Arquivo de Julho de 2008

Agusta Westland em Beja

31 de Julho de 2008

Segundo o jornal Público:
“Os italianos comprometem-se (…) a investir na instalação de uma nova empresa em Beja, a AWPortugal, para subcontratar fornecedores nacionais para encomendas relativas a outros seus helicópteros que não os portugueses e a fazer encomendas anuais de 35 milhões de euros à Ogma, durante cinco anos, que já fabrica a cauda do EH-101 e poderá continuar a fazê-lo.” (aqui)

A confirmar-se, é uma boa notícia. As pressões para a opção Alverca não terão tido sucesso. A escolha da EMBRAER pela cidade de Évora pode ter servido de alavanca para esta opção bejense por parte da Agusta Westland (AW).
Vamos aguardar por mais informações.

Share

Expliquem-me

31 de Julho de 2008

O que é que o Presidente da República acabou de anunciar ao País!
As entrelinhas, principalmente…

Share

Acontece!

31 de Julho de 2008

A EMBRAER vai instalar-se em Évora.
Alguém estaria à espera que se instalasse em Beja?
E quem agora reclama, fez alguma coisa para que as negociações tomassem outro rumo?
Realmente…

Share

5 anos

31 de Julho de 2008

Ele chama-lhe meia década. Mas, na blogosfera, 5 anos são quase meio século.
Parabéns, aka Golfinho.

Share

Produzir ideias

31 de Julho de 2008

Debater ideias, discutir projectos e apresentar propostas alternativas. Só assim o PSD se pode fortalecer.
(ler aqui)

Share

Hoje de manhã

30 de Julho de 2008

Hoje de manhã saí muito cedo,
Por ter acordado ainda mais cedo
E não ter nada que quisesse fazer…

Não sabia que caminho tomar
Mas o vento soprava forte, varria para um lado,
E segui o caminho para onde o vento me soprava nas costas.

Assim tem sido sempre a minha vida, e
Assim quero que possa ser sempre —
Vou onde o vento me leva e não me
Sinto pensar.
Alberto Caeiro

Share

wanting.waiting.needing

29 de Julho de 2008


foto: Blanka Novakova

no iPod

Share

A mesa do café

29 de Julho de 2008

Redonda, onde se sentam ferrenhos adeptos do clube da Luz. A conversa gira à volta da mesa, da bola, das balizas alheias. Lembrou-se um dos ferrenhos que já estavam há muito tempo sem “cascar” nos gajos de Alvalade. Aproveitando uma lesão de um jogador lagarto, teceu-lhe rasgados elogios, que era único na sua posição, ou quase único, e os elogios mais pareciam vindos da Academia de Alcochete. O resto da rodada, previsivelmente, foi a cascar no lesado leão, a quem chamaram de tudo. Menos de mãe, que é única e não se partilha à mesa do café.
O matreiro que lançara a conversa para o meio da mesa sorriu.
Havia atingido os seus objectivos.
Um gajo da Luz nunca diz bem de um gajo de Alvalade.
Nem mesmo hipocritamente.

Da mesa do café foram para os seus empregos.
Ainda hoje se notam as nódoas nas calças. Entre as pernas.
Há mesas assim.


www.creativedisease.com

Share

Pequeno almoço na cama

29 de Julho de 2008

Gleb Kaygorodov
foto: Gleb Kaygorodov

Ou à cama. Depende do sujeito.

Share

Célia -55-

28 de Julho de 2008

Senti a minha hesitação como longa demais. Tudo o que há momentos encarava como certezas, estavam agora dependentes de uma porta que, sabia-o, eu teimava em não querer abrir. Tinha a clara certeza do que viria atrás do meu simples gesto de escancarar uma porta, aquela que pensei ser o cadeado do meu refúgio.
Foi um longo tempo de indecisão.
Do lado de lá já não estaria agora a Célia que me dissera Porque sei que é a ti que amo! mas uma mulher à procura de feridas sem cuidar de sarar as que ainda a faziam sofrer.
Revisitei, no espaço entre o hall e o quarto, de forma fulminante, os detalhes de uma ligação que, ambos sabíamos, não sobreviveria a portas longamente encerradas.
Mariana sorriu, quando me viu ignorar a mensagem que chegara, mas desconhecia que ali estava o que eu mais temia: “Estou no quarto 1302!

Share

Domingo #85

27 de Julho de 2008


foto: TITYAEV

Share

Nocturna

26 de Julho de 2008

“São indefinidos os gestos que desenham esta loucura. Nenhum traço, porém, será mais forte que aquele com que esboço o teu rosto”.

Share