Out 30 2008

A posta sem medo

Publicado por as 15:05 em A minha cidade

Sempre que há um velório de algum defunto de etnia cigana, na Casa Mortuária (CM) junto ao Cemitério de Beja, sucedem-se coisas que me dão que pensar. A estação da GALP, perto da CM, vê-se obrigada a encerrar as suas portas e ninguém tem acesso ao interior da loja. Tudo é feito através de uma pequena janela. Janela esta onde se aglomeram os familiares do defunto, impedindo que outros possam adquirir os bens que ali se vendem. Hoje de manhã, à hora do pequeno almoço, a aglomeração era maior. Assim como maior foi o rasto de sujidade, pois tudo foi lançado para o chão, deixando o local uma verdadeira imundice. Os cafés do bairro contíguo também se sentem na obrigação de encerrar portas. O espaço fronteiro à CM transforma-se numa verdadeira tela abstracta com tudo o que é lixo. E, segundo relatos, a própria CM fica em muito mau estado (tomadas arrancadas, casas de banho inutilizadas, etc…).
Todos os danos são reparáveis, todas as taxas são liquidadas, tudo é legalmente consentido.
Mas preocupa-me saber que, se não fossem de etnia cigana os originadores de todas aquelas situações, estariam já os cidadãos poluidores e desrespeitadores das mais elementares regras de sã cidadania sob a alçada da lei, para além, obviamente, de serem apontados como maus exemplos para a sociedade.
Que sociedade é, então, esta onde vivemos?

Share

33 Resposta a “A posta sem medo”

  1. Golfinho diz:

    1. desculpa possíveis erros, mas descobri uma pastelaria com bolas de berlim… hummm
    2. João, percebo isso tudo, mas tem em conta o passado sociológico de todas essas pessoas. Como pessoa inteligente que és, consegues perceber comportamentos semelhantes nos romenos, búlgaros… qd entraram na UE, e continuam a ter. E nós, qd entrámos? daqui a uma década todos esses povos estarão integrados. A questão dos ciganos é a sua própria estigmatização e não se quererem integrar. Mas respeitemo-los por isso.
    3. Medo??? Isto é um acto de cidadania.
    4. Como sabes, sou descendente de alentejanos. sabes o que aconteceu em evora qd um tio meu morreu? Puseram dois corpos na mesma casa mortuária, a do hospital, isto depois do corpo do meu tio já lá estar. Apresentei queixa ao Director do Hospital, e não sei se foi por isso, mas no ano seguinte tinham outra capela. por vezes, uma reclamação no livro amarelo faz milagres. Tenta

  2. Golfinho diz:

    P.S. tudo o que escrevi foi baseado em dados empíricos e “académicos” :-D. Quando nos toca…

  3. vitte diz:

    Caro “golfinho”, então há quantos anos os ciganos estão entre nós? Acha que houve alguma evolução na sua socialização? BAsta observar os comportamentos das pessoas dessa raça para observar que não querem, não permitem e ameaçam que quer facilitar a sua integração… (falo por conhecimento)
    A policia só os vê passar…
    O mais grave é que em beja as pessoas dessa etnia são levadas ao colo por uma autarquia, sem responsabilidade, autoridade e sem respeito por aqueles que trabalham e pagam impostos para terem uma boa qualidade de vida!

  4. Manuel diz:

    Há uns anos que estas atitudes são toleradas quase como um convite a que se repitam indefinidamente.
    Aquilo que era e ainda é, espero, o “homem bom” do Direito, aquele que cumpre, que está integrado, que respeita as regras e os outros, esse todos os dias considera que os “bons exemplos” para a gente que nos governa, são estes que descreves.
    Pois se são premiados todos os dias enquanto ele apenas se sente castigado.
    Apetecia-me dizer um palavrão mas não o faço na tua casa, João.
    Abraço

  5. Golfinho diz:

    “Caro “golfinho”, então há quantos anos os ciganos estão entre nós? ”
    já respondi: “A questão dos ciganos é a sua própria estigmatização e não se quererem integrar”

