Fev 11 2007

REFERENDO (act)

Publicado por as 21:35 em Geral

Referendo Nacional de 2007    11-02-2007 17 29 33.jpg
fonte: stape

Por este andar …… nem aos 40% se chega!

Actualização: em Beja o panorama é idêntico. A abstenção deverá ultrapassar os 60%.

As questões que se estão a colocar aos diversos comentaristas: o instituto referendo deve ser revisto?

Algumas mesas de voto em Beja tiveram participação superior aos 45%.
Projecção EUROSONDAGEM (SIC): Abstenção 55% a 57%
Projecção U.Católica (RTP): Abstenção 56% a 60%

ÀS 20H00
Projecção SIC: Sim 58 a 61% Não 38,2 a 42% Abstenção 54,6 a 57,4%

Projecção RTP: Sim 57 a 61% Não 39 a 43% Abstenção 56 a 60%

No Distrito de Beja – Resultados finais
Referendo Nacional de 2007    11-02-2007 20 49 29.jpg

No concelho de Beja – Resultados finais
Referendo Nacional de 2007    11-02-2007 20 27 10.jpg

Curiosidades no Distrito:
Aljustrel é o concelho que recolheu mais “Sim” (90, 41%)
Barrancos foi o concelho onde o “Sim” obteve menos votos (68,26%)

Curiosidades na cidade: Santiago Maior recolhe 86,48% Sim; S. João Baptista 74,45% no “Sim”.
No concelho, a freguesia de Cabeça Gorda foi a que recolheu mais SIM: 93,23%

Uma nota final: os corvos, como era de esperar, começaram a andar por aí! Com uma curiosidade: estão em ambos os lados. Os do “Sim” querem as cabeças de supostos derrotados. Os do “Não” pintam de negro o futuro da saúde em Portugal. Nem num assunto como o da IVG conseguem despir a capa de abutres.
Até dão dó!

Share

31 Resposta a “REFERENDO (act)”

  1. DarthLion diz:

    @Nikoman

    A confirmar-se uma fraca participação, é uma vergonha para o povo Português.

    1º Não querem saber da Democracia

    2º Os nossos políticos não fazem nada para combater essa abstenção, ficando no ar a ideia que até lhe dá jeito.

  2. DarthLion diz:

    Algumas medidas para combater a abstenção.

    1ª Permitir o voto em qualquer assembleia de voto no país.

    2ª Permitir formas alternativas de votação (Ex. Internet e SMS)

    Pode parecer ridículo o que proponho, mas já se fazem noutros países.
    Na Inglaterra já se vota por SMS.

    Com a Informática e a tecnologia de comunicação de hoje já seria fácil de fazer.

    O SR Sócrates tinha aqui uma oportunidade de ouro para mostrar o Simplex e o plano tecnológico em acção.

  3. DarthLion diz:

    Eu, tal como o Santana Lopes votei ás 8:00.

    Ele porque vinha da Night.

    Eu porque saí de serviço nos Bombeiros.

    Só espero que esta abstenção não se confirme, porque corremos o risco de a facção mais mobilizada ganhar isto.

  4. Anónimo diz:

    Encontrem desculpas… O povo está farto de politicos mentirosos. O castigo é as urnas às moscas e eles a falarem sózinhos…A democracia é bonita mas é em povos desenvolvidos, não por cá. Cá é a democracia do chico esperto…

  5. h diz:

    não votar, tb pode ser uma forma de mudar!!

  6. Anónimo diz:

    Parece, para já, que o povo não sente que a liberalização do aborto seja um dos principais problemas deste País e que se esteve c….do para o dito referendo. Agora atirem-nos areia para os olhos e digam que foi do tempo, quiçá do “aquecimento global” (tá na moda e dá para tudo!). LOL LOL

  7. DarthLion diz:

    @H

    Concordo plenamente contigo.

    Mas não basta não votar.
    È também preciso fazer mais qualquer coisa para mudar.

    Acção directa, também faz falta (não confundir com acção violenta)

  8. Profeta diz:

    Eu desta vez até votei por uma questão de consciência e por se tratar de um assunto em que considero importante expressar a minha opinião. Mas quando for para eleger políticos, aí sim, ficarei em casa pois são quase todos uns aldrabões e que não vão para lá com espírito de servir mas para se servir a si e à sua clientela política. E eu passei em 2006 por uma situação verdadeiramente inconcebível num país dito democrático, não tendo havido qualquer respeito pelas pessoas nem pelos seus direitos. E infelizmente este é um mal da “democracia” portuguesa. Também acho que a democracia deve ser um valor fundamental das sociedades desenvolvidas. Por cá temos apenas a democracia do “chico esperto” e essa não interessa a um país que se quer desenvolvido.

