Mar 17 2009

Discriminação positiva

Publicado por as 15:02 em Geral

Seria, por exemplo, demitir a directora regional de educação do norte, já que as suas decisões parecem ter sido tomadas num contentor….wc!

Share

14 Resposta a “Discriminação positiva”

  1. Regina diz:

    Só gostava de saber o que ela quer dizer com “discriminação positiva” ! Ela há cada uma…valha-nos Deus!!!

  2. Ricardo Cataluna diz:

    Se ela tivesse vergonha, demitia-se…

  3. do contra diz:

    Faz lembrar outros tempos, outros sítios….outros argumentos…os mesmo ideais…

    A segregação do Sul dos EUA…. “para permitir que a educação fosse dirigida de acordo com os interesses próprios da raça negra”

    A segregação da Africa do Sul….”dois povos dois caminhos…..”

    os guetos de judeus….”para proteger os judeus….”

    Nem sequer tem direito a demitir-se …. Tem que ser demitida! Já!

  4. maria arvore diz:

    Só te posso aplaudir o humor certeiro. 🙂
    Se fizeres uma petição para esta discriminação positiva eu assino logo. 🙂

  5. PreDatado diz:

    Bem sabes que, de vez em quando, no que respeita à política (valha-nos santa foografia) estamos nos antípodas. Mas este teu post vale um valente aplauso!

  6. Marco diz:

    O problema dos ciganos foi, é e será sempre problemático.

    Isto porque excepto uma mínoria de que o melhor exemplo é a família que residiu na Rua do Touro em Beja. A esmagadoura maioria não quer de forma alguma integrar-se na sociedade.
    Existe até uma máxima na comunidade cigana que é esta: Enquanto houver um não cigano que trabalhe, não vai haver um único cigano que o faça.

    Logo se não querem, porque é que alguns intlectualoides persistem, persistem, persistem nesta cruzada ?
    Talvez colocá-los apenas uma hora numa sala de aula com un quantos alunos ciganos, e depois logo diriam de sua justiça.

    Não sou anti-cigano, mas acho que de uma vez por todas deveríamos deixar de ser hipócritas, e “defendê-los dos racistas dos outros”, desde que não estjam próximos das nossas casas e dos nossos familiares.

  7. Bejense diz:

    tenham vergonha na cara, tudo serve de arma de arremesso contra o governo… nao sabem o que sao os ciganos???????
    ja pensaram que a turma esta junta por serem MALCRIADOS, PORCOS, INSUBORDINADOS terem 18anos e andarem no 6ºano. HAVIAM DE OS INTEGRAR NA TURMA DA VOSSA FILHA E LOGO FALAVAM. cambada de hipocratas…

    ja pensaram que o criterio pode nao ter sido a raça mas sim o aproveitamento escolar??? ja pensaram que eles se auto discriminam e nao aceitam e respeitam as leis da comunidade em que estao inderidos e lhes da casas, rendimento minimo etc etc.

  8. João Espinho diz:

    @bejense – sugere-se moderação na linguagem; doutra forma terei que tomar uma atitude de discriminação positiva e mandá-lo para um contentor. Ou pensa que isto é uma escola portuguesa?

  9. " Independente " diz:

    Um pequeno reparo construtivo e elucidativo, os contentores que estão na imagem não são onde os ciganos estão a receber aulas e ensinamentos, nem lá cabiam.

    O contentor/sala dá para 20 alunos tem 2 (dois ) aparelhos de ar condicionado, o que algumas escolas de taipa em Beja não possuem, e onde no termómetro no Inverno assinala 5ºC e em Junho/Julho vai aos 35ºC.

    Na área pedagógica é discutível, mas em condições climatéricas e condições de trabalho para professores e alunos tenho sérias dúvidas !