  6. Fox diz:

    Fo!!!!!!!!!!!!se, qual socialização qual o c!!!!!!!!!lho, os homens não se querem socializar e enquanto os deveres forem só pra gente estamos f!!!!!!!!os aquilo que eu vi hoje de manha só é possivel neste pais, uma vergonha, por acaso ai um carro da policia à minha frente, fez a rotunda e ó abre que eu vou ali e já venho. Só me apetece dizer palavrões mas não digo e vamos esperar uns anos que quando os ciganos e deixamo-nos de lhe chamar nomes e vamos chamar os bois pelos nomes ,que se estão a multiplicar como coelhos suportados por nós e que andam na escola não porque querem mas porque são obrigados, para receber uma mão cheia de dinheiro e que acabam por aprender apenas que cada vez nós temos mais medo deles, depois pode ser tarde. Agora chamem-me racista e não sei o que, mas amigo espinho é o que me vai na alma. Isto para não falar do comportamento nas escolas, centros de saude, hospitais e no resto porque ao tempo que andam a mamar uma mão cheia de dinheiro para a pseudo socialização se a mesma tivesse resultado eu até ficava contente, mas depois de todo o dinheiro,das casas, de não pagarem impostos enfim de só terem direitos, o episodio de hoje só vem demostrar que foi todo em vão. De qualquer forma que manda manda bem e continuem a dar mais uma mão cheia de dinheiro à malta que a malta agradece e pode ser que eu quando vier a precisar dos serviços da casa mortuaria que espero seja daqui a muitos anos já possa falar doutra maneira, o que duvido porque não acredito em milagres.
    Cumprimentos

  7. fixe diz:

    Estas situações descritas só são possíveis nesta cidade de Beja. 1º deixam que eles vivam em beja, depois como não podem, não querem ou não sabem o que lhes fazer, e num acto social de reintegração constroem-lhes um ciganómetro ( sinónimo de parque nómada ), nome fantástico para dar a uma estrumeira, que é o que a anterior presidência de câmara nos deixou. Os que por qualquer motivo não tiveram lugar no ciganómetro vivem na rua da lavoura, levando à asfixia económica das empresas lá situadas. Mas não há problema, pois coitadinhos não tinham onde viver, a economia local que se lixe. Os outros que sobram deixaram-nos ficar junto à EDP, numa das entradas da cidade, paredes meias com o melhor hotel de Beja, belo postal!!
    Ora fo!!!!!!!!!!!!!!-se senhore presidente de camâra de beja, porque é que não ficou a gozar a reforma de onde nunca deveria ter saído, LX. Já agora e para terminar gostava de deixar uma sugestão, porque não colocarem na vossa próxima lista de candidatos à cmb um vereador dessa me!!!!!!! de etnia, que pode ser que a profecia do bandarra se cumpra mais depressa “aqui era Beja, bem vindos”.

  8. " Independente " diz:

    A anterior autarquia fez um lote de 50 “casitas” novas para a respectiva etnia e ofertou-lhe mais de 1 dezena de casitas na rua da Lavoura, mas o projecto do PCP/CDU eram 150 “casitas”, ficaram em débito os lotes 2 e 3 no Bairro Nómada, junto à IP 8 e às traseiras/lado do parque de máquinas e materiais da Câmara Municipal de Beja.
    Sem ser racista, mas a esta etnia tudo se desculpa e a tudo se fecha os olhos, basta falar pessoalmente com alguns elementos da PSP e eles próprios o dizem, ao pé nem vê-los. E então os restantes bejenses ?
    Estes “comunas” por meia dúzia de votos não olham a meios para atingir fins sejam eles na autarquia ou onde quer que seja, e os exemplos repetem-se nos mais variados pontos da cidade e concelho.
    Beja tem o que merece até existir a necessária mudança!

