Set 22 2010

Não serve de desculpa

Publicado por as 7:56 em A minha cidade

Jorge Pulido Valente diz que “a CDU pressiona os funcionários da Câmara de Beja que militam no partido (PCP) para criarem dificuldades ao executivo“.
Não sei qual o grau de ingenuidade desta afirmação, pois JPV, quando subiu as escadarias dos Paços do Concelho para tomar posse, sabia que teria que contar com as “dificuldades” dos filhos do partido, com os obstáculos da grande empresa familiar em que se transformou, ao longo dos anos, a CMB. Os episódios têm sido vários e só com uma grande dose de ingenuidade é que se poderia esperar que a malta do PCP iria facilitar.
JPV e o executivo têm, desde o primeiro dia, todas as ferramentas para acabar com esta situação. Vir, quase um ano depois, desculpar-se com aquilo que todos sabemos, não serve, é pouco.
Depois não se admirem.

Share

30 Resposta a “Não serve de desculpa”

  1. Paulo Nascimento diz:

    JPV está a querer passar-se por coitadinho, e simultaneamente intimidar os funcionários que são militantes do PCP.

    Ainda estou para ver o que um camarada calceteiro ou colector de lixo podem fazer de mal.
    Desnivelar as pedras da calçada, em frente á porta da casa de JPV, para que ele tropece e caia com a cara no saco do lixo , “esquecido” logo ali?

    Talvez com militantes PS no lugar dos outros a coisa se resolva.

    portanto já sabem camaradas da autarquia, fica o aviso.

    Mudem o cartão do partido, ou mudam de emprego.

    ….

    Mas as câmaras municipais contratam funcionário pelo cartão ? não me digam…. talvez seja só nas comunistas, no PS ou PPD é jamais.

  2. João Espinho diz:

    @paulo – não queiras passar por ingénuo. Vai a um determinado departamento da CMB, apresenta um requerimento e vais ouvir: “Ah, isto agora é tudo muito mais demorado; nunca se sabe quando é que os documentos são despachados”. Esta é verdadeira e espero que continue gravada.

  3. carlos diz:

    O que é grave é o facto dos contribuintes pagarem funcionários autárquicos e terem funcionários partidários nos serviços. Muito tem o PCP criticado os Jobs for de Boys. mas não há como o PCP nesta prática. O PS e o PSD ainda têm muito a aprender nesta matéria.

  4. Carlos Lança diz:

    Isso das autarquias terem funcionários partidários nos serviços, infelizmente, é geral por todo o País e em todos os partidos. Logo após o término das eleições é ver os coladores de cartazes, os porta bandeiras e distribuidores de folhetos a reclamar uma fatia do bolo conquistado.

  5. Salvio diz:

    @João já te perguntaste se por acaso não será verdade a demora nos processos e autentica tormenta que é ver qualquer coisa tratada em tempo útil por este executivo. Fala com funcionários da Câmara “não comunistas” e depois diz-me. Já agora seria possivel recuperares o balanço do 1º ano de mandato que fizeste do executivo liderado por Francisco Santos.

  6. João Espinho diz:

    @SALVIO – acredito que os despachos sejam mais demorados. Com as cascas de banana que são deixadas nas escadarias, há sempre o receio de escorregar (e já houve algumas escorregadelas). Não me parece, porém, que tenha que se anunciar, de forma cínica, que os despachos e assinaturas levam agora mais tempo. Sei do que estou a falar.
    O balanço do ano de governação será, obviamente, feito aqui ou em crónica publicada. Porém, não terá nem a exaltação que alguns esperam nem as contemplações que outros desejam. Para além disso, são mandatos distintos. Este é (ou deveria ser) de ruptura e o de Chico Santos foi de continuidade, pelo que avaliação será distinta.

  7. Maria Teresa diz:

    Vai uma apostinha como amanhã temos uma noticia mais simpática para o pulido valente tirada da entrevista. É que esta teve o efeito contrário ao pretendido.

  8. MARIA DE FLORES diz:

    1º ano de mandato de JPV pode-se resumir : falta de liderança , incompetência politica , incapacidade total para gerir os 800-900 funcionários da CMB , incapacidade para ” inventarem ” receitas .

  9. Pedrada no Charco... diz:

    Um exemplo vivo num departamento junto ao edifício principal :

    Quando questionada por mim por uma exposição elaborada e sem resposta a funcionária respondeu ” agora leva mais tempo os assuntos a serem despachados por esta vereação ” é assim que se passa a mensagem, a pergunta que se coloca é ou não negativo este procedimento !

    Questionei-a de imediato se tinha provas do que estava a afirmar, ficou muito avermelhada no rosto e pediu desculpa pelo desabafo.

    Ao virar as costas e ao sair ouvi um colega citar o meu nome a identificar-me, é assim que funcionam alguns administrativos camarários, passados que são 11 meses de exercício da gestão PS !

