Dez 21 2006

DOIS ABALOS

Publicado por as 14:30 em Blogosfera,Crónicas

NA_DEZ2006.jpg

(crónica assinada por mim na edição de Dezembro do jornal “Notícias Alentejo“)

A blogosfera portuguesa sofreu, recentemente, 2 abalos. Um vindo do exterior, outro gerado no seu interior.

1– Do exterior veio Miguel Sousa Tavares dizer cobras e lagartos dos blogues e de quem neles escreve. Porquê? Porque a difamação – alguém veio dizer para a praça pública que o seu romance Equador era um plágio, que Sousa Tavares havia copiado parágrafos inteiros da obra «Cette Nuit la Liberté» de Dominique Lapierre e Larry Collins – mas, dizia eu, essa difamação nasceu na forma de um blogue (1). Isto é, quem quis difamar aproveitou-se desta nova forma de comunicar e, sem papas na língua, chamou a MST aquilo que qualquer escritor odeia ouvir chamar-lhe: plagiador.
Foi nos blogues que surgiram as mais fortes críticas contra o tal blogue difamador e foi também dos blogues que partiu muita gente em defesa de Sousa Tavares. O reconhecimento veio em forma de artigo, no semanário Expresso, onde o Sousa Tavares – não se sabe se foi o escritor, o jornalista ou o analista que o escreveu – arreou pancada da forte nos blogues, fez uma apreciação generalizada dos mesmos, metendo tudo no mesmo saco, espumando um ódio que lhe tolheu o pensamento. Quebrado o verniz (raro) de Sousa Tavares, a blogosfera deixou de se preocupar com os plágios e resolveu defender-se. E a questão que se colocou, pertinente, foi: se pudesse Miguel Sousa Tavares acabava com os blogues? Talvez. Mas os blogues obviamente que não acabam, assim como não acabam os jornais em cujas redacções pululam “jornalistas” que escrevem e insinuam, ofendem e deitam injúrias, sem que se ouça de Miguel Sousa Tavares a mesma indignação que teve em relação aos blogues. Nós até somos capazes de compreender porquê.

2– No interior da blogosfera, pela pena de Pacheco Pereira (2), agitaram-se as almas mais vulneráveis pois o “patriarca” dos blogues lusos teve a coragem de escrever algumas coisas que, parece, não foram do agrado de alguns doutos bloggers. E o que é que disse assim de tão mau o Abrupto Pacheco Pereira? Só isto:”O lixo nos blogues, como antes (e agora) o lixo na Rede têm muito de comum com o lixo nos diários pessoais, nos jornais locais, nos boletins de paróquia, nas rádios locais, nos panfletos partidários, nas cartas anónimas, na pequena, grande e média comunicação social, nessa imensa voz entre sussurrada e gritada que nos acompanha sempre, na maioria dos casos como pura estática, lixo escrito, lixo dito, lixo visto.”.
E não estaríamos todos de acordo com isto? Julgo que sim, só que Pacheco Pereira não se limitou a apontar. Pôs o dedo na ferida e isso parece que doeu. Escreveu ele: “Vamos admitir, o que não me custa nada, porque até acho que é verdade, que mais de 90 por cento do que está na blogosfera é lixo”.
Pronto, foi mais uma gota de água para acrescentar aos cíclicos vendavais anti-Abrupto. Não sei se as violentas reacções ao que escreveu partiram de 90% da blogosfera. Mas que houve quem se tenha revisto nesse número, disso não tenho dúvidas.

Porém a blogosfera tem coisas muito mais interessantes, tem uma vida que está muito para além destas “guerras”. Veja-se o que vem fazendo o Luís Carmelo, no seu Miniscente (3), onde tem estado a publicar uma série de entrevistas acerca da blogosfera e dos seus impactos na vida específica dos próprios entrevistados. Em 2ª série são agora ouvidos os próprios bloggers. É desta boa cepa que também se faz a blogosfera.

(1) www.freedomtocopy.blogspot.com (já desactivado)
(2) http://abrupto.blogspot.com/
(3) http://luiscarmelo.blogspot.com/

Share

Uma Resposta a “DOIS ABALOS”

  1. Rcataluna diz:

    Subscrevo inteiramente!

Deixe Uma Resposta