  9. El Juanito diz:

    Parece-me a mim e bem que temos é de apoiar uma candidatura à CMB, uma equipa de vereadores oriundos de figueira de cavaleiros.
    Isto porquê? Perguntam voçês, e muito bem. Porque lá, esses “meninos” de fumeiro não entram, ou melhor dizendo, não param.
    Aqui há uns anos foram “simplesmente” expulsos daquelas paragens, tal não foi a mer…. que por lá fizeram.
    Nós por cá, nada….
    E os tais “meninos” vivem, cá “andem” alegremente fazendo mer…
    Não me refiro só aquela que eles deixam para nós pisarmos, refiro-me também a todos os outros aspectos característicos dos “fumeiros”.
    Desculpem o ironismo, mas é a uma maneira de controlar a minha imensa indignação enquanto escrevo.
    Cumps!

  10. Pedro Horta diz:

    Ouvi dizer que tinha sido uma criança cigana que tinha morrido. Não sei se foi.

    Talvez nem interesse.

    Talvez ninguém queira saber se foi por falta de assistência, por maus-tratos, por acidente, por doença.

    Foi mais uma.

    Como dizia um colega: é dia santo em Beja, morram todos.

    Mas não consigo pensar assim.

    Os outros dão na medida do que exigimos.

    E não é só com alarvidades que se integra uma etnia, habituada às suas regras, tão diferentes da cultura ocidental.

    É que quanto aos Ciganos só há duas hipoteses.

    Uma que promova a integração com o respeito às diferenças, a outra…bem a outra…é a repetição do passado.

    E acreditem que a segunda está só à espera de uma oportunidade. Troquem, (nos diversos comentários que pelo pais surgem), a palavra ciganos por judeus…e revejam as vésperas da noite de cristal….

    Pelo menos saibamos respeitar uma criança que era alheia a isto tudo,

  11. El Juanito diz:

    “Tratar” desta malta, é uma tarefa muito delicada. Atenção, digo “tratar” mas num sentido não xenófobo.
    Bem sei que não tenho uma fórmula mágica para resolver este problema mas gostaria saber a opinião de sociólogos ou de outros doutores que destes assuntos tratam.
    É que……já cansa ouvir falar deste problema da integração da etnia cigana.
    Mas qual integração, pois como se já leu por aqui que eles não a querem?!
    Será que não se pode “copiar” as reservas indias dos EUA ou da Amazónia?!
    Oops! O problema é que o país é tão pequeno que fosse o lugar que fosse cheiraria sempre a fumeiro.
    Aguardo opiniões dos eruditos na matéria.
    Cumprimentos!

  12. @ que não és preso diz:

    @ Pedro Horta – Na tua casa quem se porta mal vai para a rua !
    São todos bem vindos , quem vier por bem , mas este ciganos , não são integráveis !
    Ou se portam bem ou rua.
    Eu sinto-me discriminado pelo Estado em relação aos ciganos!
    Lanço a semente para , organizar uma manif em beja contra a não tolerância, chega de oportunidades para quem as não quer!
    RUA COM OS LELOS

  13. Presente diz:

    Pois bem, eu passei esta manhã pela casa Mortuária e vim como deixaram o espaço…
    uma autêntica estrumeira e não um espaço que é utilizado para prestar as últimas homenagens a quem parte.
    Deviam ser tomadas medidas musculadas por parte da autarquia para impedir esse tipo de comportamentos, não só nas casas mortuárias, mas em muitos sitios da cidade de Beja.

    Em resposta ao ” Independente “, tudo aquilo que lhes é facilitado pela autarquia, não é por uma questão de ganhar votos, porque essa raça nem vai votar, não sei mesmo explicar! Não sei qual foi a ideia do anterior executivo de lhes arranjar casa e nós temos que levar anos e anos a pagar o espaço onde habitamos.

    Nós temos cada vez menos direitos e muitas obrigações, eles não!!!….. TEM SÓ DIREITOS, de viverem dos impostos que nos são subtraidos no final do mês.

