Dez 06 2005

O DEBATE DE ONTEM

Publicado por as 10:10 em Geral

csilva2.JPG
foto in www.cavacosilva.pt

Poderá haver quem considere que foi um debate sem vencedores. Obviamente que os apoiantes de cada uma das partes dirá o melhor do seu candidato.
Porém, não havendo vencedores, já me parece que houve um derrotado. E ele terá sido Manuel Alegre.
Porque este candidato, dizendo-se a voz independente representante da esquerda, não cumpriu claramente essa missão. Muito cuidadoso e cordato nas suas intervenções, Manuel Alegre pareceu querer ir buscar votos ao centro ou mesmo à direita. Ora, estas áreas estão preenchidas e já têm o seu candidato. Manuel Alegre poderia ter sido firme nas suas convicções de homem de esquerda, pois será aqui que poderá captar eleitorado. Não o fez e deixou esse espaço livre para Mário Soares, que não deixará de o aproveitar e, se lhe for útil, “acusar” Manuel Alegre de brandura frente a Cavaco Silva. O tempo dirá se a estratégia adoptada por Manuel Alegre não lhe custará uma pesada derrota e, a muito curto prazo, uma descida abrupta nas sondagens (onde tem ido beber grande parte do seu protagonismo).
Quanto aos jornalistas, aqui verificou-se uma clara vitória de Guedes de Carvalho, que remeteu Ricardo Costa para um papel muito apagado.

Share

19 Resposta a “O DEBATE DE ONTEM”

  1. **** diz:

    O debate foi muito fraco, não foi digno de um debate de candidatos à Presidência da Républica. 2 Candidatos com medo de se ferirem um ao outro e tentado apagar o passado que cada um têm e que deve ser sempre lembrado! Esperava mais do Alegre, mas tambem não tem estofo para esta causa… Quanto ao Cavaco, já estava à espera, não tem o dom da palavra… Espero por próximos debates para tirar outras conclusões, sendo que já tenho o meu Candidato!

  2. LG diz:

    Manuel Alegre ganhou o debate. Esteve alegre, atacou e tentou clarificar o que o distingue de Cavaco, assumindo sem tibiezas a sua condição de esquerda. Cavaco Silva esteve encavacado, tentou defender-se e colar-se a Alegre, não tendo a coragem de se assumir como do centro-direita.

  3. HL diz:

    O debate, apesar de dois, era a cinco; se é obvio que ACS, por não o perder, ganhou, também me parece que MA terá ganho o debate, no que concerne ao seu “campeonato”…

    Uma nota: foi o debate que foi fraco, ou o debate é o resultado do vazio que são os poderes presidenciais?

  4. Alves Fernandes (Pre para @s amig@s) diz:

    Mas houveram coisas que ainda não ficaram esclarecidas. Imaginemos que Cavaco ganha. Ponhamos também a académica hipótese que durante o seu (ou seus) mandatos os governos que estiverem ou vierem conseguem ter um bom ministro das finanças. Cavaco demitir-se-á? Ou irá passar o resto do mandato de férias para Boliqueime? E quem votar em Cavaco tem consciência que é um PR que se está a eleger?

  5. Anónimo diz:

    Penso que não houve vencedores nem vencidos. Um candidato da esquerda não tem que ser exaltado, revolucionário ou exacerbado.Essa é uma esquerda de confusão e de visão parcial que não cola a Manuel Alegre. Não é para contrariar, mas acho que Cavaco, esse sim, esteve cauteloso, a tentar cativar votos á maioria, sem se comprometer com nada, nem ninguém.
    P.S. Não percebi aquele “Vocês” aquando do comentário sobre JAD.

  6. Mayday diz:

    mayday

  7. re21 diz:

    Este post do nikonman é um bom sinal,depois do desespero da candidatura conjunta de Soares/Louçã/Jerónimo a desorientação dos apoiantes da candidatura de Cavaco Silva fica bem exposta neste post.Manuel Alegre de facto marca a diferença a cada dia que passa,temos Presidente.

  8. nikonman diz:

    @re21 – não vejo bem onde está a desorientação/desespero, mas cada um vê com os olhos que mais lhe apetece.

