Jun 08 2007

INDUSTRIAIS CHINESES EM BEJA

Publicado por as 8:40 em A minha cidade

A nossa cidade é hoje visitada por uma delegação da República Popular da China. Esta visita realiza-se, de acordo com a RVP, “no âmbito da estratégia de promoção e desenvolvimento das relações de amizade e cooperação entre o nosso país e a República Popular da China”.
Espera-se a apresentação dos novos produtos que têm origem naquela economia emergente.

falsidades china3.jpg

(fotos via www.hemmy.net)

falsidades china1.jpg

falsidades china2.jpg

Share

15 Resposta a “INDUSTRIAIS CHINESES EM BEJA”

  1. Charlie diz:

    Os emergentes Chineses em Portugal, um país de economia submersa.
    Dá que pensar…

  2. Anónimo diz:

    Esta ideia de trazer esses “investimentos” chineses é a coisa mais estupida que já vi esta camara tentar fazer, por 1001 razões… Espero que seja um fracasso completo esta estupidez.

  3. mad diz:

    Assim já deu para perceber de onde nasceu o “Beija” (…aqui a ver se eu deixo).

  4. Joao Barros diz:

    epa se investem e porque investem se nao investem e porque nao investem… acho que de uma vez por todas, DECIDAM-SE
    Nao digo se e bom se e mau, agora quando pinga alguma coisa, e logo problemas por aqui e por acola… talvez seja por isso que o alentejo esta no abandono que esta…

  5. nikonman diz:

    @j barros – diga-me lá onde é que os chineses pingam alguma coisa que eu vou logo lá a correr e rogar para que venham para o alentejo.

  6. Sara Mourinho diz:

    Mais chineses em Beja?!!
    Devem de achar q ainda são poucos…chiça!
    E a comercializar produtos c/os das fotos, minha nossa!Para q é aquelas ‘marcas’ impressas nos produtos?!!Devem de achar q os portugueses, mais concretamente os alentejanos são burros, ou não sabem ler!!…
    Mais valia q não colocassem nada escrito, e até aposto q se vendiam melhor…p’lo menos os ténis, roupas, sei lá!As pilhas sempre passam, desde q funcionem…Pergunto-me, quem irá usar uns ténis a dizer ‘Pmua’ ou ‘Daiads’?!…Qualquer dia, nos restaurantes chineses onde na ementa diz: ‘Sopa de barbatana de tubarão’, virá a descrição ‘Sopa de arbatanab de urabãot’, isto pq, já não devemos estar a comer barbatana de tubarão, mas um outro peixe parecido e falsificado!…Afinal, o que conta é ‘comprar gato por lebre’!…Ou será ‘comer gato por lebre’?!!Livra…

  7. Joao Barros diz:

    @nikonman – eu sou favoravel ao desenvolvimento de uma regiao, uma coisa puxa a outra, ate podem vir os trabalhadores da china, mas directa ou indirectamente vao ter de consumir alguma coisa ca, mais nao seja a eletricidade e a agua, sempre tem de pingar qualquer coisa, ou sera preferivel manter uma regiao onde as industrias rocam niveis perto do 0?
    compreendo que o negocio deles e a mao de obra barata (talvez tenham levado as palavras do ministro manuel pinho mais a serio) ou talvez nao… talvez seja preferivel irem abancar para outro lado… vendo bem as coisas…

    Posso dar a titulo de exemplo o pais onde me encontro, irlanda, so em dublin ha cerca de 140 mil polacos, 40 mil espanhois e 40 mil italianos, as 3 maiores comunidades… a maioria da mao de obra especializada vem de fora, mao de obra especializada irlandesa e uma raridade… se tivessem pensado, nao vamos criar condicoes para as empresas estrangeiras virem para ca para trazerem a mao de obra deles para ca, talvez ainda hoje estivessem com um desenvolvimento perto de… leste, ou mesmo um pais africano…

    bem sei que qualquer semelhanca entre o codigo de trabalho chines e um memorando num cubo de gelo e pura ou mera coincidencia, mas dai a dizer nao a possibilidade de ter algo que se necessita e nao se tem que e a industria e estar a ser exigente de mais. Nao tenho nada, mas se me oferecerem ou me dao o melhor ou nao quero, e mais ou menos como estou a ver este caso