    Mas se um dia a autarquia tomar medidas contra esse tipo de coisas, vai haver logo os defensores dos ciganos, os da oposição e este blog a criticar os eleitos não respeitar as minorias étnicas

  14. carmo isabel diz:

    o hitler era cigano?nao.
    o buch é cigano?nao.
    o socrates é cigano?nao.
    o ratzinger é cigano?nao.
    os pais da meddie sao ciganos?nao.
    o bibi é cigano?nao
    os pedofilos sao todos ciganos?nao.
    as cadeias estao so cheias de ciganos?nao
    resumindo existem
    seres humanos bons e outros maus
    a resposta está em saber amar o proximo.
    e com certeza mais uma estrelinha nasceu no ceu e paz a sua alma.

    isabel

  15. carmo isabel diz:

    desculpem
    esqueci-me do pinto da costa
    também nao é cigano

    isabel

  16. vitte diz:

    oh dona isabel! mas os que descontam para a segurança social são ciganos? não!
    os ciganos conduzem e são fiscalizados? não!
    invadem a rua da lavoura e se alguém passa os ciganos oferecem flores? não!
    os ciganos dão doces e gelados aos funcionários dos correios? não!
    respeitam as filas e as regras sociais? não!
    respeitam os funcionários e os docentes da escola de S. Maria? não!
    respeitam as técnicas da segurança social? não!
    deixam os filhos em casa enquanto assaltam as propriedades dos outros? não
    respeitam os funcionários do Hospital? não!

    Para não falar em pessoas que andam para aí muito bem montadas, com grandes luxos e afinal o que fazem, vendem roupa e cd e dvd originais no mercado!

    desculpe cara isabel, mas estou indignado com esta etnia que têm a extraodinária faculdade de só ter direitos.

  17. Be(i)jar platónico diz:

    Tive o prazer de crescer numa zona da cidade de Beja, não longe da praça de touros, e desde cedo que convivo com os cidadãos supracitados. Ao longo da minha adolescência tenho tido várias experiências com os mesmos e infelizmente, nenhuma delas me trouxe nada de positivo. Apesar disso não tenho qualquer tipo de sentimento xénofobo ou outros, porém, já era tempo de quem decide (infelizmente mal) pôr a mão na consciência e começar a arrumar a casa que o povo aguenta mas também se satura. Apesar de não estar a viver em Beja neste momento acompanho com regularidade o que se passa na minha cidade e as recentes notícias de violência na Escola de Sta Maria…. os relatos dos empresários na rua da lavoura e parque industrial os sucessivos roubos e destruição nos bairrros envolventes ao “ciganómetro”(para não falar dos baldes do lixo sempre revoltos e os putos a cagar na rua*)… enfim do hospital ao centro de saúde….. não será já altura do executivo camarário e as autoridades locais tomarem medidas e mostrarem algum respeito por quem cumpre??? Só pedia respeito e igualdade de direitos.

    * “a cagar” e passo a contar que, no outro dia na rotunda da BP em frente ao Bejaparque hotel ia eu a passar de carro e vi um pingarelho daqueles que moram ali ao pé a baixar a calcinha bem debaixo do outdoor que lá está, faz o serviço levanta a calcinha e siga —— ao menos limpava o rabo pá!
    ah! e eu tinha tudo para não gostar desses senhores pois até o cigano celito me abriu a cabeça no patronato tinha eu 6 anos e ainda levei 4 pontos 😉

  18. carmo isabel diz:

    o sr.vitte está a falar de ciganos?ou de alguns ciganos?
    no outro dia um cigano no mini perço
    ficou atrás de mim na filha e disse boa tarde e pediu ajuda para saber o preço do detergente da roupa
    no fim disse obrigada
    existem funcionarios e docentes que batem em crianças e nao sao ciganos
    se o sr.viu uma reportagem na sic ontem sobre violencia aos funcionarios dos hospitais e centros de saude
    nao ouvi falar em ciganos
    respeitar tecnicas de segurança social(que por acaso nao sao ciganas)mas que autorizam a entrega de crianças a pais que mau tratam e já vimos casos de morte no final.
    Nao vamos ser hipocritas
    agora preocupados com o lixo que os ciganos fizeram
    mesmo coisa de povo que pensa pequeno.

