Out 02 2006

COMPETITIVIDADE

Publicado por as 17:10 em A minha cidade

O estudo (“Público” de Sábado, 30/9) que coloca Évora em 1º lugar e Beja em 4º, é o mesmo que nos diz que o Porto (em último lugar) é a cidade menos competitiva.
Calculo que as gentes de Évora (1º lugar) e de Beja (4º lugar) venham para as ruas manifestar grande regozijo por esta classificação na tabela da competitividade nacional.
Entretanto, 2 empresas deixaram de se instalar numa destas regiões (altamente competitivas) preferindo a região do Porto. Ao mesmo tempo, 4 ou 5 famílias preferem abandonar estas localidades – topo de gama da competitividade – e decidem instalar-se numa vila perto da Invicta.
Se me explicarem o que é isto de competitividade até sou capaz de perceber o estudo. Até lá, só me pronuncio sobre aquilo que vejo. Longe vá o agoiro de ver Beja no último lugar deste estudo.

Share

19 Resposta a “COMPETITIVIDADE”

  1. Um Alentejano diz:

    Os tolos regozijam-se com pouco!
    Será que este estudozeco se destina a preparar o terreno para a aprovação do PNPOT que bastante irá prejudicar o interior do País?
    Que ganhará o grupo que detém o jornal Público com o destaque dado a esta “notícia”?
    Aguardemos …

  2. alquercus diz:

    Este estudo merecia e facto um prémio Nobel! 😉

  3. charlie diz:

    Lembro-me com alguma saudade dum professor que atirava os testes ao ar no quarto de dormir. Os que caissem na cama tinham suficiente. Os desgraçados que apanhassem o chão como poiso do tresloucado voo ficavam com uma negativa. Mas atenção: Os que caissem dentro do penico, eram bafejados com a classificação de “Bom”.
    Quem sabe, se os estudos não tiveram como modelo esta interessantíssimo e muito democrática prática. — 🙂

  4. aldeão diz:

    É só para informar que o estudo teve por base a metodologia do economista Michael Porter e que é utilizada pelo Fórum Económico Mundial para medir a competitividade dos países, no qual Portugal aparece no 34º lugar entre 125 países. É certo que muitas vezes não valorizamos o que temos em casa, pequenas coisas como podermos ir almoçar a casa, quando outros só para se deslocarem de casa para o emprego gastam mais de uma hora. Num dos indicadores (nível de conforto) Beja aparece mesmo em segundo lugar. Já que se fala no Porto convém relembrar que entre 1981 e 2001 aquela cidade perdeu cerca de 20% da sua população (pssou de 327 mil para 263 mil habitantes). Curioso não é?

  5. Um Alentejano diz:

    “O estudo NÃO INCLUI INDICADORES que, nos rankings de competitividade do Fórum de Davos, TÊM GRANDE IMPORTÂNCIA – especialmente os ligados à qualidade do ensino e à formação e qualificação da força de trabalho. Isto, porque “a oferta de dados [nesses campo] era extremamente diminuta, só agora é que estão a ser divulgados estudos a esse respeito”; a opção dos autores foi por uma “base solidificada”, com “indicadores sem polémica”. E esta hein?! “

  6. carmo diz:

    Há mt que acho q as grandes cidades não podem ser competitivas.
    O excesso de população e transito deteoram a qualidade de vida e o bem estar da população. A fraca qualidade das habitações, onde não é possível descansar serenamente, porque se ouve tudo o que acontece nos apartamentos circundantes, retiram a tranquilidade psíquica e sanidade mental das pessoas.
    Neste contexto, não é possível ser competitivo.
    A adicionar a isto, as empresas têm de despender loucuras com os custos de instalação, quando noutras cidades (menos competitivas), a imobiliária é mt mais acessível.
    Não entendo o porquê de continuarem a afirmar Lisboa e Porto como competitivas, nem o porquê das empresas e as pessoas continuarem a preferir estas cidades; possivelmente será um ciclo vicioso…

  7. Frederico diz:

    Este estudo revela o que todos sabemos: Há cidades que têm potencial de crescimento e outras não. Para mim a única questão que falhou foi o facto da 14ª cidade no indicador de “conforto” constar em segundo lugar na grelha final. Estará a população tão desatenta ao factor “conforto”? E ao factor “economia” que não aparece neste estudo?!

  8. Anónimo diz:

    das ist eine scheisse Gesprach, diesen Studien wertlos sind

  9. hpalma diz:

    Existe algum site na internet onde possamos ver este estudo?

  10. Anónimo diz:

    “noutras cidades (menos competitivas), a imobiliária é mt mais acessível.”!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!LOL LOL

  11. Machado de Assis diz:

    O referido estudo deve ter tido como empresas-alvo no que diz respeito a Beja; as lojas dos chineses, o mercado dos sábados de manhã em frente do Parque de Feiras e Exposições ou os bares e esplanadas que fecham fora de horas. Pois tirando esses, não me parece haver mais nada “competitivo”. Caso esteja enganado, corrijam-me por favor.

  12. Machado de Assis diz:

    O referido estudo deve ter tido como empresas-alvo no que diz respeito a Beja; as lojas dos chineses, o mercado dos sábados de manhã em frente do Parque de Feiras e Exposições ou os bares e esplanadas que fecham fora de horas. Pois tirando esses, não me parece haver mais nada “competitivo”. Caso esteja enganado, corrijam-me por favor.

  13. leon diz:

    Se estas pessoas estão tão azedas com Beja e/ou o Alentejo, porque não se mudam? Ficariamos ainda menos mas mais sossegados! Agora a sério, o estudo vem dizer aquilo que já se sabia empiricamente: há muito mais qualidade de vida numa pequena cidade do que nas metrópoles (pelo menos nas portuguesas)

  14. Machado de Assis diz:

    Leon: Se quizeres debater o que aqui é dito e contapondo as tuas ideias, tudo bem. Agora desconversar e mandar-nos para fora da terra que tanto amamos e sabendo que se aqui tecemos critivas, é com vista á sua elevação e desenvolvimento, não. A talho de foice e dado teres um pseudónimo castelhano, porque é que não vás tu dançar o flamenco para o país aqui ao lado.

  15. RCataluna diz:

    Usar este estudo como prova de que afinal não estamos tão mal, é tapar o sol com a peneira!

  16. Anónimo diz:

    Caro Machado de Assis: Não fujo a uma boa discussão amigável; relativamente ao meu nick, estás enganado! Tem origem em grandes homens chamados Leon, como Tolstoi ou Trostky. (já agora, o teu nick tb não é muito luso, é sim de alguém de quem eu também gosto muito.
    Relativamente ao estudo, e à qualidade de vida, queria apenas salientar (talvez de uma forma egoista) que o Alentejo (eu vivo em Moura) é dos melhores sítios do mundo para viver, e algumas pessoas (não tu, que não conheço) esquecem as coisas espectaculares que temos e só focam a atenção nos problemas. “Always looh on the bright side of life”

  17. Leon diz:

    ah! esqueci-me de assinar o post anterior. Sorry

  18. Machado de Assis diz:

    Leon: Prazer em conhecer e cumprimentos ao pessoal da margem esquerda.

  19. Moialmas diz:

    O estudo foi alterado Beja subiu um lugar no ranking, porque com a anexação de Alcoutim ficamos mais competitivos. Haja boa disposição

Deixe Uma Resposta