Ago 17 2010

Boas práticas

Publicado por as 15:10 em Geral

Pode em Beja fazer-se algo semelhante?

Share

6 Resposta a “Boas práticas”

  1. C Gomes diz:

    Podia pois!
    Tal como em Faro, por cá, há lugares reservados a instituições, a organismos e a particulares cujos critérios de atribuição sempre me pareceram estranhos.
    Há espaços que parecendo ser destinados a a viaturas dos organismos, são ocupados por quadros desses mesmos organismos com as suas viaturas privadas. Facto estranho, tendo em atenção que o cidadão “anónimo”, para estacionar na mesma área, tem de o pagar.
    Há espaços cedidos a instituições e organismos cujo o número de viaturas próprias é inferior ao cedido.
    Se o espaço é público, mal vai uma comunidade onde a maioria paga e um nicho de previlegiados parqueia as sua viaturas particulares gratuitamente.
    Mas a câmara de Faro tem um Macário Correia…

  2. Pedrada no Charco diz:

    Agora sim !

    É bom questionar a quem de direito se existe uma Comissão Municipal de Trânsito e de Segurança Rodoviária, em Beja ?

    Que eu tenha conhecimento no passado eram feitas listas e eleitas em Assembleia Municipal e tomavam posse, e durante os respectivos mandatos se reuniam onde estão as actas ou decisões delas emanadas, porque junto dos cidadãos nada se fez sentir ao longo dos anos e as decisões eram todas tomadas pelos executivos camarários ? ? ?

  3. El Juanito diz:

    Por aqui, por terras de Júlia (pax Julia), quer-se acabar de vez com o comercio tradicional, como tal, vá de criar incentivos para que os clientes fujam (parquímetros).
    É que pelo menos deveria haver uma “benesse” ou seja abstenção de saque, nos meses de verão.
    Com a cidade quase vazia, não se justifica a razão pela qual foram colocados os parquímetros, razão essa de reservar estacionamento aos possíveis clientes do comercio local.
    É um verdadeiro saque ao consumidor. Compreende-se e bem o sucesso dos hipermercados. (Além do mais têm ar condicionado 🙂 )

  4. joke diz:

    Beja é uma cidade do interior, onde ainda se vive como de uma pequena vila se tratasse.
    Querem progresso, urbanidade? ou não?

    Há um preço a pagar por tudo.

    O primeiro é aprender a viver com um volume de transito maior, outro será a falta de estacionamento, e não são 30 ou 40 lugares dos serviços que fazem tanto dano.

  5. Paulo Nascimento diz:

    Criem novos circuitos de autocarros (urbanas) para os vários dormitórios da cidade…. Neves, Boavista, São Matias, Beringel … Etc… isso tiraria muitos carros da cidade.

    Aproveitem espaços já existentes para criar parques tipo P+R como noutras cidades por esse mundo fora.
    por ex… o Parque do parque de feiras, está a maior parte o ano ás moscas. por um eurito ou dois ficava o estacionamento pago e tinha direito a duas viagens de urbanas (ida e volta). as urbanas passariam a usar esse espaço como ponto de partida.

    Depois destas medidas, o numero de carros na cidade diminuiria, e seria possivel tornar todos os lugares á superficie, gratuitos, com algumas excepções pagas, ex… junto aos correios, serviços públicos…. etc…

    E no final os parques subterrâneos entregues á emparque , para compensar pelos parcometros. estes parques começariam a ser uma verdadeira alternativa para o caso de faltarem lugares a superficie, e economicamente deixariam de ser os monos que são na actualidade.

    já agora…. porque que é que nos centros de saude e hospital , os parques estão reservados aos funcionarios, e os utentes são enxotados pelos seguranças… os funcionários e os doutores são coxos , ou malandros ?

  6. El Juanito diz:

    @Paulo Nascimento

    “porque que é que nos centros de saude e hospital , os parques estão reservados aos funcionarios, e os utentes são enxotados pelos seguranças… os funcionários e os doutores são coxos , ou malandros ?”

    Ora aqui está uma boa pergunta!

Deixe Uma Resposta