Mai 23 2007

Estratégias e enigmas

Publicado por as 0:15 em Crónicas

(crónica publicada no Correio Alentejo – 18/Maio/2007)

As últimas semanas foram recheadas de acontecimentos que colocam a nu a desorientação e muito do que é, na verdade, o executivo camarário bejense.
Chegámos a um ponto em que já não é possível a moderação nas críticas e em que se torna difícil encontrar os adjectivos adequados, pois a estratégia (se existe) é absurda, ilógica e bastas vezes contraditória.
Saliento tão só três aspectos reveladores:

1º – Desconheço quem tenha sido o criativo que colou ao nome da nossa cidade mais uma vogal, transformando a velha Pax Júlia numa aparentemente pós-moderna coisas%20ridiculas%20em%20beja.jpg. Não sei se foi para fazer a evocação do beijo e, se o foi, que tipo de beijo se quis evocar. Aquele que identificamos com o amor, a amizade ou, antes pelo contrário, aquele que nos recorda a traição e a hipocrisia? Será que é um beijo na testa, sinal de respeito, ou antes um daqueles que se trocam entre amantes apaixonados?
Mas tudo isto poderia até ser muito apelativo em termos de marketing – vender a imagem de uma cidade onde anda tudo aos beijos e aos abraços, o que seria vender gato por lebre – seria excelente, escrevia eu, não fosse a idiotice de o inovador logótipo nos mandar beijar ovinos ou bovinos, só porque a cidade se encontrava a festejar a Ovibeja. Não se trata aqui de “gostos não se discutem”, pois é a marca de uma cidade que, afinal, poucos beijos tem para oferecer e os que lhe restam são distribuídos em círculo restrito e, invariavelmente, aos afilhados, familiares e amigos desse círculo.
À falta de bom gosto aliou-se agora o equívoco. E o símbolo perdurará como mais uma má chancela deste executivo camarário.

2º – O executivo tem o poder de atribuir as medalhas e insígnias que muito bem lhe apetece e a quem entende dever fazê-lo, assim como dispõe da ferramenta que rejeita qualquer proposta de entregar esses mesmos galardões. Se no primeiro caso somos informados das razões que levam a medalhar esta personalidade ou aquela instituição, já quando se nega essa distinção a argumentação é nula – o silêncio dos inocentes – ou peca por enganosa.
A rejeição de atribuir à Força Aérea Portuguesa a Chave de Honra da Cidade tem contornos ainda não explicados e as razões apontadas não têm fundamento. Da parte dos autarcas do Partido Comunista ficámos a saber, numa primeira fase, que essa distinção só havia sido dada a Presidentes da República. Como deverão ter reconhecido que o argumento cairia por não ter sustentabilidade, recorreram os vereadores comunistas à expressão “não nos pronunciamos sobre o assunto”, numa prática muito habitual quando não se sabe o que se há-de dizer ou não se quer dizer aquilo que se pensa. Certamente que o facto de a proposta ter sido apresentada pelo PSD – a única força que faz oposição – pesou na decisão. Assim como terá pesado o facto de os executivos gostarem de agraciar os seus mais próximos, da região ou da cor, salpicando aqui e acolá com alguns divergentes para dar a impressão de independência. Não terá sido sempre assim, mas foram bastas as vezes que foi isso que se percebeu.
A proposta feita pelo PSD em Assembleia Municipal, que foi reprovada também pelos vereadores do Partido Socialista, tinha como único objectivo testemunhar simbolicamente àquele ramo das Forças Armadas Portuguesas como a cidade abria as suas portas e agradecia à FAP o facto de esta ter escolhido a nossa cidade para aqui comemorar o seu 55º Aniversário. Comemorações estas que levarão o nome da cidade a todos os meios de comunicação social – nacional e internacional – e que trarão até nós largas dezenas de milhar de forasteiros. O PCP, a que se aliou a vereação socialista, assim não o entendeu. As razões? São um enigma que, espero, em breve seja resolvido.

