do autor)

    “3. No âmbito da Barragem do Alqueva há 2 Entidades:

    a) a EDIA (190/200 Funcionários) que tratou da construção da Barragem do Alqueva; e a
    b) GESTALQUEVA (trata do Fomento do Turismo na Zona do Grande Lago)
    c) Não há razão nenhuma para esta duplicação de organismos:

    Primeiro: EXTINGUIR A GESTALQUEVA, colocar as competências na EDIA ou concessionar a privados (fomento do turismo);
    Segundo: EMAGRECER A EDIA (já acabou a construção da barragem).”

    Ainda não ouvi ninguém defender a extinção da EDIA ou diminuir a importância do trabalho da equipa que deu forma e vigor ao EFMA. Mas acredite que quando passam, nos termos em que antes descrevi, ocorre-me o comentário de “guga”.

  16. Ratinhos do Campo diz:

    Viva Portugal, viva os Portugueses, Viva a EDIA e todo o projecto do EFMA.
    “Em casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão.”
    “De bom vinho, bom vinagre.”
    “Rebeubeu pardais ao ninho”
    “A terra a quem a rega…..”
    e para findar
    “Chuva em Novembro, Natal em Dezembro”

  17. Ricardo Santos Silva diz:

    Clarificação

    Em relação ao comentário que foi feito à minha esposição o mesmo só me vem dar razão:

    1º Sendo do PSD, anda muito mal informado, pelo que deixo o link onde MArques Mendes do PSD defende o encerramento da EDIA, o que se se tiver o PSD no poder já se antevê com o que se pode contar;

    link:
    http://diario.iol.pt/politica/despesa-cortes-marques-mendes-gorduras-tvi24/1197258-4072.html
    (fica dísponivel para que todos poissam ouvir o video e comprovar quem fala verdade!)

    2º Quer ele, quer o senhor e muita gente revelam uma enorme ignorância, pois a Barragem é apenas uma das componentes do EFMA, sendo que ao nível do regadio ainda faltam construir cerca de 50% das infra-estruturas (canais de rega), num esforço nunca visto em Portugal de antecipação de obra e com as mesmas pessoas.

    Por isso mantenho tudo o que referi

  18. Ze da Moca diz:

    Sito “”…..Segundo: EMAGRECER A EDIA (já acabou a construção da barragem)……””
    A EDIA não é só Barragem!!!!!!!

    Sito “são os espanhois, porque para nós portugueses, atendendo ao preço da agua e a condicionantes várias….”
    Mas os Espanhois regam com água de alqueva!!!!!

    Sito “…..Ainda não ouvi ninguém defender a extinção da EDIA ou diminuir a importância do trabalho da equipa que deu forma e vigor ao EFMA…”
    Mas o EFMA ainda não está pronto!!!!!!!!!!

    Sito “….Bom a obra está feita,.. ”
    A EDIA não é só Obras!!!!!!!

    Ó que pena não é, não sabiam pois não!!!!!!!
    Sito “CAMBADA DE …….” ignorastes.

  19. Rato dos Pomares diz:

    Clarificação

    1º Eu não sou do PSD. Simpatizo com o líder

    2º Ainda nem acedi ao link e já lhe estou a pedir desculpa.

    3º Não defendo a extinção da EDIA (muito pelo contrário), portanto, mantenho tudo o que disse e

    4º Peço desculpa ao Praça por ter aqui trazido uma informação errada.

    Viva e EDIA e o projecto EFMA, viva a contenção . . . na EDIA também. Viva o Natal

  20. Anti-Maldizentes diz:

    Dona AVLISESTE, sabe lá a senhora se é ou não do meu tempo! Além do mais, deve ter grande coisa que ver com isso. Viva os ratinhos do campo, viva a EDIA! E deixe de ser hipócrita. Instrua-se, cultive-se também noutros assuntos!