  19. anónimo diz:

    Mais vale sê-lo do que parecê-lo

    Vá lá. Com tanta imbecilidade, o asco é quem mais ordena. Tanta gente “civilizada” a opinar e tanta asneira a ser regurgitada. Não fossem as respostas de Pedro Horta e de Carmo Isabel, este post e as respostas que “mentes sãs” nele têm colocado “bradariam aos céus”. Tanta imbecilidade junta, só própria de uma cidade tão provinciana como Beja tantas vezes consegue ser. E quase sempre é, pelo menos na boca destes “limpos e puros” cidadãos que têm a seu favor este facto único – não serem lelos. Mas que são analfabrutos, lá isso são. E que o Espinho lhes tenha dado o mote também já não é estranho. Começa a ser habitual.

  20. Sandra diz:

    Sr. Anónimo e D. Isabel

    Alguma vez conversaram com um cigano?
    Não é responder-lhes «boa tarde» num qualquer supermercado….é falar mesmo…ter uma conversa…
    Já ouviram o que eles têm para dizer, o que eles pensam de nós, «paios»?
    Pois deveriam… e passar-vos-ia de imediato essa vossa boa vontade para com a dita etnia.
    Pois eles não têm qualquer respeito para connosco, nem para com a nossa cultura, nem para com os nossos hábitos e tradições. Pura e simplesmente não lhes interessa para nada! O que eles querem é receber subsídios, é só para isso que “a sociedade democrática” em que vivemos lhes dá jeito!
    Vivi muitos anos perto dum local onde era habitual alguns membros de etnia cigana acamparem; enquanto andava na universidade trabalhei junto de ciganos e hoje trabalho por vezes com eles, mas trabalho também com cidadãos de leste (entenda-se Ucrânia, Rússia, Moldávia, etc) e com africanos (de Marrocos, a Angola ou ao Shade) e garanto-vos…os ciganos são os únicos absolutamente intratáveis, que não querem integrar-se seja no que for, que não têm medo de desrespeitar todas e quaisquer regras, que não acatam qualquer sugestão ou conselho, que falam com toda a gente com o “rei na barriga”, que apontam pistolas e facas às próprias pessoas que são enviadas por este “Estado bondoso” para os ajudar.
    Também se encontram pessoas de etnia cigana algo diferentes daquilo que ficou descrito acima, mas curiosamente não querem de todo ser relacionadas com o típico cigano de Beja.
    Sempre me ensinaram: se queres ser respeitado, dá-te ao respeito! Para bom entendendor…

  21. El Juanito diz:

    Ora até que enfim que aqui apareceu uma técnica, socióloga ou psicóloga (ou algo do género) a escrever o porquê dos lelos terem só direitos.
    E a frase chave é: “Amor ao próximo”, mas só num sentido, o da lelada.
    A pessoa a que me refiro é, como já puderam constatar, a Sra. Carmo Isabel.
    Mas, cá me parece que esta senhora não é bafejada com a sorte de ter os lelos como vizinhos.
    Pergunto, se um lelo fizer as necessidades à sua porta, o que faz?
    Se lhe roubar algo, o que faz?
    Se lhe bater a si ou a algum familiar, o que faz?
    Hummm!…
    Será que o “tal amor ao próximo” será a resposta?
    Acredito piamente que não.
    É que a paciência tem limites.
    E o meu já se esgotou, para mim estou como o outro, fora com os lelos daqui para bem longe.
    Estou farto de os ver nos correios a levarem o MEU dinheiro. FARTÍSSIMO!!!!!
    Uma reserva por exemplo, dêem-lhes uma zona e lá dentro eles que façam o que quiserem.

  22. El Juanito diz:

    Correcção!
    Afinal apareceu outro técnico, sociólogo ou psicólogo (ou algo do género).
    Mas este, parece ser um ilustre Iluminado.
    @anónimo, já que nos classifica de “analfabrutos”, o que eu repudio e devolvo à procedência o adjectivo, diga-nos lá de sua justiça e defenda por A +B o indefensável, ou seja, os lelitos.
    Explique-me porque é que eu me “mato” a trabalhar e o estado leva-me parte do meu rendimento em impostos para dar áqueles que me roubam os meus haveres das varandas ou as bicicletas ou outros que agora não me lembro. Que me ameaçam por eu os repreender que estão a espalhar o lixo dos contentores. Que fazem imundices por qualquer lado que passam.
    Diga-me lá em que parte da nossa Lei os lelos se encaixam quando fazem estas porcarias, em que parte da Lei eles ficam isentos.
    Não creio que a nossa Lei tenha um regime de excepcção para os lelos.
    Eduque lá os analfabrutos se faz favor.
    Obrigado.