  9. trabalhador rural diz:

    parece que eu tinha razão quando disse a uns dias atraz que o resultado seria este.

  10. aldeão diz:

    Finalmente, parece que finalmente a questão se resolveu. Assim já não temos vergonha quando nos comparamos com a Europa.

    Nikonman,

    Desafio-o agora a verificar em que distritos o SIM teve maior expressão! Lembra-se do seu post sobre o PCP e o facto de aquele partido ter crido mais um movimento? Do lado do não criaram mais de uma dezena de movimentos. Isto de andar na política exige alguma tarimba.

  11. DarthLion diz:

    @aldeão

    È quase um século de tarimba. 🙂

    Já agora. Beja parece ser o distrito com maior percentagem do sim.

    È melhor, nós Bejences começarmos a reservar o chalé no inferno.

    Os camaradas do PCP tratam das reservas, uma vez que devem ser VIP

  12. DarthLion diz:

    Há um ano atrás, Beja também se revelou mais elucidada.

    Manuel Alegre que o diga.

    Sempre na vanguarda, Beja é perseguída por ser demasiado rebelde.

    Pena os Camaradas serem os únicos que sabem iludir a maioria dos Bejenses.

    Mas isso também muda 🙂

  13. nikonman diz:

    @aldeão – como é que você explica os 60% de abstenção no Distrito de Beja onde, sabe-se, quem manda é o PCP?

  14. Frederico diz:

    BEJA ESTÁ DE PARABÉNS!

    Votou SIM: RETIROU MILHARES DE MULHERES DOS CIRCUITOS CLANDESTINOS

    Um abraço

  15. Zé do Pipo diz:

    Ao que votaram SIM os meus parabéns. Ao NÃO, que fiscalizem. Aos que se absteceram…compreendo.

  16. Anónimo diz:

    “absteceram”?!

  17. aldeão diz:

    Nikonman,

    Eu estava a pensar no Distrito de Setúbal que foi o distrito onde houve menos abstenção e onde o SIM obteve 82%. Nesse distrito, em 13 concelhos 10 são da CDU. Também não é por acaso que foi em Beja onde o SIM obteve maior percentagem.

    Mas não é isto que importa. O que importa é que há uns tempos atrás criticou o PCP por ter criado mais um movimento. E eu na altura defendi que isso era bom, pois assim o lado do SIM tinha mais tempo de antena. Não foi por acaso que nos dias seguinte o NÃO legalizou dez movimentos numa assentada.

    É que o PCP ao criar um movimento trouxe para a batalha muita gente, uma mais interessante outra menos: Marta Crawford, Allen Gomes, Helena Coelho, João San Payo, Fernando Mota, Paula Guedes, Aurora Cunha, João Aguardela, Irene Cruz,João Carlos Malato, Sónia Araújo para além dos históricos: Odete Santos, Octávio Teixeira, José Saramago, Ilda Figueiredo, etc. E o que eu acho é que trazendo esta gente para a batalha foi muito positivo para que o SIM ganhasse. Concordo com quem disse que são quase 100 anos de tarimba!

    O que eu acho negativo, é um partido (PSD) dizer que não tem posição definida e depois nos tempos de antena só permitiu a entrada aos defensores do NÃO.

    Nota: Fui subscritor do Movimento Responsabilidade e Cidadânia pelo SIM.

  18. aldeão diz:

    @ Nikonman,

    Já agora informo-ou que os concelhos do distrito que tiveram maior participação foram Aljustrel e Beja e onde houve maior abstenção foi em Almodovar. Tire as suas ilações!

  19. zig diz:

    Como defensor do Não, os meus parabéns pela vitória do Sim.

    Fui o único a fazer campanha na blogosfera regional em favor do Não, e fui derrotado.

    No meu blog, nunca fiz campanha “suja”, tentei sempre pôr os meus argumentos de uma forma limpa.

    Mas ainda bem que essa campanha acabou, já estvava a ficar chata, com tanto tempo de antena gasta e os telejornais a abrirem sempre com o mesmo tema….

  20. nikonman diz:

    @zig – não me parece que tenha havido vencedores e vencidos. Pelo menos, na minha óptica, a questão dos vencedores e vencidos não se coloca. Repara como a cidade está calma e não há as habituais “caravanas” (pelo menos por estes bairros não se ouvem buzinões).