  21. Helena Lemos diz:

    Antes de mais gostava de salientar que não me escondo atrás de nomes falsos, pseudónimos ou nick’s.
    Conheço bem a EDIA e o trabalho por ela realizado e considero que o grande problema do nosso país é que fazemos questão de “nivelar por baixo”. O problema real não é o dos previlégios da EDIA ou dos seus funcionários, mas sim o facto da empresa se localizar numa zona pobre e de se destacar por isso. A estrutura da EDIA, atendendo à amplitude de áreas de intervenção até nem é nenhum exagero, quando comparada com uma Camara Municipal ou uma delegação regional da Segurança Social, só para mencionar alguns exemplos.
    Deve-se salientar que a EDIA mudou a face do Alentejo para muito melhor e que no que diz respeito à situação actual da agricultura nenhuma responsabilidade tem, excluindo talvez a de ter criado condições para que se faça agricultura a sério. Criou emprego e poderá criar muito mais, ainda que de forma indirecta.
    Esta empresa não é diferente de outras tidas como de referência, tem gente incompetente, mas terá certamente mais competentes ou não teria conseguido fazer o que fez até agora. Tem apostado em áreas que não existem no Sul do país, colaborado com Universidades e empresas e tem feito mexer uma economia anémica como a do Alentejo.
    A EDIA certamente terá que apertar o cinto, tal como se terão que o fazer os restantes organismos, mas tenham consciência que a construção da Barragem exigiu um esforço mínimo quando comparado com o que ainda falta fazer.

    Bem hajam

  22. João Espinho diz:

    @anti-maldizentes – cuidado com os excessos de linguagem. Para a próxima…!

  23. AVLISESTE diz:

    Eh pá ….. tanta gente incomodada!
    Não é para admirar…….. estão a comer à conta e não gostam que se lhes toque no “farnel”! (que ameaça acabar em breve).
    Tem sido e continuará a ser uma mina. (Infelizmente; o Zé é que paga!).
    Cuidado ratinhos do campo porque vocês não sabem nadar e podem afogar-se!
    Cautela e caldos de galinha, nunca fizeram mal a doentes!

  24. Anónimo diz:

    Muita gente ficou incomodada com este post que apenas diz aquilo que toda a gente comenta cá pela cidade. Toda a gente conhece as mordomias exageradas dos funcionários da casa pagas por todos nós e a forma como muitos (mesmo muitos!) meninos/as-família são ali colocados por compadrios, cunhas, … Dir-me-ão que não é só ali. Claro que não. Mas também o é e, num meio pequeno, tudo se sabe … Há trabalho feito? Há obra feita? Claro que sim! Mal feito fora que não houvesse! Mas a grande questão é: não teria sido possível fazer mais e melhor com menos gente, menos custos muitos dos quais puro esbanjamento de dinheiros públicos em benefício … dos do costume consoante o partido do poder?

  25. Anti-Maldizentes diz:

    Aqui não houve nenhum excesso de linguagem. Em relação à senhorita AVLISESTE, que tome trambelho e juízo e fale do que sabe…não diga disparates. Eu sou daqueles que infelizmente nem o ordenado mínimo ganha, por isso, senhorita…não diga mais asneiras!

  26. AVLISESTE diz:

    Para o Anti Maldizentes:
    Lamento profundamente que seja daqueles que nem o ordenado minimo ganha:
    Pela sua manifestação de incómodo, só posso pensar que está de acordo com a bagunça reinante:
    Interrogue-se quanto antes sobre as razões que justificam você não ganhar sequer o ordenado minimo:
    Já pensou nos desperdícios existentes numa “mina” como a EDIA, para já não falar de outras? Talvez ai esta a razão daquilo que lhe faz falta a si e a muito boa gente.
    Se eu digo disparates e asneiras…… então? estamos no bom caminho….. força ….. PRÁ FRENTEX !

  27. Ze da moca diz:

    Sito “…não teria sido possível fazer mais e melhor com menos gente, menos custos muitos dos …”

    Tenham juízo, quantos funcionários tem as Autarquias??? O que têm feito de especial, ou de diferente pergunto???

