Abr 08 2008

Maus caminhos

Publicado por as 9:00 em A minha cidade

despertar-mata-basquetebol.jpg

Há crise na secção de basquetebol do Despertar. Fala-se em extinção, no fim do basquetebol naquele clube bejense. A confirmar-se, o Despertar segue as pegadas do seu rival da Rua do Sembrano. Que não são nada boas.
É pena.

Share

6 Resposta a “Maus caminhos”

  1. Mário Nogueira diz:

    Infelizmente, todo o desporto que não seja futebol neste país passa sempre dificuldades. Não será caso único.

  2. H V&P diz:

    MárioNogueira: porquê excluir o futebol?

  3. Mário Nogueira diz:

    Pq para o futebol há sempre mais interesse (leia-se dinheiro). Na minha passagem pelo Desporto as dificuldades sempre nos acompanharam; a sobrevivência dependia da boa vontade dos atletas e familiares. Olhando para o lado, víamos os escalões de formação de futebol em autocarros próprios. E, claro, na segunda-feira depois da competição bem que podíamos procurar resultados nos jornais desportivos; lá estavam os distritais e formação de futebol. O resto? Nem pó…

    Por isso digo que neste país, só o futebol se desenrasca…

  4. manuel de jesus diz:

    Isto remete-nos para a velha polémica entre o futebol (que tudo come) e as outras modalidades desportivas.
    Acaba-se com o basquetebol em detrimento de quê?
    É questionável ?
    Não será importante para o clube e para a cidade manter esta modalidade, não se pode descurar de ânimo leve
    os jovens que neste momento estão a praticar esta modalidade.
    Falo com conhecimento de causa porque neste momento o meu filho João pratica esta modalidade no Despertar.
    Por ironia foi para o basquete porque não “cabia” com 10 anos de idade naquilo que eu pensava ainda que era a família despertariana, isto no futebol.
    Engano meu ! E que engano…
    Também fui atleta no Despertar, isto nos anos oitenta do século passado, tive a honra de conhecer e privar com velhos despertarianos. Homens bons, vinham de um tempo em que o futebol era uma escola de valores, um espaço de alegria e fraternidade e onde se faziam e consolidavam amizades que perduravam pela vida fora. Hoje o Despertar subsitituiu esses valores por coisas efémeras sem nome e consistência na formação das personalidades.
    A criança que não é inscrita e que vem de lágrima no olho, o horror de ser preterido ao outro, o espirito competitivo que lhes é imposto, e mais grave ainda a atitude de alguns pais que deveriam repensar a sua forma de estar, penso que estão a prejudicar os filhos talvez sem darem por isso. Meditem um pouco.
    O futebol obrigatóriamente tem que ser fonte de alegria e não de tristeza, isto é da elementar pedagogia desportiva, uma outra mentalidade preside hoje aos destinos do Despertar, uma mentalidade redutora, inconsistente e tacanha, como é apanágio dos tempos que correm.
    Mas nem tudo são espinhos, meritório o trabalho que está a ser desenvolvido ao nível dos escalões etários mais baixos, onde ainda não existe essse espirito competitivo. Faço o acompanhamento semanal do meu filho Francisco que integra as escolinhas do velho “rasga a roupa” onde observo e vos digo que existem jovens de muito talento a orientar estas crianças (e não só nestes escalões) , jovens treinadores que têm presente a vertente humana e não a descuram, se o futebol servir apenas para unir as pessoas então já vale a pena andar nele.
    E por favor tenham o bom senso e não deixem acabar o basquete no Despertar.

  5. @que não és preso diz:

    Assino por baixo do texto de Manuel de Jesus.
    A formação do futebol do despertar, terá que ser repensada.
    O meu filho também lá andou ( 2 Meses ).
    Despertar , nunca mais !
    Relativamente ao basquet, é com enorme pena que vejo desaparecer a secção, a modalidade não pode acabar na cidade, certamente haverá outro clube onde serão bem recebidos.
    Os dois não fazem um ! ( Despertar e Desportivo )

  6. RCataluna diz:

    Faço votos de que as coisas se resolvam da melhor maneira.

Deixe Uma Resposta