Dez 29 2009

Qual é a admiração?

Publicado por as 12:35 em Fotografia,Poetas


foto: eberhard steuer

Anda aí muita gente a vociferar contra a chuva, a dizer que a chuva é demasiada, que nunca mais para de chover, etc…
Se bem me recordo, nos meus tempos de jovem/estudante, a chuva aparecia no Outono e prolongava-se até ao final do Inverno. Entremeada com umas abertas (boas), a chuva era uma constante. Muitas roupas molhadas, muita lama, muitas desculpas arranjadas à conta das chuvadas. E não tínhamos alertas amarelos nem vermelhos. Eram outros tempos, é verdade, mas chovia e bem. Tal como agora. Como hoje.
O problema é que a malta já não estava habituada.
Venha de lá a chuva, que as albufeiras e os corpos agradecem.

Fiquem com esta poema de José Gomes Ferreira:

“Chove…

Mas isso que importa!,
se estou aqui abrigado nesta porta
a ouvir a chuva que cai do céu
uma melodia de silêncio
que ninguém mais ouve
senão eu?

Chove…

Mas é do destino
de quem ama
ouvir um violino
até na lama.”

Share

4 Resposta a “Qual é a admiração?”

  1. lena diz:

    Na na ni na nao…Eu continuo a preferir o Sol e o Calor e pronto. Chuva é precisa claro, mas podia chover bem de noite quando está tudo na cama a dormir, até sabe bem. E de dia, Sol. Mesmo que esteja frio, mas sol 🙂 Os gatos partilham da minha opinião, lol… 🙂

    Aproveito e deixo um convite: participe na Blogagem de Janeiro do blogue http://www.aldeiadaminhavida.blogspot.com. O tema é: “Vamos ca/ontar as Janeiras e comer o Bolo-Rei!”. Basta enviar um texto máximo 25 linhas e 1 foto para aminhaldeia@sapo.pt (+ título e link do respectivo blog) até dia 8 de Janeiro. Participe. Haverá boa convivência e prémios (veja mais hoje no blog da Aldeia)!

    Jocas festivas,
    Feliz Ano Novo!

    Lena

  2. hpalma diz:

    Concordo! venha água!

  3. carlos diz:

    Venha a água mas nos canos, tempos idos esta Praça era rápida a dar os cortes de água e lamentar-se pela falta da mesma, agora vá-se lá saber porque já não o faz.

  4. João Espinho diz:

    @carlos – tem toda a razão. Fiz o alerta no facebook. Como a senhora da EMAS me disse que demorava cerca de 1 hora a reparação, não achei que tivesse que fazer “notícia” aqui na Praça. Ah, outra coisa: posso garantir-lhe que terei feito aqui lamento de 10% dos casos de falta de água. Os outros 90% dos lamentos ficaram guardados cá dentro.