    Certamente que NADA, não se vê nada de diferente não é Anónimo!!!

    Tenham juízo, que por baixo dos Generais existe a “ralé” que trabalha com vencimentos iguais aos da função pública, sem regalias nenhumas, sem direito a fazer greve como os restantes entre outras coisas.

    Tenho pena que pensem assim (porque se o dinheiro estivesse a ir para uma auto-estrada ou uma barragem no norte ou um metro de superfície V\ não diziam nada).

    Nos 32 anos que vivo no Alentejo, não me lembro de tão grande investimento no Alentejo, nunca foi feito nada por nós, e agora que vem é só criticar.

    Ou só estão cá para criticar?????

  28. ze de beja diz:

    o que voces inventam para não falarem dos ciganos…porra!

  29. Manuel da Silva diz:

    Poder …podia…mas….!!!!!
    Este é simplesmente mais um retrato do país que somos….que criticamos, e que infelizmente não conseguimos dar a volta!!!
    Enquanto uns tiverem tantas mordomias e outros, infelizmente, pensarem que o que ganham não lhes chega para a renda da casa, mais os infantários, mais o passe e a comida….etc., etc., nunca conseguiremos produzir neste país !!!
    Atenção, não sou da esquerda….mas infelizmente e após estes anos de democracia (??????) cheguei à triste conclusão que da esquerda à direita há gente boa e honesta , mas a maior parte, sabemos bem o que são e o que querem !!!!

  30. Anónimo diz:

    Gosto mesmo de ver os pavões cá do sítio a estrebuchar quando se dizem certas verdades! Tal é a insegurança que sentem em relação aos sacrossantos direitos (acham eles) adquiridos que nem conseguem ter discernimento para disfarçar o incómodo …;)

  31. Barbas de beldroega diz:

    Bem haja a todos.

    Antes demais congratulo a todos pelas boas palavras que escreveram.

    No entanto penso que pela forma de redigiram são todos maiorzinhos e portanto a ignorância está posta de parte.

    Não está em questão e nunca esteve os benefícios que a própria EDIA trás para o Alentejo em geral e para a cidade de Beja em particular, quer toda a estrutura que surge, quer em termos turísticos quer a nível agrícola entre outros.

    Se bem se lembram, nos anos 80, houve uma série de filmes então chamados MAD MAX onde se lutava insistentemente por uma gota de água!!!!!

    Agora até os verdes metem outdoors contra a construção de baragens, ou também eles têm participação em alguma companhia de águas?? Fica para um próximo capitulo.

    A questão que se está aqui a retratar é “mais do mesmo”. Não queiram portanto tapar o sol com a peneira.
    !!!!

    O compadrio sempre esteve instituído no sector público ainda mais nas empresas de cariz publico-privado como seja a EDIA. Se se tratasse de uma empresa privada, como muitas que por cá existem, não haviam famílias inteiras a ostentar do mesmo.

    Empresa que se prese contrata serviços de qualidade, com profissionais capazes, aposta em gente com vontade de trabalhar e que podem por rumo e melhorar o futuro de todos.

    Veja-se o caso do tio Belmiro… Pode pagar mal mas emprega muita e boa gente, inclusivé gente que passou anos a estudar, sim a estudar, por conta e risco e cujo futuro não lhes reservou melhor. Não porque não queiram e não tenham vontade mas porque primeiro os primos, os cunhados, os amigos dos primos e dos cunhados e depois, só depois e depois alguém que não tenha “casta” e que por questão do acaso, nem eles sabem porquê nem como, acabou por entrar.

    Mas não fujamos novamente ao tema ……

    Não por obra do acaso, porque já todos sabemos que a geração espontânea era tema no tempo do Darwin e dos seus amigos, mas por conhecimento de causa, esta empresa alberga uma enormidade de gente ligada pelo sangue alem dos bandidos que no caso são os peixes gordos.

    Vejamos….

