Ago 11 2009

Não é verdade, pois não?

Publicado por as 11:35 em A minha cidade

Que a autarquia bejense terá adquirido umas cinco ou seis centenas de ingressos para a tourada do passado Domingo e os terá oferecido a funcionários (e familiares) da Câmara Municipal de Beja…
É mentira, não é?

Share

27 Resposta a “Não é verdade, pois não?”

  1. Luís Palminha diz:

    é nestas alturas em que me interrogo, onde anda o Jornalismo de Investigação na nossa Cidade/ Região …é pena…esta notícia a confirmar-se, seria uma óptima capa!

    resta-me aguardar…

  2. Strogoff diz:

    Tudo é possível…
    Resta saber se é verdade!
    Já agora, informo que também fui à tourada, mas a CMBeja não me ofereceu o bilhete?

  3. ... diz:

    é verdade. e mais não digo…

  4. isabel de brito diz:

    Hããã? A propósito de quê? Um ingresso igual a um voto? Investigue lá isso para termos a certeza!

  5. " Independente " diz:

    Infelizmente, é verdade ! E muitos funcionários tiveram a coragem dos devolver ou não aceitar !

    A forma populista e com o dinheiro dos contribuintes, gastar capital público por parte da Câmara municipal de Beja, quando os preços mais bararos eram de 25 € até aos 60€. Era um acto de justiça o deputado comunista escrever mais um requerimento a quem de direito, por este desbaratar de dinheiros de todos nós e o objectivo político que se encontra ao tomarem esta atitude eleitoralista. E em que verba foi lançada esta despesa ?

    É uma vergonha, não existem adjectivos para a qualificar !!!

  6. Whois diz:

    A ser alguma coisa será peculato de uso punido com ano de prisão ou multa, mas com a experiência que a autarquia tem nestas andanças a despesa, a ser verídica, deve estar muito bem inscrita nalgum lado que lhe confere legalidade.

  7. " Hobby and lobby " diz:

    Por mero acaso e porque gosto da chamada ” Festa Brava ” assisti à tourada com touros e não sabia desta “tourada” dos bilhetes ofertados e por outro mero acaso ou não vi com os meus próprios olhos o representante da câmara municipal de Beja ( assim foi noticiado pela aparelhagem sonora), o vereador Miguel Ramalho no redondel da praça e assistir ao acto da inauguração da lápide na porta dos cavalos, dos 100 anos da Praça de Touros Varela Crujo.

    Sinais evidentes de desespero eleitoral, com este tipo de atitudes de pagar e oferecer centenas de bilhetes, por parte da gestáo camarária da CDU e do PCP, em Beja.

    Como se classifica em democracia estes actos camarários ?????????????????????????????????????????????????????????

  8. gena diz:

    É verdade é!
    Eu que nem gosto de tal coisa…tive uma oferta….que como é evidente ñ aceitei!

  9. Strogoff diz:

    Esta CMBeja dá com cada desilusão aos munícipes.
    Enfim…

  10. FB diz:

    O desplante desta caricata situação e anti-democrata foi vista ao vivo com a esposa ( escriturária da Câmara Mun. Beja ) do vereador Caixinha com pacotes de bilhetes nas mãos, para distribuir os que sobravam, face às pessoas e funcionários com escrúpulos e que os regeitaram, perante este aberrante critério e de preferência a idosos incrédulos.

    Mas que situação comportamental é esta ?

    A oposição e forças democráticas da cidade, da região e do país. não tomam posição perante o relatado e veridico ?

  11. " Esperança " diz:

    Se eventualmente esta situação real ( infelizmente ), fosse criada por qualquer outro partido ou coligação camarária que não fosse o PCP / CDU na autarquia bejense, como seria classificada pelos comunistas ?

    Reacionária, imperialista, salazarista ( nem ele faria melhor na caça ao voto ) e inclassificável …

  12. Strogoff diz:

    Comunicação Social com isto…

  13. João Espinho diz:

    @strogoff – ahahahahahhhahhah. vai uma apostinha em como o assunto vai ser ignorado?

  14. Strogoff diz:

    Amigo João, acredito que o assunto possa ser ignorado, mas não haverá ninguém que divulgue isto pelo país? Isso é que era…

  15. A Fuga do Caracol » Blog Archive » Convite para irem ao “Praça da República” diz:

    […] Vejam aqui a noticia […]

  16. Anonimo diz:

    Isto é muito simples: VERGONHOSO!

  17. Whois diz:

    Parafraseando um conhecido autarca nacional…”isto é perfeitamente normal”

  18. Antonio diz:

    Esta vai dar bronca… ai vai, vai! Mas de certeza que o PCP vem arranjar mais uma das desculpas esfarrapadas para justificar mais um dos seus actos “democráticos” 😉
    Aguardemos.
    Post Scriptum: se fosse o Sócrates ou a Ferreira Leite, já eles andavam aí todos a dizer que “andam a roubar o povo para dar aos deles”!… Enfim, palavras para quê!?

  19. Whois diz:

    @António, vc sabe tão bem quanto eu, como os restantes comentadores do blog como o editor do blog, que isto não vai dar em absolutamente nada, provavelmente nem à comunicação social dita tradicional chega. E se chegar, vai ser minimizado e provavelemente até ridicularizado… verá se é assim ou não. É tradição nacional ser assim…e as tradições em Portugal, especialmente as mais ridículas teimam em se manter

  20. Antonio diz:

    @Whois, não duvido do que diz… aliás, até concordo que, no final de contas, faça-se o que se fizer as coisas não resultem em nada mais que em actos de vitimização dos protagonistas… mas isso são outros Carnavais. Haja inteligência e Sapiência para combater esta espécie de Democracia esquisita que se vive em Beja.

  21. João Espinho diz:

    @antonio – “vitimização dos protagonistas” ? Isso é o quê?

  22. Antonio diz:

    @João Espinho… queria dizer “actos de AUTO-vitimização”, como em tantas outras ocasiões 😉

  23. Ricardo diz:

    E depois o Valentim Loureiro é que não presta!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  24. gugu diz:

    todos diferentes mas TODOS IGUAIS!!!ou seja poleiro = a tachinho …… muda o cheiro mas a m…. é sempre a mesma!!!

  25. El Juanito diz:

    Mandei na altura um link para a SIC mas parece que não ligaram ao assunto.

  26. @ que não vais preso diz:

    Viva o XICO-Esperto !
    Certamente cortou duas orelhas “a muita gente”, como iremos ouvir agora o XICO-Esperto ?

  27. Rato dos Pomares diz:

    Eu acredito(?) que o empresário que explora a praça tenha oferecido os bilhetes ao Município para que estes fossem, precisamente, distribuídos pelos funcionários, visto tratar-se esta, antes de mais, de uma corrida de toiros com carácter comemorativo (100 anos da praça não foi?). Pode ter sido, não pode?