  8. Joao Barros diz:

    Esqueci-me de mencionar, mas o distrito de dublin tem cerca de 1,2 milhoes de habitantes, e que a cidade de dublin tem cerca de 600 000 para que se tenha em conta as proporcoes dos numeros referidos no post anterior

  9. Anónimo diz:

    A seu tempo todos começm a perceber as verdadeiras motivações do nikonman…está a lá chegar sr. João Barros, está a lá chegar…

  10. nikonman diz:

    @joão barros – é bom que se distingam as situações: na Irlanda são trabalhadores especializados que procuram uma oportunidade. No caso de Beja são “industriais” que procuram aqui a porta que lhes tem sido encerrada em vários países da Europa. E não se esqueça disto: o espaço que for ocupado pela indústria chinesa dificilmente irá parar às mãos de industrias que tragam mais-valias para a região. Por outras palavras: a instalação de empresas chinesas afasta outras que, essas sim, poderão criar postos de trabalhos e deixar aqui os seus impostos.

  11. nikonman diz:

    @anónimo/a – pensei que você só vinha aqui para ver o “estado da confusão”. Afinal, anda mas é à procura de papões e de figuras sinistras que lhe assombram o dia-a-dia! Valha-me a santa paciência.

  12. Joao Barros diz:

    @Nikonman – nem toda a mao de obra e especializada, mais de 90% dos polacos, a titulo de exemplo, nao e mao de obra especializada, ha muita mao de obra espanhola e italiana que tambem nao e especializa…

    @Anonymous – fel portugues e deixe-se de rodeios, falar por meias palavras nao e bem a minha especialidade… mas posso dizer-lhe desde ja que partilho de muitas das opinioes expressas neste blog, talvez se algumas fossem ouvidas a cidade nao estivesse tao parada e tao amorfa como se encontra. Agora meu caro/a, como em tudo na vida, tambem posso discordar de algumas opinioes e ter as minhas proprias. Ao menos nao sou como alguns que ainda lutam por ideais dos finais do seculo 20, e que lutam nao por abrir os horizontes mas sim em manter os oculos de Alcanena (para quem nao percebe, e mesmo as palas colocadas olhos do burros)…

  13. Asdruble diz:

    O pior é que os chineses quando montam um estaminé dificilmente empregam portugueses, e os produtos vendidos também não são fabricados em Portugal!
    é impossivel concorrer com eles em preços, apesar da qualidade dos nosso produtos ser muito superior!
    O comercio do distrito de Beja ja era fraco, e com a chegada dos chineses esta muito pior, e quantos mais chegarem mais piora!

  14. João Barros diz:

    mas o comercio em beja sempre pecou por pôr a culpa em tudo, quando foram os hipermercados foram os hipermercados, quando foram os chineses e porque foram os chineses, e que tal, nao sei digo eu, ir em busca de uma melhor qualidade vrs oferta a população de forma a mudar um pouco o rumo das coisas? eu bem sei que isso não parte so do comercio, tambem parte da autarquia (existe isso em beja?)… mas ficar de braços cruzados a sombra da bananeira a espera que algo aconteça e que alguem faça algo entao bem podem esperar sentados… se não formos nós a ir em busca de algo, esse algo não vem ter connosco de certeza absoluta… as coisas não caiem do céu…

  15. Charlie diz:

    Lembro-me bem de como uma onda derruba e leva por diante o castelo de areia por mais bem que ele esteja construído. Até as lojas dentro dos Hipers tem de dar parte dos lucros ao oceano, e se o negócio for bom, deixa estar que o Patrão do Mar monta um estaminé igual para concorrer até a lojinha rebentar.

Deixe Uma Resposta