    Embora a ralé tenha laços de sangue, coitados, trabalham para sustentar as migas do dia-a-dia. Mesmo assim há uns quantos casais aos quais vou poupar menção, até porque estes são uns pobres coitados que desejam não ser chateados.

    A bandidagem está, como em todo o lado, no peixe graúdo. Esses é que põem e dispõem, fazem e mandam. Esses é que têm la a família toda. Não falo só da família-família mas da família dos amigos.
    Quando abrem vagas parecem os cães dos caçadores à procura do amigo que acabou a universidade à 3 ou 4 dias, ou que até nem acabou e não tem pressa de acabar porque têm la lugar garantido. É como tudo, uma questão de oportunidade até porque as vagas só abrem quando eles estão maduros.

    Estas questões acabem por ser tão irrelevantes como ridículas. Não interessa se são primos, cunhados ou amigos.

    O que de facto mete nojo é haver gentes desta que está la a trabalhar e a ganhar bem, sim porque relativamente aos preços que se praticam fora do público, ganham ordenados bastante razoáveis, têm um diploma emuldorado, são tratados por DR. ou Eng.º, mas que infelizmente não sabem quanto é um hectar, ou fazer uma simples regra de três simples.

    Isto sim é deplorável………………..

  32. AVLISESTE diz:

    AH….. Grande Barbas de Beldroega!
    Assim mesmo é que é…….. só falta chamar os bois (não é boys) pelos nomes!
    Se alguns destes “tristes” tivessem vergonha ……. fugiam para bem longe!
    Toda esta série de opiniões, sobre o EDIA e seus quadros, tem causado grande celeuma e polémica: Ainda bem e como
    dizia o sr. Dr. Mário Soares, TEMOS DIREITO À INDIGNAÇÂO ! (atenção não sou soarista).

  33. El Juanito diz:

    @Barbas de beldroega
    Ora nem mais!
    Agora é que a verdade foi dita.
    Soube de alguns casos desses na EDIA.
    É claro que não os vou aqui referir, até porque já nem me lembro de nomes.
    Mas o que o Barbas de beldroega aqui disse, confirmo.

  34. Bocana diz:

    Estou à procura de emprego… Trabalho não, que a minha mãesinha é doente…
    Aconselham-me a mandar o curriculum para lá???

  35. Ze da moca diz:

    Ó bocana queres melhor emprego que o RSI????
    Com sorte ainda arranjas uns biscates por fora como infelizmente vai sendo normal acontecer!!!!

    E a função pública (e a ralé da EDIA e de todas as outras empresas públicas) que pague a crise não é???

    Tristeza!!!!!

    PS: Barbas de beldroega tocaste na ferida que ninguém até agora quis ver.

  36. Ruka diz:

    Depois de tudo o que foi dito… que mais se pode dizer?

    Enquanto a EDIA era uma entidade que empregava pessoas da terra, fossem amigo, cunhados, etc. , ninguém mencionava o que lá se passava. A EDIA não é uma empresa nova, já existe há bastante tempo… porque é que só agora se fala!!! Na EDIA também se vão fazer sentir as medidas do Governo, ou julgam que a EDIA está acima de alguma instituição do estado ou com participação do estado???

    Fala-se porque entretanto surgiu outra entidade em Beja com o peso e capacidade empregadora semelhante à EDIA, e da mesma maneira selecciona a sua equipa baseada nos mesmos pressupostos… mas isto deve “melindrar” algumas das pessoas que aqui falam. Será porque agora chegou a vez da sua família????

    Convenhamos meus caros… quantas famílias/amigos trabalham na Câmara Municipal, nas Juntas de Freguesia, na ACOS e em todas as instituições deste país (ou a selecção e os concursos aí são transparentes e justos).

    Deixemo-nos de hipocrisia e vamos mas é arregaçar as mangas e ajudar a construir um país melhor. Não tenhamos medo de vencer e ser os melhores, nós somos bons e temos grandes capacidades de construir um país sólido e com estruturas bem firmadas. Apenas precisamos de deixar de falar mal dos outros e queixarmo-nos de tudo, queixamo-nos do que temos e do que não temos, basta de fazer o papel de coitadinhos e passar à acção.

