Arquivo de Fevereiro de 2005

José Raul dos Santos

28 de Fevereiro de 2005

Fiz a promessa de trazer à Praça o comentário que mereceu ao então Presidente da Câmara de Ourique a crónica que fiz na Radio Pax e publicada aqui.
Para os interessados, esse comentário está aí em caixa alargada.
Entretanto, JRS voltou a falar nas opiniões que emito mas, provavelmente devido à doença que o atacou, por 2 vezes me tratou por José quando, todos sabem, eu sou o João. Ao mano Zé as desculpas pela confusão e em nome do autor do (repetido) erro.
(mais…)

Share

BOSQUE

28 de Fevereiro de 2005

Anda há 1 ano a dar-nos ar puro. E a gente agradece e manda parabéns à Robina, com aqueles votos habituais nestas ocasiões.

Share

ÓSCARES

28 de Fevereiro de 2005

A madrugada dos óscares trouxe-nos boas surpresas.
Destaco o melhor filme estrangeiro: “Mar Adentro“, de Alejandro Amenábar.
Clint Eastwood terá sido o grande vencedor, com “MILLION DOLLAR BABY”.
A lista completa dos vencedores está aqui.

Share

O PASTOR

28 de Fevereiro de 2005

Provavelmente é a estátua bejense que mais mutações sofre.
Em Setembro estava assim:

foto: João Espinho

Ontem tinha outro aspecto:

Cada vez gosto mais deste pastor!

Share

POESIA

27 de Fevereiro de 2005


foto: (a partir de original de Jens Rohland)

“Um canto de alegria desprende-se dos meus dedos
quando toco o teu corpo e habito em ti
e a noite não existe
porque as nossas bocas acendem na madrugada
uma aurora de beijos.”
Joaquim Pessoa
(mais…)

Share

REVOLUçÃO INVISíVEL

27 de Fevereiro de 2005

Quando se pensava que o fio dental era o “top-of-the top” da lingerie sexy, chega agora a revolução invisível ao mundo da roupa mais íntima para elas.
Vão finalmente desaparecer as “caudas de tubarão”, que fazem parar e babar.
A partir de agora é a imaginação que vai comandar os olhares masculinos.
Senhoras e senhores, apresento-vos a “backless lingerie“.


Share

Feira do Queijo do Alentejo

26 de Fevereiro de 2005

Em Serpa.
É uma sugestão para este fim de semana.
Para além dos queijos da região, podemos apreciar um programa de animação com cantares alentejanos.
Vamos lá?

Share

AUTÁRQUICAS 2005

25 de Fevereiro de 2005

O leque de escolhas do PS para Beja vai diminuindo.
Jorge Pulido Valente, um dos nomes mais falados como candidato à cadeira da Praça da República, anuncia que se vai recandidatar à Câmara de Mértola.
Curiosa uma das razões para recusar o convite para Beja: o estado em que se encontra (“muito difícil”) a Câmara de Beja.
Será que não há quem queira pegar no “buraco”?

Share

DISTRITAL PSD – DEMOCRACIA?

25 de Fevereiro de 2005

Apareceu aqui em comentário aquilo que será um comunicado dos membros que restam na Comissão Política Distrital do PSD.
Detenho-me em 2 pontos deste “comunicado”:
“3 – Os signatários foram eleitos pelos militantes do distrito e a estes pertencerá a última palavra. Se destituídos por uma moção de censura saberão, daí, tirar as devidas conclusões, que passarão, inquestionavelmente, pelo repensar da sua participação política ao nível partidário.”
e
“4 – Esperam, contudo, que os críticos possam, ainda que por uma vez, ter idêntica dignidade, caso a moção de censura não seja aprovada.”

Se dúvidas houvesse sobre o perfil desta gente, o que defendem aqui não deixa margens para mais questões: não aceitam ser derrotados, ameaçam com o abandono do Partido caso uma Assembleia Distrital os derrote e aconselham os outros a fazer o mesmo em idêntica situação.
Isto é, não reconhecem o direito à contestação das suas ideias (?), consideram-se os detentores da verdade absoluta, não fomentam a democraticidade interna.
Decididamente, esta gente já não sabe o que dizer e fazer para se manter de pé!