  21. nikonman diz:

    @aldeão

    Não sou analista político para aferir o valor do PCP neste referendo. Quero com isto dizer que não sei se a partidarização da campanha trouxe mais valias para os objectivos a atingir. Sou contra unicidades e unanimismos, mas também sou contra aqueles que só conseguem viver sob a capa dos ditames partidários. Estou à vontade para o dizer, pois também eu, enquanto militante do PSD, manifestei a minha indignação pelo facto de se ter feito campanha pelo “não” ( e se fosse pelo “sim” a indignação teria sido igual ) com a bandeira do PSD.
    Neste caso, tive a oportunidade de ver o que é, de facto, o PCP. A rejeição em “misturar-se”, o drama de ter que se fazer ouvir, a constante arrogância do “nós é que sabemos”, continuam a ser o traço principal deste partido.
    Fui subscritor do “Movimento Voto Sim” e intergrei a plataforma local “Beja pelo Sim”. Devo dizer-lhe que me foi muito grato estar ao lado de militantes do PS e do BE.
    Ao PCP ficou mal determinados comportamentos contra esta platforma, mas isto é assunto para outro local e com outra extensão.

  22. Snoopy diz:

    Despenalizar as mulheres, nas condições colocadas pela pergunta, era uma questão civilização. Punir com a força do código penal algo que socialmente era aceite mas sempre feito na clandestinidade, envergonhava-nos. Nem tudo serão rosas amanhã, nem tudo será fácil a partir de amanhã. Mas com este resultado estão reunidas as condições políticas necessárias para que o aborto clandestino leve um duro golpe no nosso país e para que o medo e a vergonha desapareça do rosto das mulheres portuguesas. Felicito todos os que se empenharam nesta campanha.

  23. Anónimo diz:

    pronto, o sim ganhou! agora a próxima batalha será a o casamento gay ou qq coisa do genero…

    Se não resultar à primeira vez, tentemos as vezes que forem necessárias..

    O sócrates agradece, o BE apoia e o PC diz que a vitória foi do Colectivo..

    Hoje não senti mt orgulho em ser alentejano… Mas parabéns ao sim!

  24. aldeão diz:

    Nikonman,

    Não querendo polemizar mais, sendo certo que os grandes vencedores foram as mulheres, apenas gostava de lhe recordar que os cinco movimentos pelo SIM estiveram reunidos no ALTIS e que o discurso da vitória foi proclamado em parceria pela Marta Crawford do Em movimento pelo SIM (o tal movimento ligado ao PC) e por um representante do Movimento Responsabilidade e Cidadania (penso que foi o Duarte Vilar). Portanto não estou a ver onde é que esteve o isolamento, apesar de reconhecer que o PCP tinha uma opinião diferente nesta matéria, já que foi contra a realização do referendo por considerar que a questão deveria ser resolvida na Assembleia da República.

    Em conclusão, estão todos de parabéns!

  25. Jorge diz:

    Cabeça Gorda? Onde é que eu já ouvi esse nome? 😉

  26. zekalanga diz:

    Eu sou enfermeiro, já vi muitos fetos mortos e ninguem sabe a tristeza que é ver que aquele pequeno ser que não vai ver a luz do mundo.Parabéns ao sim e espero que não se tenha legalizado um novo contracetivo.

  27. nikonman diz:

    @jorge – esse mesmo! 🙂

  28. maria diz:

    Um dia destes vou mesmo viver pra Beja…
    Lindo!!!!

  29. José Dinis Gorjão diz:

    Só é pena tamanha abstenção, po próximo referendo quem não for votar devia ter penalização no IRS ou pagar uma multa ou algo assim, era da maneira que se abatiam os 10 milhões de euros gastos.
    E SIM, fiquei contente por o SIM ter ganho!

  30. mria diz:

    Eu gosto muito do snoopy. quando eu for grande quero ter um snoopy, a sério, sem ser daqueles de trapo…

  31. Zé do Pipo diz:

    Ao que votaram SIM os meus parabéns. Ao NÃO, que fiscalizem. Aos abscentistas…compreendo.
    P.S.- @ Anonymous – O que está mal agora? Mais um bocadinho de sal? Mais um bocadinho de pimenta? Sabe o que está mal, mal? É as pessoas importarem-se com pormenores que não interessam, e darem importância àquilo que é vital para que uma sociedade funcione democraticamente, sem demagogias, sem falsidades, sem politiquices. Os que não quiseram ou não puderam votar, são pessoas que também têm direito a ter voz, e não só o SIM, nem o NÃO. Porque, os que “não quiseram votar” entenderam que era uma forma de protesto a uma lei que já devia ter sido extinta logo assim que se deu o 25 de Abril. Ontem foi um dia de Liberdade, a liberdade do poder de escolha da mulher. Escolha de “se” quiser faz. “Se” não quiser não faz, mas também não é punida!

Deixe Uma Resposta