  37. Praça da República » Uma janela de oportunidade diz:

    […] sabe-se lá com que métodos, excercer represálias. Depois das centenas de visitas ao “Cortar despesas“, na EDIA passou a imperar a lei da cegueira. Qualquer dia fazem como noutro organismo […]

  38. AVLISESTE diz:

    Viva a discussão: assim vamos sabendo + algumas coisas (que chatice) !
    É preciso denunciar, pode ser que assim, estes “mandantes” tomem alguma vergonha e comecem a ser mais comedidos nas suas aspirações e olhem para o país real. O que se passa na EDIA e vai seguramente passar-se nas AGUAS DO ALENTEJO é o maior e mais fiel exemplo daquilo que se passa nas parcerias Publico-privadas, lamentávelmente!
    Na nossa região, felizmente, temos outro grande empreendimento, a SOMINCOR, que felizmente já labora há quase trinta anos e nunca constou que servisse de guarida a ninguem: Lá trabalha-se! Deviam seguir-lhe o exemplo.

  39. Barbas de beldroega diz:

    Ora boas noites a todos novamente.

    Ao que parece, pela opinião de alguns, parece que ficam melindrados com as verdades mas as verdades em muitos casos doem e muito….!!!!!!

    Em momento algum referi que na EDIA não há bons profissionais. Há bons e muito bons profissionais e tem de haver!!!! Caso contrário não podem lá estar os que nada fazem ou são maus profissionais. Uns têm de trabalhar para compensar o óssio dos outros!!!!!

    É a velha história da MÉDIA. Vão 3 almoçar frangos mas há um alarve que come 2. A média é um frango por cada um. Se é que sabem fazer contas, claro!!!!!

    Quem anda atento aos noticiários percebe que neste pequeno país há grandes e bons profissionais. Estamos espalhados um pouco por todo o mundo e já somos uma referência. Existem já algumas dezenas de empresas portuguesas ou com empregados portugueses, muitos deles chefias, espalhadas por todo o mundo, que desenvolvem as suas actividades e são reconhecidas por isso e ainda bem. Pelo menos desmistifica o estigma que nos rodeia quando dizem que temos sangue latino, ou que somos alentejanos!!!!

    Quanto ao estarmos sempre a queixar, é verdade, nunca estamos satisfeitos. Ou porque é, ou porque não é!!!

    No entanto que eu saiba, o quadro de austeridade recentemente implementado, ainda não faz com que vivemos num regime ditatorial. Somos uma democracia para podermos expressar as nossas ideias, ou será que não???!!!!!

    Secalhar não pois, se repararem até para escrevermos num simples blog temos de arranjar nicknames para não sofrermos as represálias que podemos vir a ter apenas por pensarmos à nossa maneira.

    Não querendo estar a ser repetitivo é claro que temos de ser bons naquilo que fazemos. E temos de ser cada vez mais e mais e mais…. temos de arregaçar as mangas, remar contra a maré e lutar por um país melhor. Só assim isto anda

    A questão é o parasitismos, o oportunismo, a falta de carácter, a falta de vergonha que anda por aí. Já repararam que são sempre os mesmos a pagar pelo despojo de outros.

    Ainda agora vi passar ao pé de casa um carro da câmara. Se repararem são 22h e 15min. O horário de serviço da câmara é até as 17h e 30min. De certeza que não era o piquet da EMAS, que esse andaria numa carrinha de serviço. Depois dizem que as câmaras têm uma taxa de endividamento brutal, ora não hão-de ter…..

    Segundo os mais velhos, há uns poucos anos atrás, as pessoas tinham vergonha e eram socialmente apontadas na rua por alguma coisa que haviam feito menos bem, ou por algo que haviam feito contra o que as regras sociais ditavam.

    Quem roubava era socialmente excluído.