  23. vitte diz:

    Tantos comentários aqui feitos e o nível foi sempre o aceitável, vem de lá o “Bom” do anónimo, porque pelos vistos ele é que sabe os outros são todos ignorantes, a ofender tudo e todos, por isso a minha resposta é …. compre um apartamento no bairro do “joão Barbeiro”, abra uma empresa perto da rua da lavoura e daqui a umas semanas quero que faça mais comentários destes!
    bom fim de semana e melhores modos!

  24. zig diz:

    Cada vez que aqui se fala dessa etnia, a caixa de comentários se enche. É compreensível! Muitos comentadores estão cheios de razão, outros nem por isso! No entanto, é uma verdade comprovada que os ciganos não se querem integrar e não respeitam a nossa cultura. Porque têm uma cultura própria, muito fechada e desconhecida pela maioria da população “restante” em Portugal!

    Também já tive grandes problemas com pessoas desta etnia, já o disse aqui por várias vezes! A única defesa possível que temos é ter muito cuidado, que, no meu caso, significa não aceitar trabalhos deles, apenas de pessoas que conheço. Com alguns deles falo bastante sobre este problema da integração. É que, há ciganos quase “normais”, que estão perfeitamente conscientes que andam a practicar o “mal”, mas não têm outra escolha! Cá fora não os querem, ninguém lhes dá trabalho, logo, têm que continuar nos bairros designados para eles.

    Um então, quando está na minha oficina fala-me muito bem. Uma vez encontrei-o no Modelo e não me falou! Indignado, na próxima vez que por aqui apareceu confrontei-o com este facto! “Sabe”, disse ele, “os outros (ciganos) não gostam que alguém de nós se dá bem com não-ciganos!”

    Acho que isso diz tudo…

  25. fox diz:

    dona carmo isabel
    deixe de ser hipocrita e começe a pensar maior é só esse exemplo que tem é muito pouco, e quando estão todos atras das pessoas na fila a chingar as pessoas alem do cheiro, se não sabe existe regras elementares de higiene elas existem e a mão cheia de dinheiro que lhes dão e a agua que não pagam á camara não dava para dar um banheco de vez em quando. E o espancamento de uma rapariga sem razão aparente na rua da lavoura à uns anos que por acaso é filha de uma colega minha. deixem-se de hipocrisias e voce começe a pensar um bocadinho maior.
    já são muitos anos, muito dinheiro precebam de uma vez que os homens só querem o dinheiro e agora quem lho tira??; umA rapariga assistente social que reve o processo e diz meu amigo voce já não tem direito à mama e o lelo diz-lhe” ai senhora se na me dá o denhero eu espero lá fora e eu matoa” isto é verdade minha amiga.
    tá bem concerteza que a ciganos bons como à gente má!!! e depois acredita em milagres.
    como alguem disse acima a mim tambem sempre me ensinaram: se queres ser respeitado, dá-te ao respeito! e voce se quer ser respeitada desse ou respeito e graças a deus voçe pertençe ao povo que pensa grande. VIVA O POVO QUE PENSA EM GRANDE.
    CUMPRIMENTOS

  26. El Juanito diz:

    Sim, dêem-lhes o dinheirinho que eles fazem “fila” nas ourivesarias para comprar ouro.
    Uma vez uma lelona junto modelo veio-me pedir dinheiro para comprar comida para a criança que trazia ao colo. Até aqui nada demais, nada de novo, o curioso é que esta lelona tinha dentes ouro, pois é ourinho mesmo.
    E a malta sabe o preço a que estão as consultas de estomatologia (dentista, para os que pensam pequeno).
    Quanto não terão ficado aqueles dentinhos de ouro, hein?!!!!!!
    Exigem-se medidas URGENTES para acabar com esta discriminação. Atenção, nós, os não lelos é somos os discriminados.
    Cumprimentos.

