Abr 26 2008

Percebe-se

Publicado por as 10:05 em Geral

“O PCP e o Bloco de Esquerda responsabilizaram hoje os Governos das últimas três décadas pela falta de conhecimento da juventude portuguesa sobre o 25 de Abril, criticando as preocupações manifestadas pelo Presidente da República”.

Percebe-se. Se a História fosse ensinada nas escolas, os nossos jovens ficariam a saber que se hoje festejamos na rua o 25A é porque houve um 25 de Novembro (1975) que acabou com os desmandos revolucionários do PCP, UDP, PUP e outros do género.
O que eles menos querem é que se conheça a História.

Share

5 Resposta a “Percebe-se”

  1. charlie diz:

    Também, João, Também. As duas datas fazem parte do mesmo processo.

  2. charamba diz:

    Está, de facto, por fazer a história do 25 de Novembro, que erradicou o perigo, que todos tínhamos corrido, da passarmos duma ditadura hipócrita ( e essa hipocrisia evitava que se tornasse mais tirânica) para outra mais frontal e violenta.
    Se o fascismo morreu a 25 de Abril, a democracia pluralista só nasceu a 25 de Novembro.
    Está por isso por fazer a história do comprometimento do PC no desencadear do movimento de rebeldia, a originalidade da sua aliança com a extrema esquerda, a manha ( consentida) do descomprometimento, e a lucidez dos que, como Melo Antunes e Mário Soares, evitaram a vitimização que alguns ingenuamente defendiam e que seria um favor para a mistificação do seu martirológio postiço. A Liberdade e o livre confronto com as outras correntes de pensamento foi o grande mecanismo da sua inexorável decadência e definhamento. como em França e em Espanha, onde desceram de divisão e na Itália onde até tiveram que adoptar uma estratégia de travesti. Cá, estão com uma agonia mais lenta, funcionando a ignorância do seu eleitorado como terapêutica de cuidados continuados, que só atrasa o momento da morte inevitável.

  3. joroca diz:

    Oh charamba tem visto as pequenas noticias que têem dado do PCP!? Elas são pequenas, mas referem-se a grandes acontecimentos que aos média capitalistas, não interessa mostrar… Mas elas existem! Talvez por isso o senhor esteja errado, porque lê e acredita apenas naquilo que lhe dão a ler…

  4. João Espinho diz:

    @joroca – a importância dos factos que ao PCP interessa destacar, ninguém contesta. O que falta ao PCP não é visibilidade ou que os media capitalistas lhe dê honras de prime time. Ao PCP falta a prática democrática, entre outras falhas, para que alguém o leve a sério. Tem cerca de 10% de eleitores? Pois é, também Hitler conquistou o poder por via do voto popular. Coisas da vida!

  5. Joroca diz:

    Os senhores é que podem dar lições de democracia!! Não sei se sabe, mas é no seu partido que se encontra o maior fascista e antidemocrata português e chefe de um governo regional! Sabe quem é!? Não sabe!? Acho que não lhe preciso de dizer… para além desse ainda têem um senhor dito Rio que no Porto actua como autista contra a população e tomando medidas contra a própria lei, não se importanto de levar tudo e todos à frente! Não sou eu que o digo, mas um tal de Júdice que é capaz de nestas coisas ser mais imparcial que eu… para já não falar na perseguição política que é feita ao PCP no Porto, digna de outros tempos! Caro João Espinho, que eu saiba não é o PCP que ate hpje criou Presidentes que câmara que se tornam verdadeiros ditadores de burgos, baseando-se no culto da própria personalidade! Olhe sr. João Espinho acho que os senhores não podem dar lições de democracia a nínguem! O senhor sustenta-se em factos, pouco históricos, para fazer crer que se o PCP tivesse chegado ao poder instalar-se-ia uma nova ditadura em portugal, uma ditadura de esquerda! Mas o que não consegue o senhor e os que defendem essa tese, perceber é que ela é sustentada num “Se” e um “Se” é sempre isso mesmo… A história faz-se de factos, ou seja acontecimentos e não de hipóteses! E o facto é que o Povo passados 34 anos de Liberdade, para a qual o PCP lutou – já era partido em Portugal antes de outros o serem! – quase que sozinho, funcionando como a mais organizada luta contra o Regime, encontra-se descontente e farto do seu partido e do outro partido gémeo do seu que está no poder!

Deixe Uma Resposta