Dez 28 2005

No silêncio

Publicado por as 0:56 em Intimidades

438992a5f-f23f-49c2-8c86-21157f63d2e6Murat Harmanlikli.jpg
foto: murat hermanlikli

Sentado
debruço-me
no meu corpo

E em silêncio
aguardo
que o verbo
ocorra
e
a palavra
se solte
num gemido
… de morte
… de silêncio.

Share

8 Resposta a “No silêncio”

  1. zig diz:

    É impressão minha, ou andamos todos um pouco deprimidos?

  2. Miguel Pestana diz:

    És tu silêncio, meu amigo?
    És tu quem me aconselha, não é?
    És tu, és tu que me ouve quando estou triste,
    És tu que me ouves quando estou alegre,
    És tu que me ouves quando estou eufórico.
    Silêncio, amigo.
    O frio, a chuva , o vento, o calor trazem-me à memória lembranças. Recordações de outros dias, de outros tempos,
    Mas és tu, quem sempre esteve comigo e estarás sempre quando precisar.

  3. mad diz:

    “Às vezes, no silêncio da noite
    Eu fico imaginando nós dois
    Eu fico ali sonhando acordado, juntando
    o antes, o agora e o depois
    por que você me deixa tão solto?
    por que você não cola em mim?”
    Caetano Veloso

  4. BB diz:

    … E choras?
    … Amas?
    …?

  5. moriana diz:

    por vezes é necessário, o silêncio. não me assusta, o silêncio. assusta-me o ruído que quebra o silêncio.
    bjs.

  6. obuz diz:

    Aliar fotos a poesia é reforçar a beleza de ambas as formas artísticas…

  7. Anónimo diz:

    Prezado Nikonman ou, se me é permitido, amigo João.
    Serve a presente como um postal de bom ano novo. Não temos intimidade pessoal, não nos devemos favores, não somos correligionários (apesar de, por uma única vez, apoiarmos o mesmo candidato) pelo que as minhas linhas não podem ser entendidas como uma

  8. mad diz:

    HL – o aliciante? qual aliciante?