    Ps.
    Afinal onde estão os tais doutores para educar os analfabrutos?!!!

  27. jose chicharo diz:

    Eu só espero que um dia um desses lelos que tanto têm sido protegidos por este elenco camarário, agrida um dos vereadores ou o presidente, sinceramente não terei pena.

  28. gena diz:

    Pois ….pois tanta conversa, mas agora digam lá se os ciganos descontam como os paios??? Não ali são só

    regalias e rendimentos minimos….e a fazer o que lhes dá na real gana. E vai daí o nosso Presidente da autarquia

    diz visitar com frequência os bairros ciganos e sempre é bem recebido e respeitado…….!!!!!!!!

  29. Bejense diz:

    As senhoras e senhores do politicamente correcto so desejo que tenham de comprar e viver numa casa na rua da lavoura, que tenham de ir para o hospital quando la estiver um cigano nas urgencias e que façam compras num hiper em que estejam uma duzia de ciganos. e se mesmo assim nao compreenderem que tenham um acidente envolvendo um cigano num carro e que chorem um ente querido partilhando a capela com eles, ou tenha uma filha na st maria com colegas ciganos

    A comparacao entre os judeus e os ciganos e as noites de cristal e o zilom B é idiota, ninguem (acho eu) quer isso agora pagar-lhes a casa e ainda lhes dar o rendimento minimo? como explica isso a um jovem honesto (/ate pode ser preto arraçado de chines e cigano) que ganha 450€ /mes e pede um emprestimo para comprar uma casa ao banco? FAÇA UMAS CONTAS.

    A liberdade e a identidade cultural dos ciganos ACABA ONDE COMEÇA a NOSSA. Ou adaptam-se ou vao viver para outro lado, é impossivel viver em sociedade com gente que se comporta dessa forma ou nao acha?

    eles nao se comportam assim por ser ciganos, agora quando a maioria (larga maioria) de uma etnia , raça, pais ou credo se comporta de uma determinada maneira é obvio que as pessoas os julguem em grupo.

  30. El Juanito diz:

    Pois é!
    Perderam o pio, os tais defensores do indefensável.
    Ou então, reflectiram e viram que não tinham razão.
    Sendo assim, reconhecem quem são afinal os analfabrutos.

  31. Pedro Horta diz:

    (Este é o meu último comentário acerca deste assunto).

    Posso não ter vivido o que os restantes “comentadores” apresentam como verdadeiro.

    Mas não seria isso que me faria pensar de maneira diferente.

    Hitler, excelente artista plástico, viu recusada a sua entrada na Academia de Bela Artes, devido a um Judeu que fazia parte do Júri.

    Le Pen viu a filha ser violada por um Árabe.

    Pol Pot viu os seus amigos morrerem de fome.

    Mussolini, um socialista redactor do Avanti!, admirador do Pietro Gori….bem esse não sei o que lhe deu….

    Enfim, digo isto, para afirmar que compreendo os comentários desta postagem. Compreendo-os, respeito-os, mas não os subscrevo…em absoluto.

    Talvez… porque sempre tenha tido amigos ciganos…e nunca me tenham cagado à porta
    Talvez…porque tenha sido o Zé Cigano que me ensinou a tocar viola…e não me tenha cuspido na cara
    Talvez… porque quando vou ao Minipreço ajudo as ciganas a saber o preço dos productos…e nunca me tenham roubado
    Talvez… porque quando vou ao Banco ajudo os ciganos que me pedem a usar a caderneta..e nunca me tenham batido
    Talvez…porque goste de El Camaron..e não ache que as festas dos ciganos sirvam apenas para nos incomodar.

    Talvez…Talvez…

    Pensem…com a razão e não com o coração.

  32. El Juanito diz:

    Talvez… porque o sr. seja uma excepção à regra.
    Olhe… não sei o que lhe diga!
    Talvez… um dia as suas frases do “talvez” comecem pela segunda parte mas na positiva.
    Talvez…

  33. Joshua diz:

    É a chamada discriminação positiva. É politicamente correcta e logo temos que levar com ela.