Jun 03 2007

G8

Publicado por as 12:25 em Geral

AD618F9Bdpa.jpg

Share

14 Resposta a “G8”

  1. João Barros diz:

    Depois de um destes jovens levam com uma bala de borracha veem-se queixar que a policia e muito violenta… Isto é e malta que nao tem mais nada que fazer é o que é…

  2. zig diz:

    Isto já não tem nada a ver com manifestações, vão para lá só para causar distúrbios!

  3. celtiberix diz:

    “…incendiaram veículos de particulares e destruiram estabelecimentos comerciais.” Mas será que alguém tem dúvidas de que os estabelecimentos comerciais e os automóveis estavam lá ao serviço das poderosas forças capitalistas?
    AH! “Gandas” heróis!
    (de certeza que não estava lá o carrinho do papá)

  4. Bruno diz:

    Estes são os tipos que descobriram que a terra é finalmente redonda para lutarem contra a globalização!

  5. DarthLion diz:

    Acho bem que se denunciem violentos e agitadores.

    Pena é que estes só representem uma pequena (mas perigosa) quantidade dos manifestantes.

    É fácil fotografar uns brutamontes e dizer que todos são iguais.

    É fácil dizer que todas as mulheres conduzem mal, só porque vimos uma a estacionar mal.

    É fácil a um Francês/Alemão/Inglês/Estado Unidense… dizer que todos os Portugueses são Porcos, incivilizados e que batem na Mulher, só porque viram um na televisão dos preconceitos.

  6. DarthLion diz:

    O Preconceito tem uma forma muito simples de funcional.

    Primeiro acredita-se, depois confirma-se.

    Se virmos algo que pensamos confirmar o nosso preconceito , então é a prova da nossa razão.

    Se virmos algo que contraria o nosso preconceito, então, ou não queremos ver, ou dizemos que é a excepção que confirma a regra.

  7. DarthLion diz:

    Já agora o meu preconceito…

    E as negociatas criminosas que esses parasitas do povo fazem em nome dos povos que os elegeram e de todos os outros que não os elegeram?

    Disso não se fala ?

    Só de uns poucos manifestantes no meio de uma manifestação que se pretendia pacífica?

    Já agora. Quem do sangue dos mortos que esses lideres da G8 têm nas mãos?
    Iraque/Afeganistão/Tchetchena ….
    E não falo apenas dos soldados mortos (de ambos os lados).
    Falo principalmente dos civis, que não votaram neles, mas que a sua terra foi invadida com as bombas desses assassinos.

    E dos negócios milionários com ditadores déspotas, apenas para garantirem grandiosos lucros com os recursos de países do terceiro mundo ?

    Países desenvolvidos, que deixaram Portugal quase 50 anos debaixo de uma ditadura fascista, preferindo negociar (negócios) com os fascistas, a efectivamente combater a ditadura.

    Foi preciso uma revolução do próprio povo (exercito também conta como povo) para derrubar o regime.

    Pena que os media, só fotografem os violentos.

    Pena que os media não queiram saber das manifestações pacificas.

    Pena que os media não sejam capazes de (ou não queiram) denunciar os crimes e negociatas dos senhores do mundo (G8).

    Pena eu ser anarquista, e ver como o mundo é roubado e ainda acusam os que foram roubados de ladrões.

  8. DarthLion diz:

    O meu texto anterior está uma porcaria cheia de erros.

    Pena que eu não tenha feito preview antes de postar.

  9. João Barros diz:

    @DarthLion – tirando os ortograficos que esses nao discuto, mas em termos politicos podes começar por este “que deixaram Portugal quase 50 anos debaixo de uma ditadura fascista, preferindo negociar”
    que ainda hoje alguem me esplica onde ouve fascimo em Portugal, não que eu seja a favor de ditaduras (por isso e por outros motivos sai a pouco tempo de portugal, mas dessa ditadura estariamos aqui meses a discutir), mas voltando ao erro enorme que proclamas, em portugal nao ouve fascimo, alias o sistema politico implementado em portugal foi unico no mundo, se foi bom ou mau tb nao discuto, mas dai a venderem o peixe de fascimo ainda vai uma grande diferença…
    houve perseguiçoes, sim houve, houve torturas, sim ouve, ouve fascimos, sim houve mas so na cabeça dos comunas que ainda hoje acreditam nisso… alias os comunas tambem acreditam em muita coisa que não lembra a ninguem, nem ao Francisco Anacleto acredita… epa digam que o pai natal ou o coelhinho da pascoa existem, mas não me venham com essa cassete riscada de que fascimo e fascistas bla bla bla que ja enjoa…

    Nota de rodapé: vamos la ver quanto tempo levam para me começar a chamar fascita… esta a contar o tempo

  10. DarthLion diz:

    @NikonMan

    O Estado Novo foi uma ditadura de extrema direita, ultra Liberal, fundamentalisma Católica.

