Mar 27 2010

PSD – A responsabilidade de MUDAR

Publicado por as 0:45 em Geral

O PSD tem, a partir de hoje, a responsabilidade de mudar o país.

Share

11 Resposta a “PSD – A responsabilidade de MUDAR”

  1. Tweets that mention Praça da República » PSD – A responsabilidade de MUDAR -- Topsy.com diz:

    […] This post was mentioned on Twitter by João Espinho. João Espinho said: PSD – A responsabilidade de MUDAR http://goo.gl/fb/4vIJ #geral […]

  2. Paulo Nascimento diz:

    Para melhor ou para pior ?

  3. João Espinho diz:

    Para pior é difícil.

  4. lição de tango diz:

    Renasce a esperança. Que Pedro Passos Coelho saiba estar à altura da enorme responsabilidade que lhe foi legada pelo voto dos militantes do seu partido. Porque os portugueses precisam de alguém que os faça voltar a ter esperança!!!!

  5. " Esperança " diz:

    É sempre a luz ao fundo do túnel …

    Não esquecer que nos últimos 5 anos tiveram 5 novos presidentes …

    A chamada CRISE nacional e agora internacional, é a responsável nº 1 da economia e das finanças de POrtugal e infelizmente está para ficar, não basta MUDAR é imprescindível ter os meios e a vontade política de o poder concretizar …

  6. Anónimo diz:

    Paulo Nascimento, está a falar do Partido Comunista Português?! Por aí é que não se vislumbram mudanças nem para mellhor nem para pior. Continuam os mesmos tacanhos seguidistas da directivas do Comité Central. Pensar pela sua própria cabeça não existe no vocabulário dos comunas por isso estão em vias de extinção. Graças a Deus. 😉

  7. NG diz:

    «Esperança»
    Não me fale em Luz … nem em Túneis !!! 🙂
    NG

  8. Paulo Nascimentoá agora diz:

    @anónimo
    É por isso que sou bloquista.
    Já agora, para que saibam , eu sou o Paulo Nascimento de Beja e do Bloco de esquerda, não confundir com o Vereador Paulo Nascimento de Castro Verde e do PCP. não julguem o homem pelos meus comentários.

    @João Espinho
    Posso estar nos antípodas ideológicos de Pedro Passos Coelho, mas sei ver que ele trás algo que o PPD já não tinha desde Sá Carneiro, uma ideologia.

    PPC acredita num liberalismo extremo, (até a mãe ele privatizava se isso aumentasse a produtividade)
    não tenho dúvidas que ele será o próximo primeiro ministro, esmagando Sócrates nas legislativas, mas será á custa do PP de portas e corre o risco de ficar á mercê de uma maioria de esquerda, que não representará problemas, porque o PS será rapido a apoiar o colega do bloco central nos momentos criticos.

    Apesar disso tenho grande respeito por PPC, que apesar da sua forma de pensar , parece ser sincero na sua crença no liberalismo, e não tenho dúvidas que será uma figura que procurará consensos em todo o lado respeitando os seus adversários e acima de tudo, a democracia.

    Tudo de bom para Pedro Passos Coelho, (desde que não ganhe eleições, claro está 🙂 )

  9. El Juanito diz:

    Apesar de não ser desta “cor” politica, penso que foi uma vitória justa e a mais “correcta”.
    Para mim, o PPC é de longe o melhor presidente para o PSD desde Durão Barroso.
    DB que deixou um travo amargo na sociedade portuguesa, quando “abandonou” o país para procurar o “El dourado” da Europa.
    Depois passaram por lá uns quantos líderes que nem sequer chegaram a aquecer a cadeira.
    Houve sim, uma Senhora que a aqueceu durante mais tempo, mas o problema foi esse mesmo, aqueceu-a em demasia, por pouco se “levantar” e fazer algo por este País.
    Fico por aqui, deixando um voto de parabéns ao novo líder do PSD.

  10. José Banabé diz:

    Graças a deus os militantes souberam escolher o lider,acabaram-se os velhos do restelo,o PSD está num novo rumo a caminho do governo de Portugal.61% ainda restam dúvidas?acho que o resultado foi bem esclarecedor,e no nosso distrito tambem.
    Em Ourique o ( ainda) presidente da Distrital Zé Raul, já não controla os votos de Ourique,o Jovem Presidente da Concelhia de Ourique e a sua equipa, deram provas que estâo no bom caminho,e a fazer um bom trabalho, a prova está no resultado , PPC – 65 VOTOS, PR – 65 votos.
    Depois destes resultados distritais,o Presidente da Distrital só tem um caminho, DEMITIR-SE e convocar novas eleições o mais rapido possivel, foi apoiar uma candidatura derrotada,onde o seu nome aparece na comissão de honra como Presidente da Distrital.Deixo uma chamada de atenção a todos os militantes do PPD/PSD do Distrito de Beja,vamos limpar a distrital,chega de derrotados. Os 3 derrotados da noite foram:José Raul Santos,João Paulo Ramõa,António Sebastião,acham que algum deles tem condições de se candidatar á Distrital?acho que não.BASTA,queremos gente nova,ideias novas,projectos novos e uma imagem limpa,fresca e sem desgaste. VIVA PEDRO PASSOS COELHO,VIVA O PSD,VIVA O DISTRITO DE BEJA,VIVA PORTUGAL. 1 Abraço.

  11. miguel diz:

    O facto do candidato apoiado pelo zé raúl ter perdido as eleições creio não forçar a demissão de um líder de distrital que não o deveria ser há já muito tempo.. Esta demissão não seria necessária se o senhor tivesse algum pingo de ética política e, pelos factos sobejamente conhecidos, não tivesse concorrido a esta distrital.

    Não sendo militante, não posso deixar de discordar do sr barnabé, porque para o psd voltar a ser primeira força política em portugal, necessita a união dos seus militantes e apoiantes e não é pondo gente na rua que isso se consegue.

    A questão do psd/beja é mais profunda, em primeiro lugar por desde praticamente sempre ser tutelado pela eminência parda do sr.º cameirinha que, tendo inequivocamente feito bem à cidade/região, nunca conseguiu fazê-lo (ou alguém que o fizesse por ele) ao partido a nível local.

    Em segundo lugar e aqui em termos de ideologia, o psd baixo-alentejano continua a ser conotado como um partido ideologicamente de direita, quando efectivamente não o é. Apreciei sobejamente a ideia perpassada pelo AB quando dizia não ser o psd de direita nem de esquerda mas antes social democrata.

    Assim, o maior problema do psd/beja é não conseguir romper com o rótulo de partido dos ricos, deixar-se conotar como partido contra os interesses dos mais pobres e não ser capaz de atrair sangue novo à sua militância, factos que no alentejo, aliados ao papão da “direita”, obsta à real implantação do partido, o qual não reflecte nas urnas a sua real importância.