3º – O caso conhecido como “a chacina do canil municipal de Beja”, deveria encher de vergonha quem autoriza que se abatam animais sem cuidar que aos mesmos seja poupado maior sofrimento do que aquele a que já estão sujeitos. A resposta da Câmara Municipal de Beja aos protestos que foram surgindo por parte de Associações de Defesa dos Direitos dos Animais, a que se juntaram muitos blogs, transferindo a suposta culpa para uma veterinária municipal, mostra bem o perfil de quem não sabe lidar com as adversidades. Não basta ao Presidente da Câmara vir dizer-nos que desconhece como se devem abater os animais que estão no Canil Municipal e é muito fácil atribuir aos jornais e às rádios – desta vez esqueceu-se dos blogs – a responsabilidade da chacina que se verificou em Março passado. Cabe a um Presidente da Câmara – e o de Beja tem responsabilidades acrescidas por ter chamado a si a maior parte dos pelouros – fazer-se rodear de gente tecnicamente competente e que em todas as ocasiões disponibilizem um aconselhamento que permita ao responsável máximo pela autarquia poder responder pelos seus serviços. Mas quando nos rodeamos não pelos competentes mas pelos que promovemos por outras razões, o resultado não pode ser bom.
E os últimos dias são disso prova.

Os três casos que apresentei não são irreversíveis.
O logótipo coisas%20ridiculas%20em%20beja.jpg pode vir a ficar esquecido numa gaveta da gráfica, a FAP pode vir a ser honrada com a Chave de Ouro da cidade e as práticas no canil municipal certamente que irão conhecer outro rumo.
Para tal, basta que haja bom senso.
Cá estamos para ver.

Share

14 Resposta a “Estratégias e enigmas”

  1. bejense diz:

    como gosto de ser do contra:

    1- nao acredito q o presidente ou alguem da camara (a nao ser alguem muito mal formado) tenha explicitamente ordenado q se abatam os animais com crueldade, desculpem mas nao acredito, mais n acredito q o homem (ou os homens) depois de saber o q se passava n tenham tomado medidas para minorar/modificar tais practicas. se isso n aconteceu entao ha razao pra a critica da gestao se n a apenas lugar a critica da pratica per si.

    2-A campanha

  2. nikonman diz:

    @bejense – o seu 3. ponto tem tanta barbaridade escrita que nem vale a pena demonstrar-lhe o contrário. Louvo-lhe a capacidade de ser bárbaro em tão poucas linhas. Mais: faltam-lhe ainda, contudo, umas boas setas para ser um verdadeiro índio.

  3. bejense diz:

    quer dizer q concorda com as 2 primeiras?! 😉

    quanto a 3a… eu nao tenho nada contra as FAP, nao me parece e q recebam a chave de todas as cidades em q realizam o festival 😉 (se nao teriam ja bue da chaves :D)

    e acho estranho uma comunidade nao discutir/comentar/postar nada sobre a vinda da manutencao da tap pra beja…

    e tb SEI q a convivencia dentro do aeroporto de beja entre valencias civis e militares (estou a falar em termos de estrelas nas divisas) nao e desejada pelos militares (por razoes obvias) se é verdade nao sei, so sei q uma pessoa de minha confianca que janta com um ***, me disse a respeito do aeroporto civil de beja em tom de gozo:

  4. nikonman diz:

    @bejense – não comento disparates.
    Mas tenho que lhe perguntar uma coisa relativamente à TAP-ME: você sabe qual é o futuro da TAP se o aeroporto for efectivamente para a OTA? Já leu os estudos que pintam de negro o futuro da TAP quando esta começar a sofrer a concorrência das low-cost? E você não acha que a ideia da TAP-ME em Beja carece de mais explicações? Eu não sou daqueles que correm a aplaudir os anúncios de “coisas” que vêm para Beja. Deixei de acreditar em milagres há muitos anos.

  5. Asdruble diz:

    Conhecem o caso de Almodôvar??

    http://asdruble.wordpress.com/2007/05/23/ainda-ha-gente-que-nao-ouvio-falar-em-direitos-dos-animais/

  6. Bejense diz:

    o PSd, enquanto governo,realizou e pagou estudos em q tudo apontava para a ota com a qual concordavam, agora estao a fazer um pe de vento so pq tem de falar mal pq estao na oposicao, a isso chama-se POLITICA e eu, tb, nao comento esses disparates

  7. nikonman diz:

    @bejense – e o facto de o PSD ter errado obriga-me a ter que estar de acordo com os erros? Isso é que é política, meu caro. Eu cá, quando não estou de acordo não tenho por hábito olhar para o lado a ver quem é que poderá estar de acordo comigo, certo?