    Nada que não fosse previsível e possível de corrigir com os instrumentos legais ao dispôr de quem gere divisões, departamentos e a autarquia.

  10. João Espinho diz:

    @maria de flores – quando diz 800-900 funcionários deve estar a contar também com os da rua da Ancha, pois os da CMB não serão assim tantos.

  11. Vitesse diz:

    Está sim Sr. Engenheiro Luis Palma? Olhe, é para lhe dizer que na passada semana estiveram uns funcionários da Junta para limparem a valeta próximo do Bairro (…) e eles disseram que aquilo tem que ser feito pela Câmara já que estão com muito lixo e não têm meios para o fazer.

    Resposta: A sério? Então mas eu pensei que isso já estivesse feito porque há uns tempos quando lá andaram a arranjar os caminhos e em trabalhos de limpeza pedi para se tratar disso???!!!

    Exiastem tantas como esta! Mas tantas!!! Ao ponto de se reparar caminho intervencionado pela EMAS e fazerem.no em 32m2 e deixarem 8m2 sem qualquer razão técnica para tal! É impressionante!!!

  12. FB diz:

    A herança comunista da gestão da CDU em Outubro de 2009 eram cerca de 660 com contratados .

    Na presente data foram reduzidos para cerca de 620 ou seja existe uma redução percentual e numérica significativa @ maria de flores.

    A diminuição da despesa pública em pessoal aqui é por demais evidente e foi feita por mera razão de competências e qualificações no desempenho.

  13. Republicano diz:

    @espinho – Que ferramentas tem o executivo perante uma situação do género como a relatada pelo senhor? Ou que ferramentas tem para por na ordem a CMB?

  14. João Espinho diz:

    @republicano – qualquer técnico da área de RH sabe isso melhor que ninguém.

  15. El Juanito diz:

    @Vitesse
    “Exiastem tantas como esta! Mas tantas!!! Ao ponto de se reparar caminho intervencionado pela EMAS e fazerem.no em 32m2 e deixarem 8m2 sem qualquer razão técnica para tal! É impressionante!!!”

    Acerca deste excerto, e porque é que não rolam cabeças?!
    Se os responsaveis pelos serviços “os tivessem no sítio” e pressionassem, para que os trabalhos se fizessem com qualidade e rapidez necessária, não estariamos como estamos em materia de incompetencia!
    Uma coisa impressionante é vêr os funcionarios da CMB em acção. Uns de cigarrinho nos dedos enquanto varrem, outros a falar ao telemovel, outros simplesmente na conversa.
    Pergunta- será que não têm obejectivos previamente defenidos para aquele dia?!
    Sugiro que se exija mais nestes serviços (e nos outros, os entre 4 paredes).

  16. El Juanito diz:

    Queria dizer- “objectivos” 🙂

  17. Sportinguista diz:

    Quem já mandou (ganha 3000) e pôs N (talves aí uns 100) funcionários da EMAS no quadro da empresa não continue a ser influente não sei.

  18. MARIA DE FLORES diz:

    E quantos funcionários têm as Empresas Municipais ?È óbvio que os vencimentos vêm do mesmo saco(CMB)

  19. Semprealerta diz:

    Depois de acompanhar a já longa polémica sobre as virtudes camarárias, sugiro que se lance tambem um debate esclarecedor, sobre os diversos institutos onde os partidos do arco governamental têm lugar garantido para esfarrapar o pobre contribuinte, sem que este ao menos os possa escorraçar em acto eleitoral.
    Exemplo: I.E.F.P. Que me conste as nomeações que ocorrem por lá obedecem a um unico critério … o mesmo que acusamos os antigos executivos camarários de utilizar!!! ser obrigatóriamente portador de um cartão de filiado rosa ou laranja… conforme os ventos de ocasião.

  20. Republicano diz:

    @Espinho – O problema é que eu concordo plenamente que tem que se começar a fazer ver aos funcionários que têm que desempenhar as suas funções com o mesmo brio de sempre e sem qualquer tipo de mensagem politica como as acima testemunhadas. Mas o que está instituido em ambas as partes é a ideia de que “é muito dificil evitar esse tipo de situações nos funcionários”. Por isso, apresentação de soluções, debate e esclarecimento exige-se neste momento, sob pena de termos que dar razão aquilo que está instituido!

  21. João Espinho diz:

    @republicano – vamos por partes:

    1 – JPV quando tomou posse sabia claramente que a clientela do PCP não lhe iria fazer vida fácil. Porém, parece-me, JPV deverá ter acreditado que “a coisa” não seria grave e que não haveria “boicotes” e entraves à sua acção. Pura ingenuidade.