    Agora?????? Agora quem rouba, defrauda, desvia é o maior.

    Enquanto a sociedade não voltar a ter esse poder vai-se fazendo o que se quer…….

  40. AVLISESTE diz:

    Então?
    Ninguem comenta? A Somincor não presta ? Ou será porque lá não mandam os senhores do regime ?
    Na Somincor (felizmente) não governam os lacaios do poder, exemplo que devia ser seguido por todas as empresas que se dizem querer contribuir para a mudança do Alentejo.
    Quer o Fernando Caeiros, quer o António Saleiro, NUNCA, tentaram, e se o tentassem, não conseguiriam, impôr as suas influências na empresa, que tantas mais valias e empregos tem dado à região. Parabens a ambos e parabens às sucessivas administrações da empresa que souberam sempre executar uma gestão não permeável a compadrios.
    A maioria dos “desgovernantes” que temos não sabe o verdadeiro significado de “res publica”: COISA PUBLICA … COISA DE TODOS (Infelizmente o que é de todos …não é de ninguem!)
    A Somincor… já não é de todos: É PRIVADA e assim já dá + muito + lucro.

  41. El Juanito diz:

    “nas Juntas de Freguesia, na ACOS”
    Boa!
    Destas não sabia (também não posso saber de tudo, né?! 🙂 )
    Chutem lá mais algumas para a fogueira, isto está a ficar quentinho, o que vem mesmo a calhar com o inverno à porta! 🙂

  42. AVLISESTE diz:

    Ruka:
    Vou-me deitar…. gostei da sua “tirada”: amanhã ou 2ª Feira, comentarei o seu texto o qual não é desagradável, mas merece e dá para fazer alguns reparos.
    Belo tema este: Cortar nas despesas !
    Tanta gente a ficar incomodada……!

  43. Anónimo diz:

    Com tanto dinheiro que é esbanjado em benesses, luxos e mordomias pela EDIA é triste que ainda haja pessoas desalojadas da antiga Aldeia da Luz á espera de indemnizações que lhes foram prometidas por pequenas (ou grandes) parcelas de terreno que possuiam e das quais muitos retiravam muito daquilo que necessitavam para sobreviver como complemento das suas parcas reformas.
    É igualmente escandaloso que, por parte da EDIA, se criem mil e um entraves burocráticos à disponibilização de novos terrenos na nova Aldeia da Luz a casais jovens que são forçados a sair para outras terras. Será verdade o que por aí se comenta em círculos mais ou menos fechados que “num espaço de poucos anos” a EDIA pretende adquirir, aos seus herdeiros, as casas dos velhos re-alojados ao preço da uva mijona para transformar aquilo num aldeamento turístico?!

  44. ze da moca diz:

    Sr. @anónimo não fale daquilo que não sabe.
    Neste post tem-se dito muitas verdades, mas do Sr. pouco ou nada se aproveitou.
    Se quer falar da Aldeia da Luz fale da Autarquia de Mourão, que em termos de desenvolvimento com a Barragem e com a Nova Aldeia não aproveitou nada, á semelhança de outros Autarcas vizinhos.
    Fale do Presidente da Junta de Freguesia da Luz IDEM, IDEM “””
    Fale dos cafés e restaurantes que quando viam autocarros a chegar fechavam as portas para não terem trabalho.
    Ninguém mudou para a Aldeia Nova sem ter uma casa melhor e com um cheque na mão.
    Fale de uma população habituada a viver a encostada á EDIA e que não teve ninguém que dinamiza-se actividades que potenciassem o desenvolvimento nem que seja turístico.

    Desculpem escrever assim, mas estou farto das histórias da Aldeia da Luz, e isto, e aquilo, e coitadinhos etc e tal.

  45. Anónimo diz:

    @ze da moca,

    Os habitantes da antiga Aldeia da Luz nada pediram à EDIA ou a quem quer que fosse … Nem lhes foi feito favor nenhum ao ser-lhes atribuida “uma casa melhor e com um cheque na mão”. Melhor nalguns casos, noutros nem por isso. E “cheque na mão” entregue em pomposas cerimónias públicas … em muitos casos foi muito inferior ao que deveria.