  10. El Juanito diz:

    Pois também eu concordo com esta “discriminação positiva” ou o que lhe quiserem chamar.
    Na verdade, também tinha reparado nos contentores e não seriam estes de certeza os utilizados para dar as aulas.
    Deveriam sim os pais das crianças que não estão nos contentores, de reclamar igualdades de condições para os seus filhos.
    É mais que sabido que esta etnia é mais que protegida em tudo. Foram e têm sido desde algum tempo para cá e ao longo de muitos anos, bastante beneficiados pelo estado. Ainda não reparei nisso e posso estar a falhar no que vou dizer, mas a verdade é que nunca vi esse pessoal a entregar o IRS. Não terão rendimentos, dirão alguns, mas se assim for, como compram eles os mercedes e outros que tais. E o negócio dos mercados, não dá dinheiro?
    Pois mais uma vez digo, estão nos contentores e estão muito bem, assim não estragam mais turmas, se estragarem, estragam só a deles. Só tenho pena é dos professores que lá leccionam.
    Esta problematica tem muito que se lhe diga. É óbvio que eu desejaria que eles se integrassem, tivessem os mesmos direitos e têm, MAS que também tivessem os mesmos deveres.
    A sua etnia, as suas tradições, os seus costumes?! É claro que as repeito assim como desejaria que eles respeitassem os nossos.
    Mas infelizmente só tenho visto falcatruas, rixas, faltas de respeito para com os outros.
    Ainda aqui à dias, enquanto aguardava ordeiramente na minha vez para ser atendido no centro de saúde, este pessoal chegava, entrava no gabinete e era atendido.
    Reclamei na recepção e responderam-me “-O que quer que eu faça?!….. São ci….os!!!”
    Nos correios é a mesma conversa, chegam, passam à frente para receber o nosso dinheiro e quando uma funcionária os mandou tirar a senha e aguardar a vez, foi ameaçada. “Vizinha, dê lá o dinheiro senão jogamos-lhe as ci…as, que te comem viva.
    E o que eles têm feito na casa mortuária de Beja?!!

    Para terminar só quero deixar esta frase.

    “COITADINHOS DOS LELINHOS!!!”

  11. DarthLion diz:

    Só falta dizerem aos lelos.

    O Trabalho liberta. Arbeit mach frei

  12. Regina diz:

    Alguém descodifica please a piada dos “lelos”?? Sou do norte…não capisquei nada…gracias

  13. El Juanito diz:

    @ DarthLion
    Talvez devesse ter escrito:

    Só falta dizerem aos NÃO lelos.

    O Trabalho liberta. Arbeit mach frei

    Concerteza que não os deve ter como vizinhos, porque se os tivesses a morar ao lado, depressa mudaria de opinião.
    O tempo do ” Arbeit mach frei ” já lá vai há muitos anos. Na sociedade moderna o sentido histórico dessa frase já não se aplica, embora existam aqui e ali algumas mentes xenófobas. Xenofobismo nunca deixará de existir assim como muitos outros males sociais, são como que, estirpes de vírus, ora aparecem e desaparecem, umas vezes provocam grandes calamidades outras vezes nem por isso.
    O mundo tirou grandes lições do que se passou na 2ª Guerra mas para os lelinhos tudo se manteve, ou seja, explorar a sociedade e sugar os frutos do trabalho árduo de quem trabalha.
    Ao fim de tantas politicas, de tantos anos a tentar integra-los, os resultados estão à vista ou seja ZERO.
    Está tudo igual, os meninos vão á escola para os pais poderem receber o rendimento mínimo. E referenciei unicamente meninos pois as meninas não podem ir. As famílias não podem correr o risco de elas se apaixonarem por rapazes não-ci….os.
    É pena, pois se elas fossem, os pais receberiam mais uns trocos.
    Penso eu de que!

  14. Mário Jorge diz:

    Sobre este tema gostei de lêr a entrevista do Vereador Miguel Ramalho ao Correio do Alentejo, embora mesmo assim ele acredite e ache que com muito, muito tempo, se consegue “integrar” os ciganos na comunidade.

    Acho bem que se pare e tente perceber melhor a realidade e o estilo e espirito de vida destas pessoas, antes de se tomarem decisões que já se provaram sucessivamente que não são eficazes e muito menos viáveis.

    Bom também seria que se avalia-se o comportamento dos mesmos na sociedade e sobretudo que lhes fossem dadas algumas responsabilidades sociais. E que não se lhe desculpassem os excessos com a tal “discriminação positiva”. Que parece já ser um dado adquirido em toda a parte.

Deixe Uma Resposta