Abr 01 2008

PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE BEJA

Publicado por as 17:47 em A minha cidade

Deixo aqui o ponto 10 do estudo apresentado hoje em Beja.
Creio que a CMB irá disponibilizar no seu site o referido plano.
A discussão pública está aberta.

PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE BEJA

10. Diagnóstico e Conclusões
Ao nível do diagnóstico é possível reter os seguintes aspectos mais relevantes:
− Verifica-se que o transporte individual é de longe o modo mais utilizado nas deslocações casa emprego, com cerca de 56% do total, seguido do modo pedonal, cerca de 35% e do TC rodoviário, cerca de 6%;
− É possível concluir através dos indicadores globais de saturação que na generalidade não existem problemas de congestionamento rodoviário;
− As duas carreiras urbanas possuem uma procura global de cerca de 1400 passageiros diários, o que se pode considerar como um valor satisfatório;
− Genericamente, face aos dados disponíveis, os objectivos traçados no Estudo de Ordenamento da Circulação e Estacionamento foram atingidos, conseguindo-se aumentar substancialmente a oferta na zona mais central da cidade através da abertura dos referidos parques e, por outro lado, aumentar a rotação do estacionamento nas zonas vocacionadas para uma ocupação de curta duração;
− Ao nível da circulação pedonal, verifica-se que o grau de compacidade da cidade favorece as viagens a pé, particularmente no centro histórico;
− Verifica-se também um aumento do peso da população idosa acompanhado por um crescimento tanto da taxa de ocupação, como de um crescimento demográfico moderado.

Num âmbito mais propositivo, foram estudadas a possibilidade alteração dos sentidos da rua Dr. Aresta Branco, assim como a qualidade das ligações entre um conjunto de centróides exteriores e de pólos geradores.
Relativamente à inversão de sentidos na rua Dr. Aresta Branco, os resultados obtidos a partir do modelo revelaram-se inconclusivos. Relativamente à ligação entre os vários centróides e pólos geradores, apesar de se verificarem desvios importantes face às performances em vazio, os tempos de percurso associados são suficientemente reduzidos para se poder considerar que a qualidade destes percursos será no mínimo razoável.
Começou também nesta fase a ser definido um modelo global que permita monitorizar a sustentabilidade da mobilidade em Beja. Este modelo, uma vez que irá incorporar indicadores a serem construídos ao longo do desenvolvimento do estudo, só será concluído na última fase. Para a estruturação e configuração do mesmo, adoptou-se a estrutura definida pela OCDE do modelo Pressão-Estado-Resposta.
Ao nível dos próximos desenvolvimentos do estudo, e estando já construídas as ferramentas de análise que serviram para este diagnóstico, avançar-se-á nos seguintes domínios:
− Definição de um processo de apresentação de medidas e sua aceitação pelos vários stakeholders;
− Análises mais detalhadas ao nível da circulação rodoviária, nomeadamente no caso da rua Dr. Aresta Branco, ou outras de soluções de reordenamento viário no centro histórico e do seu impacte na circulação.”

Share

10 Resposta a “PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE BEJA”

  1. João Barros diz:

    não sei se ria ou se chore…. alias tem toda a lógica afunilar o transito todo no largo de santa maria quando a rua dr aresta branco podia ser um veio de saida da mesma…

  2. João Espinho diz:

    A intenção da CMB, tanto quanto sei, é inverter a actual situação da Rua Dr Aresta Branco.

  3. Druida diz:

    Deve ser engenheiro!

  4. @que não és preso diz:

    No meu caso particular, utilizo o automovel porque tenho que levar os putos à escola, caso contrário utilizaria os transportes públicos.O projecto que CMB tem para concentrar os alunos do 1ª ciclo com os restantes, vai aumentar a necessidade de utilização do carro particular, este é um erro estratégico, que se vai pagar bem caro!
    cumprimentos

  5. zig diz:

    Lá vai a minha antiga Rua da Guia sofrer as consequências deste “desafunilamento”…

  6. Charlie diz:

    Chegaram de longe e iluminados
    As mentes regressadas à Terra.
    Não essa, de planeta nomeado
    Mas às ruas, de casas e pedras

    Às voltas achadas de antanho
    Por Bem de juntar o povoado
    Acharam sob luz de seu tamanho
    Se perderem em erros do passado

    E toca de trocar as voltas
    Em frente passou ser p´ra trás
    O ir fugiu todo da Praça
    – P´ra melhor- sorriu-se num cartaz

    E foi dado o tempo ao tempo
    – Toda a obra nasce Prima incompleta –
    mais sinal aqui e outro ao vento
    Sem rima, nem branca, nem poeta

    E foi o tempo andando
    Cansado do tempo passado
    As luzes dos olhos se apagando
    Da luz que apagou o povoado

    E as pedras de histórias escritas
    pelos passos das vidas de sempre
    gritaram de novo pela vida
    nessas voltas que d´ antanho o Hoje merece

    E eis que de Velhas renascidas
    As voltas que de Novas lhe chamam
    Reclamam por ter sido esquecida
    A Verdade que de antiga é tamanha:

    “Não há caminhar mais certo
    Nem volta que tenha menos cruzes
    Que o andar que desenha um cego
    No mapa do andar sem luzes”

  7. Vigilante diz:

    Mas quem são estas cavalgaduras que vem de Lisboa ensinar á gente como é que se ordena o trânsito?
    Aposto que são os perigosos comunistas que ainda por cima dizem bem da cidade de Beja, e não dizem mal da CM Beja nem do ordenamento do trânsito, é claro que só podem ser comunistas. Ainda por cima, se forem ver quem dirige esta equipa técnica é um tal de José Manuel Viegas que nunca ninguem ouviu falar, e é feito por investigadores de um tal Instituto Superior Técnico, que como toda a gente sabe, é uma daquelas escolas que faz entre outros técnicos, engenheiros num fim de semana com provas de Ingles Técnico enviadas por fax.
    isto só pode ser obra de perigosos comunistas.

  8. João Espinho diz:

    @vigilante – essa não pega!

  9. Druida diz:

    Muito bem metida Vigilante!

  10. João Espinho diz:

    @druida – não se viu nada!

Deixe Uma Resposta