  9. nikonman diz:

    @mayday – quando se escolhe um nickname como esse, é natural que se confunda com alguém que assine da mesma forma. é que aqui o meu vizinho, que é do BE, costuma tratar-se por mayday, daí a minha confusão e o tratamento tão informal. mas espero que não se tenha ofendido por a/o ter confundido com alguém do BE. não foi intencional.

  10. Mayday diz:

    Nikonman, não sou do propriamente do BE, mas se fosse não era vergonha nenhuma. Como disse no comentário sobre JAD, sou visitante deste blog á pouco tempo e ainda não sei se será um blog partidário ou informativo ou lúdico ou tudo junto ou… contudo gosto e venho cá sempre que posso

  11. nikonman diz:

    @mayday – olhe lá para cima, para o topo do blog. está a ver? “Encontros e Desencontros. Desabafos urbanos na cidade de Beja”. É claro que isto dá para tudo. Tenho as minhas opções políticas (sou PSD mas respeito os outros), sou heterosexual (mas não sou homofóbico), sou católico (mas não pratico), sou um homem apaixonado e um orgulhoso pai. Por isso, é natural que esta Praça seja isso tudo que apontou. Volte sempre, pois esta Praça não se quer deserta.

  12. Freddy diz:

    Foi uma valente seca!!!Queremos sangue…!

  13. Che diz:

    Se o debate é um combate (neste caso não eliminativo) então a teoria dos jogos ensina-nos que ninguém ganha ou perde absolutamente, e a aferição “futebolística” de vencedores e vencidos torna-se muito simplista pois não conhecemos os objectivos exactos (captação e/ou fidelização de simpatizantes, p. ex.)que cada candidato estabelece para os diversos debates, e, por isso, aquilo que muitas vezes avaliamos como fraqueza ou debilidade de um candidato pode ter sido intencional e revelar-se favorável em determinado contexto estratégico.
    Mas há coisas bem perceptíveis: Alegre evitou a radicalização do discurso e da “postura”. Mas ao contrário do Nikonman, penso que isso joga a seu favor. Alegre sabe que, a ganhar votos da área de Jerónimo e Louçã, não será dos que lhes são indefectíveis e convictos, mas sim nas margens onde se situam os apoiantes mais moderados e até indecisos. Para além disso, Alegre não podia desgastar-se e “descapitalizar-se” numa atitude politicamente feroz com Cavaco, pois ele sabe que esse papel será desempenhado, e melhor, por Jerónimo e Louçã. Colhendo possivelmente o apoio daqueles que, por isso mesmo, não se vão rever num discurso tão radical.

  14. re21 diz:

    É engraçado vinha para escrever mais alguma coisa mas fiquei com a sensação que modificaste uma parte do teu post,foi não foi?.

  15. re21 diz:

    No entanto talvez esteja enganado e eu tivesse feito uma leitura tansversal com os comentários,foi isso,desculpa lá.

  16. nikonman diz:

    @re21 – a única alteração, e que julgo anterior ao teu primeiro comentário foi: onde se lia
    “a voz independente da esquerda” passou a ler-se “a voz independente representante da esquerda”, para não suscitar quaisquer dúvidas sobre o que eu pretendia dizer.

  17. re21 diz:

    Uma questão de pormenor e de opinião de achar que.

  18. Golfinho diz:

    Sou apoiante confesso de Alegre e neste debate Cavaco ganhou aos pontos Alegre, por muitos. Alegre disse tamanhas banalidades, lugares-comuns, não concretizou, utilizou um discurso vago, vazio ideóligicamente, não entrou no coração das pessoas, divagou, não concretizou. Cavaco foi preciso, directo e até mostrou ser humano, ao não entrar em picardias e respeitar o seu adversário. Só teve um lapso crucial, aquela frase do “vou ser uma força de desbloqueio”.

    Obviamente, que tenho memória, e vou votar Alegre.

    Mas, se chegasse agora a Portugal, ou não conhecesse
    o passado de cavaco, ou fosse um novo eleitor, votava Cavaco e dormiria descansado.

  19. re21 diz:

    Golfinho,completamente em desacordo contigo,o Manuel Alegre deu uma excelente entrevista e deu a conhecer claramente os seus pensamentos enquanto candidato independente,aliás o único candidato independente.