    2 – Apesar das várias tentativas, o executivo não consegue passar uma mensagem que se sobreponha às reacções/mensagens do PCP. A culpa está num GIRP inexistente, entregue a amadores que de política só sabem aquilo que herdaram da era comunista. Não há executivo que sobreviva sem um Gabinete de Informação forte, actuante, profissional, que saiba antecipar determinadas situações, que saiba marcar a agenda. No anterior executivo a tarefa esteve entregue ao Rui Mateus: os resultados revelaram-se no acto eleitoral de 11 de Outubro. Emigrado de Mértola, veio para a CMB para onde levou o Partido. Lixou o Chico e o que ainda se verá.

    3 – No comunicado do PCP hoje divulgado, pode ler-se: “em reuniões do colectivo partidário, sempre a postura militante foi de apelo a um desempenho profissional que melhor sirva os interesses da comunidade, considerando-se o espírito de missão sempre a base comportamental a ter no trabalho a prestar, enquanto trabalhadores do Município”.
    Estamos todos a ver o Miguel Ramalho e Cª a dizer aos seus camaradas: “Eh pá, sejam os melhores, tenham brio, sejam profissionais, não coloquem entraves, etc.. etc…”; estamos todos a ver, não estamos?

    4 – Há muitas maneiras de “boicotar” a execução de tarefas. Não as enumero aqui. Mas elas são, certamente, conhecidas quer por quem as põe em prática quer por quem delas é vítima. Cabe ao executivo avaliar as situações e agir em conformidade, tendo porém em mente que nem sempre é o “mexilhão” o culpado, mas sim quem lhe dá cobertura ou incentiva.

    5 – Por último: já vai sendo tempo de o executivo “dar uma volta” à estrutura da CMB. E chame para o edifício principal o núcleo GIRP.

  22. Republicano diz:

    @ João Espinho – refiro-me à legalidade de como se podem tratar as coisas, aí é que é dificil e é aí que se tem que tentar perceber o que pode ou não ser feito, e é a isso que me refiro. Que instrumentos legais tem um Presidente que consiga evitar este tipo de situações?

    O que eu acho que ainda é menos passível de resolução pacifica e que temo que possa vir a acontecer (se não estiver já instaurado) é a consertação quase total e plena dos trabalhadores camarários em utilizarem este tipo de comportamentos?É que eu ainda acredito que grande parte dos funcionários são pessoas de bem e que são minimamente inteligentes para não colocarem a sua dignidade e liberdade profissional ao serviço dum partido liderado por sábios nomeados.

    Não conhecendo a sua pessoa, compreendo que possa não ter ou não queira dar uma solução legal. E chamar o GIRP ou enveredar por informalidades na resolução deste problema pode no meu entender mostrar fraqueza do executivo perante a situação e em casos mais extremos abrir uma campanha declarada do PCP e dos seus fiéis trabalhadores “de perseguição dos trabalhadores e militantes do PCP na autarquia”.

    Mas também espero que os senhores do PCP pensem numa coisa, ainda estamos a chegar ao final do 1.º ano de mandato, e já oiço por aí muito boa gente dizer, que não precisam de mais pretextos para voltarem a votar no PS – Beja para além desta promoção de luta pelos funcionários contra a CMB , esta campanha montada pelo PCP através dos trabalhadores, é motivo mais do que suficiente para que a população sinta que se está a desautorizar o voto popular e os eleitos locais pelo povo.

    Quanto ao PCP que parece bastante inconformado com a decisão da população de Beja deve lembrar-se que a forma como está a conduzir e instrumentalizar os trabalhadores também são atentatórias dos valores da democracia conquistada por Abril e nisso o povo não costuma perdoar, e o PCP sabe-o bem!

  23. anonimo diz:

    E o que fazia o sr.Caixinha? Falo por experiencia propria porque foi uma vitima nas mãos dele.

  24. João Espinho diz:

    @anonimo – você foi vítima do Caixinha?

  25. anonimo diz:

    Fui. Por causa dele fui parar ão desemprego porque não sou do partido dele

  26. João Espinho diz:

    @anonimo – quem diria que os tipos do PCP faziam perseguições por razões políticas. Quem diria….

  27. anonimo diz:

    Quem sabe se um dia esse sr. va parar ão desemprego mas não acredito porque já tem tacho

  28. João Espinho diz:

    O PCP distribui tachos? Tchi….

  29. El Juanito diz:

    Mas agora são tachos de barro “Made in PRC”. Que se partem muiiito facilmente!!!

    PRC=Popular Republica of China

  30. Celso Pereira diz:

    ” 1º ano de mandato de JPV pode-se resumir : falta de liderança , incompetência politica , incapacidade total para gerir os 800-900 funcionários da CMB , incapacidade para ” inventarem ” receitas . ”

    Exactamente……….na mouche…..eu aliás não comprendo como o povo mandou embora um chico que era a liderança em pessoa, tratava o discurso político por tu, tinha uma capacidade assinalável de gestão e em relação á sua incomparável capacidade de gerar despesas,…. ops, quero dizer, receitas………..nem tenho palavras. Volta chico, tás perdoado…..

    Cumpts,

Deixe Uma Resposta