Mai 18 2010

A professora de Mirandela

Publicado por as 11:00 em Geral


foto: playgirl

O caso é conhecido de todos e tem enchido páginas e páginas de jornais e das redes sociais.
Conto-vos então outro caso.
José, 27 anos, foi, até há bem pouco tempo, professor numa EB 2,3 de um concelho alentejano. Contratado pelo Município local para leccionar umas horas de Tempos Livres (Actividades Extra-Curriculares), o José dedicava-se, nos seus tempos livres, a esculpir o corpo no ginásio disponibilizado pela junta de freguesia da sua residência. Como os euros auferidos na Escola não davam para tudo, José não hesitou em posar para uma revista de dimensão nacional, quiçá ibérica, e assim conseguir amealhar uns cobres para as férias com uma das suas amigas mais coloridamente chegadas.
O problema surgiu quando as mães e os pais dos petizes, que nunca lêem estas revistas, foram à Escola reclamar que aquilo era uma pouca vergonha, que não se admitia haver ali um professor que andava a descascar-se para revistas e, quem sabe, noutros sítios menos aconselháveis. Os pais protestavam, com um bocadinho de inveja, diga-se, pois não queriam que os olhos das suas filhas andassem a ver coisas vergonhosas. As mães, em fuga até ao Conselho Directivo, mas sempre com os olhares tipo farol a ver se descobriam o professor Zé (era assim conhecido nas aulas), reclamavam de forma estridente pelo facto de a Escola estar a expôr os seus filhinhos à imoralidade.
Perante tamanha agitação social, a direcção da escola e os senhores da Câmara Municipal lá da terra, decidiram colocar o Zé fora dos olhares da criançada, empregando-o na catacumba em que se transformara o arquivo fotográfico municipal, com a tarefa de datar os registos fotográficos embalados em caixas sem data.
As alunas do 3º ciclo, a que se juntaram alguns rapazes menos preconceituosos, ainda criaram várias páginas no FaceBook – “Queremos o Zé como Ministro da Educação”, “Grupo de Apoio ao Professor Zé (Playgirl/Alentejo), etc… – atingindo cerca de 100 aderentes logo nas primeiras horas. Mas o movimento de apoio ao Zé morreu. A coisa não pegou na rede, contrariamente ao que se verificou com a colega de Mirandela, que já vai com quase 50 mil fãs.
Que se passaria então?
E alguém disse: “Há uma grande, uma enorme diferença entre os seios de Mirandela e os abdominais do Alentejo. Mas essa diferença desaparece quando se fala da mentalidade dos portugueses, que é una e não regionalizável”.

Será que me fiz entender?

Share

7 Resposta a “A professora de Mirandela”

  1. PreDatado diz:

    Absolutamente. E no entanto, essas pessoas votam…

  2. Yashmeen diz:

    Percebi perfeitamente onde queres chegar.

  3. Tweets that mention Praça da República » A professora de Mirandela -- Topsy.com diz:

    […] This post was mentioned on Twitter by João Espinho. João Espinho said: A professora de Mirandela http://goo.gl/fb/KPsLz #geral […]

  4. Anónimo diz:

    Perfeitamente apesar das … entrelinhas.

  5. Paulo Nascimento diz:

    @João Espinho
    Fico genuinamente satisfeito com a sua abertura de espírito e tolerância.

    @PreDatado
    O Problema não é essas pessoas votarem, toda a gente deve votar.É existir gente a votar,
    com tão pouca cultura, que todos andamos a pagar há trinta anos.
    Com melhor Escola e menos novelas a coisa melhora.

    No que diz respeito á professora e ao professor zé, digo o seguinte…

    Em primeiro lugar, como as decisões de afastar os docentes não tem fundamento legal, quem toma essa decisão devia responder em tribunal pela mesma.

    Em segundo lugar, no que diz respeito ás “Putas Puritanas” (desculpem o palavrão).
    Essa gente funciona pelo método de envergonhar as pessoas, de forma a imporem a sua pretensa moral.
    Pois devemos pagar-lhes na mesma moeda, expondo a sua figura patética e ignorância, para que sintam na pele a vergonha que querem impor aos outros, pois esta é a única linguagem que entendem.

  6. Regina diz:

    Bom…nascer mulher lá tem as suas benesses..ao que parece…:)

    Eu cá na vida dos outros não me meto. Cada um deve ser responsável pelos seus actos. O que estranho é tanto alarido pelo comportamento da jovem professora, que nem fez mal a ninguém, tanta preocupação com a ética e a moral e bons costumes, (que desejam castigar, expulsar, bla, bla) e no entanto elegem para presidentes de camara cadastrados, corruptos (leia-se pessoas com cadastro e acusações pela justiça de corrupção e etc…), gentinha verdadeiramente imoral dos pés à cabeça!
    Onde está a consciência deste povo que é o nosso??
    Olhem lá o exemplo do nosso 1º ministro…

  7. jo diz:

    As pessoas ligadas á industria do sexo ou pornografia não devem ter profissões ligadas a crianças pois nunca se sabe o que está por detrás .AS REDES DE PEDÓFILIA TUDO FAZEM PARA SE APROXIMAR DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES . Há muitas adolescentes aliciadas com dinheiro fácil .As mais velhas influenciam as mais novas e levam nas a fazer o mesmo . As mais velhas angariam as miúdas mais novinhas . ´Na PORNOGRAFIA HÁ SEMPRE UM MUNDO POR DETRÁS Não se pode querer fazer tudo na vida há muitos outros trabalhos .Agora os pais das crianças têm que se preocupar .E mais vale prevenir que remediar.Até o cão imaginem

Deixe Uma Resposta