    Reparei que não comentou “mil e um entraves burocráticos à disponibilização de novos terrenos na nova Aldeia da Luz a casais jovens” … 😉

  46. Ana diz:

    O engraçado é ver que muitos dos comentários aqui deixados foram feitos em horário de “expediente”.
    Que belo exemplo, hem?
    O tempo que utilizam aqui em insultos e afins poderia ser muito melhor aplicado, parece-me.
    Mas é o país que temos…
    Não seria melhor deixarem-se de atirar pedras aos telhados dos outros quando têm telhados de vidro, e bem fininhos, nomeadamente, nas instituições onde trabalham, por exemplo?
    Gente que não faz nada há em todo o lado e gente que faz, e muito, também.
    Os erros de gestão da EDIA não são muito diferentes dos erros cometidos em milhares de instituições do estado, por todo o país.
    Não quer dizer que os defenda, muito pelo contrário.
    Não é “bonito”, nem quer dizer que se concorde, mas acreditem que não será só a EDIA.
    Tudo depende para onde se quer olhar, não é?
    O exemplo vem de cima.
    Muita gente, e não só na EDIA, estaria disposta a deixar de ter o que tem (e pouco é em muitos casos) em nome do bem comum, mas há uma pequena elite que, essa sim, está agarradíssima às suas belas cadeiras/benefícios e nem quer sequer pensar que poderá ter de os deixar um pouco de lado… pois claro.
    Esforçaram-se “tanto” para lá chegar (tanto “saco” puxado, tanto “trabalho” de gabinete”) que seria uma maldade po-los ao nível que a maior parte deles merece, não é?
    É por essas e por outras que estamos como estamos e com o que se esta a ver, duvido que estejamos melhor nos próximos anitos…
    O país que temos apenas resulta daquilo que somos e do que fazemos.
    A culpa não será só do vizinho, a culpa de termos chegado onde estamos é um pouco de todos, mais que não seja por sermos estúpidos o suficiente em acreditar que aqueles em que votamos estarão nos postos para onde os elegemos a velar pelos nossos interesses e a dinamizar aquilo que toda a gente vê que faz falta dinamizar e melhorar e fazer…
    Que estúpidos somos!

  47. Anti-Maldizentes diz:

    Amigo Barbas de Beldroegas, de facto há que não saiba quanto é um “HECTARE”, mas também há quem não saiba escrever correctamente, ora repare: “…mas que infelizmente não sabem quanto é um hectar, ou fazer uma simples regra de três simples.” É preciso muito cuidado, o pessoal anda atento!

  48. AVLISESTE diz:

    O assunto já deu 47 ou 48 comentários: É obra !
    Infelizmente, nada de novo se apresentou, mais não foi que algum “destilar” de ódios antigos e alguma dor no cotovelo!
    Falou-se dos publicos defeitos, esquecendo talvez, as verdades ocultas.
    Ortografia….. frases bem compostas e bem amanhadas, nem por isso: É o “excelente” resultado do facilitismo que se instalou no nosso triste ensino

  49. João Espinho diz:

    @AVLISESTE – o assunto já deu para perder um leitor. Ou talvez não.
    Dá para rir:
    http://caminhante-vendedordesonhos.blogspot.com/2010/10/plano-de-estabilidade-bloguatica-1.html

  50. El Juanito diz:

    Pois é! Já vai em 49 comentários, penso que conseguiu bater o assunto do muro dos lelinhos!
    Pensei que a questão do muro não morresse tão depressa.
    Afinal, Bruxelas também não quer saber dos nossos lelinhos ou será que vai dar uma ajudinha na reconstrução do mesmo?!

  51. Praça da República » E não sou eu que o digo diz:

    […] que eu disse foi “Cortar despesas“. […]

Deixe Uma Resposta