Share

CRÓNICA RADIO PAX (25/2/2005)

25 de Fevereiro de 2005

As eleições do passado Domingo trouxeram-nos resultados que, para alguns, terão sido surpreendentes pela sua expressividade.
A maioria absoluta do Partido Socialista, embora desejada pelos seus dirigentes, era para muitos um sonho irrealizável. Para outros seria um pesadelo impossível.
Também a derrota do PSD era esperada, mas os números da catástrofe eram impensáveis e nenhum militante social-democrata esperou que a desgraça fosse tão grande.
Mas nestas coisas das eleições e da democracia quem manda, e bem, é o povo e este disse que não queria mais Santana Lopes e a aliança de direita a governar o País.
Há porém quem se incomode com os resultados das eleições porque contribuiu para eles e é chamado à responsabilidade e esta, a responsabilidade, é uma coisa difícil de assumir, principalmente quando essa assunção implica a perda de influência, de poder e, consequentemente, de algumas benesses de que se usufruía enquanto detentor desse poder. É difícil, sabe-se, reconhecer-se a culpa.
É o caso de alguns dirigentes distritais do PSD. A Comissão Política Distrital do PSD, na pessoa do seu Presidente, chamou a si toda a responsabilidade pelo processo eleitoral, desde a escolha dos nomes a integrar a lista de candidatos até à subserviente atitude de aceitar todo e qualquer nome que lhe fosse imposto por Santana Lopes. É nesta fraqueza, não consentânea com o perfil de um político de espinha dorsal consistente, que reside uma das maiores responsabilidades do actual Presidente Distrital do PSD. Já não falo da falta de democraticidade no processo de elaboração da lista de candidatos. Amílcar Mourão sabe melhor que ninguém a forma como a elaborou, quem ouviu e quem não quis ouvir, pelo que não se pode queixar agora de muitos militantes se terem afastado da campanha. Casa onde se é mal recebido, ou mesmo hostilizado, não é certamente o melhor lugar para se visitar.
Amílcar Mourão também sabe, e conhece-as melhor que ninguém, as fraquezas do órgão a que preside. Desmembrada e sem objectivos, a Distrital de Beja é hoje o espelho do seu Presidente: vive do oxigénio que lhe é dado por um ou outro vogal, sobrevive com algumas alavancas que lhe são emprestadas pelo autarca de Ourique eleito deputado pelo Porto e mantém-se em funções porque assumir a derrota é uma coisa muito dolorosa.
Todos os políticos sabem que os cargos que desempenham têm o seu tempo e são de duração efémera. Uns sabem sair na hora exacta e sabem fazê-lo de cabeça erguida. Outros, para quem o poder é única coisa interessante na vida, agarram-se à cadeira, como se fosse ela o seu único meio de sobrevivência. É feio, desprestigiante, diria mesmo, é muito mau, quando alguém não sabe ter o discernimento suficiente que proporciona atitudes sensatas e de elevada honra.
Amílcar Mourão e o que resta da sua equipa só teria a lucrar se soubesse reconhecer os erros cometidos e não tentasse, de forma desesperada, imputar culpas para este ou aquele militante e para esta ou aquela opinião.
O PSD é um partido grande demais para que se possa estar, neste momento, a perder tempo com questões que não sejam a da sua regeneração e renovação, para que possa renascer fortalecido e preparado para assumir a governação quando a isso for chamado.
Os líderes passam e o Partido fica. O tempo desta Distrital já passou. Por isso, farão um grande favor ao PSD e à região se, de forma humilde mas elevada, souberem sair antes do tempo da humilhação.

Share

POEMA DA NOITE

24 de Fevereiro de 2005


foto: bernadette mcCall’s

Enlaço-te numa carícia,
Envolvo-te num abraço ardente,
Os corpos transpiram a vontade
E os beijos desenham um arco-íris.

O vento sopra.
E o intenso luar envolve os nossos lábios
Que sem limites se fundem.

Bebo o teu mel e lanço-me no sonho
Entro no teu corpo
E como um vulcão
Derramo em ti a lava de uma paixão.

A Lua sorri!

Share

LUA CHEIA

23 de Fevereiro de 2005

Amanhã a noite preenche-se com o luar.

Share