    Copiou em muito, os pricipios do próprio Mossulini.

    As Corporações tinham um papel determinante na economia e orientações politico/sociais.

    Foi feita uma concordata com o vaticano(que tanto adoro), tal como na Itália.

    O próprio conceito “Deus Pátria e Família” define o Estado novo como fascista.

    Nunca o acusaria de Fascista, até pelo simples facto de aceitar o conflito de ideias, e sentir-se identificado com a democracia representativa.

    Para mim enquadro-o como liberar de centro-direita, tal como os seus colegas do PPD.

    Quanto a haver gente que “acredita em muita coisa”

    Acho mais credivel muitas utopias de Esquerda, do que acreditar num Deus que não se vê, que não se manifesta, que é invisivel e atermico. E que supostamente teve um filho que montou uma padaria sem precisar de farinha(multiplicação do pão), foi morto, e que depois (segundo testemunhas) voltou para o mundo dos vivos, tendo finalmente descolado em direcção ao céu.

  11. nikonman diz:

    @darth – julgo que essa resposta é para o J. Barros.

  12. João Barros diz:

    @Nikonman – O jovem ja esta baralhado

    @Dart – e um facto copiou quase tudo, falta o quase, estares quase a saltar de um precipicio não implica que ja tenhas saltado, mas passo a explicar melhor com umas informações que podes procura na simples wikipedia

    Resumidamente, o que é o Estado Novo?

    O Estado Novo (1933-1974) é um regime autoritário, corporativista, conservador, tradicionalista, colonialista, nacionalista, anti-liberal, anti-parlamentar, anti-comunista, anti-democrático e repressivo (apoiado na PIDE) instituído sob a direcção de António de Oliveira Salazar, um conservador e tradicionalista católico influenciado muito por Charles Maurras e pelas encíclicas do Papa Leão XIII (especialmente o Rerum Novarum) e de outros Papas. O regime apoia-se na censura, na propaganda, nas organizações juvenis (Mocidade Portuguesa), nas organizações paramilitares (Legião Portuguesa), no culto do Chefe e na ideologia católica.

    O Estado Novo apresenta muitos aspectos semelhantes aos regimes instituídos por Benito Mussolini na Itália, Getúlio Vargas no Brasil e por Adolf Hitler na Alemanha, mas o Estado Novo não é verdadeiramente um regime fascista visto que apresentava significativas diferenças em relação a estes regimes e Salazar nunca afirmou que o regime criado por ele era um regime fascista. Pode-se dizer que é um regime quasi-fascista ou melhor ainda, um regime autoritário e corporativo de inspiração integralista (“nacionalismo integral”) e fascista. O Estado Novo, com as suas características, é um regime político único no Mundo, só existente em Portugal.

    Algumas vezes, o Estado Novo é simplesmente chamado de República Corporativa (II República) devido à sua principal característica: o corporativismo. Salazar dava muita importância ao corporativismo e tentava implantá-lo totalmente em Portugal.

    sei que é longo mas talvez te responda, epa se não responder mete a rolha que isso passa…

  13. DarthLion diz:

    @ Nikonman
    Tem razão, desculpe o meu lapso.
    É o hábito de me meter consigo. 🙂

    @João Barros
    Adorei a sua explicação.
    Demonstra um nível elevado de conhecimento e eloquência.

    Quanto ao facto de ser ou não fascismo.

    Bastava Salazar ter referido o seu regime como uma forma de fascismo, e esta discussão ficaria desprovida de sentido.

    Viríamos o Estado Novo como mais uma variante de Fascismo diferente no regime Nazi ou Franquista, tal como distinguimos entre Leninismo, Stalinismo e Maoismo.

    penso que só não o fez por perceber que tal seria um erro de estratégia politica, prevendo um desfecho trágico para os outros fascismos.

    De qualquer forma , para um prisioneiro da PIDE, tal distinção não estaria na sua mente , no momento de levar uma carga de porrada

  14. nikonman diz:

    @darth – ainda não dei por isso!

Deixe Uma Resposta