  8. bejense diz:

    caro nikonman

    nem eu nem voce nem 99,9% da populacao portuguesa conhecem os estudos tecnicos da ota, e mesmo q os conhececem nao estavam habilitados a perceber.

    O q acontece é q neste pais parece q somos todos Engº com dezenas de anos de experiencia em planeamento de infra-estruturas aeronauticas, somos todos treinadores de futebol etc etc

    qualquer miudo q instale o emule no seu pc para sacar umas musicas na net é tecnico de informatica e quem ler 3 livros este verao é promovido a intelectual com profundos conhecimentos de literatura…

    eu nunca fiz nenhum estudo tecnico sobre aeroportos, o que sei é o que a comunicacao social manda ca para fora e o que os politicos mandam dizer aos

  9. nikonman diz:

    @bejense – e aos costumes disse nada.

  10. bejense diz:

  11. nikonman diz:

    @bejense – qual verdade?

  12. outro "bejense" diz:

    @bejense

    Os indios que tanto defende matavam cães como nós matamos galinhas.

    Já que gosta tanto do novo logotipo da cidade, porque é que não faz uma ti-shirt tipo “Eu sou de beIja” e vai passear para lisboa. Se calhar até gostava, não sei porque mas cheira-me que você é muito dado à arte circense.

    Para quem mete no nick bejense nao parece ser da terra, ou então é ignorante e não vê que quanto mais se investir em Beja ou mesmo só falar na cidade é muito bom para a evolução da região.

    É claro que a manutenção da TAP se daria bem com a base militar, veja por exemplo a vontade de os alemães há uns anos atrás terem tido a vontade de montar uma fábrica de aviões na base.
    O maior problema é além de descrentalizar a TAP (tudo em Lisboa), traria mutios dos actuais trabalhadores para Beja e talvez não lhes apeteça vir para tão longe. O problema não é da FAP, veja-se por exemplo o aeroporto mais moderno de Portugal e um dos mais modernos do Mundo (Porto), a TAP não mete lá ninguém. Tudo em LX.
    Voos low Cost passarem para Beja tambem faz comichao aos alfacinhas.

    É óbvioo que se pode aproveitar o aeroporto de beja mesmo como alternativa ao de Lisboa e Faro.

    Há espaço para os aviões militares e civis em simultâneo.

    Caso não saiba, Beja é uma das alternativas à aterragem da space shuttle não só devido ao tamanho da pista mas também às condições climatéricas.

    Só é necessário um pouco de vontade e dinheiro para investir na zona.

    Com este tipo de gente não admira que os alentejanos sejam gozados por todo o país. E mesmo dentro do Alentejo os Bejenses são gozados pelo resto dos alentejanos.

    Não distinguem a Força Aérea mas toda a ciganada tem lugar de honra na cidade.
    Assinam protocolos com chineses sem sequer fazerem a mínima ideia das suas intenções.

    Já agora FAP’s só há uma, vá ler um bocadinho antes de abrir essa bocarra cheia de disparates.

  13. Bejense (o original) diz:

    @bejense contrafeito

    1)leia o q escrevi antes de vir vomitar para aqui, onde é que eu digo q gosto do

  14. nikonman diz:

    @bejense – o seu ponto 2. repete os disparates anteriores.
    Vejamos: existe um protocolo, assinado pelos Ministérios envolvidos, que define:
    – segurança das instalações (diga-me quais as comuns)
    – responsabilidade do controle de tráfego aéreo, etc…

    Parece-me que você não está a ver nem a Base Aérea, nem o projecto e muito menos onde vão ser edificadas as infraestruturas do aeroporto.
    Posso dizer-lhe mais: as obras a cargo da FAP são aquelas que, até agora, avançam a bom ritmo e estarão concluídas no prazo previsto.
    Não endosse para a FAP as culpas de atrasos e boicotes, pois a FAP tem colaborado e cooperado para que o Aeroporto avance.
    Sei que a EDAB não cuida da comunicação e informação, mas o desconhecimento do projecto é culpa de quem não está interessado em conhecê-lo.

Deixe Uma Resposta