Dez 31 2004

LEGISLATIVAS

Publicado por as 13:00 em Geral

O nome para encabeçar a lista PSD pelo Distrito de Beja aí está: Glória Marques da Costa.
Alguém conhece?
O Presidente da Distrital (Amilcar Mourão) não se sente indisposto com esta imposição do Presidente do Partido?
A senhora conhece o Distrito de Beja e os projectos que devem ser defendidos para desenvolver o Distrito?
Afinal onde está a figura nacional com reconhecimento junto do eleitorado do distrito?
Sinceramente, sinto-me enganado.
E não gosto que me enganem!!!

Share

8 Resposta a “LEGISLATIVAS”

  1. Art Of Love diz:

    Que após esta euforia natalícia,haja paz e tranquilidade no nosso interior de forma a sabermos nos respeitar uns aos outros durante todo o ano!
    Feliz 2005.

  2. Manuel diz:

    Bom Ano Novo. Saúde com fartura.
    Quanto ao candidato (hoje falo de política), o que eu apoiaria, anda longe do Alentejo e muito longe de Portugal, em missão.
    E duvido que aceitasse.
    Um abraço

  3. Peter Pan X diz:

    Nikonman,

    Espero que o teu Natal tenha sido muito Feliz, com muita Paz, Saúde e muito Amor…

    Quanto ao novo Ano de 2005 que ele te traga muita Felicidade, muita Saúde e tudo aquilo que desejas.

    Que seja o primeiro de muitos anos de felicidade da tua vida, são os votos sinceros aqui do “Peter Pan X”.

    Abraço.

  4. charlie diz:

    Enquanto escrevo estas linhas os meus familiares estão a chamar-me para uns camarões com vinho Verde. Depois há um repasto de perna assada á maneira regado com um tinto “convento da tomina”

    Mas enquanto não vou, devo dizer que essas manobras tem de acabar. Gente que não tem nada a ver com a nossa realidade e que vem fazer umas manobras de ilusionismo, e malta vota no seu partido porque o cabeçudo diz que sim, que é para votar nesse que é dos nossos! Também eu sou do Benfica mas votar no BAgão, tá quieto! Tem de haver um finca-pé muito forte para acabar com esta pouca vergonha! Conta comigo para fazer lobbie nesse sentido! Isto é transversal e é em todos os partidos. Não presta! Há que acabar com isto. So votamos aquí nos valores daquí! Da nossa região. Que vivam cá e que passem as mesmas passas que nós passamos. só assim podemos acreditar que eles vão puxar pelos nossos interesses!

    Agora vou-me senão não os provo
    A todos votos dum ano 2005 melhor…..

  5. garr diz:

    Acabei de comer uns camarões com um branco “novo” da Vidigueira e já tenho duas garrafas de espumante no congelador á espera das baladadas da meia-noite, pelo que a vida e o dificil mundo em que vivemos me parece algo distante e pouco perceptível.
    Quanto ao inconformismo, lembro-me do tempo do Liceu em que com o cachecol do Sporting tu já lutavas contra os moinhos de vento tal Dom Quixote á moda de Beja que teimas em perpetuar, felizmente.
    Para que assim continues aqui vai um grande abraço e um ano de 2005 em cheio.

  6. ze veneno diz:

    assim já vejo onde começa amaioria dos outros
    heheheheh

  7. Garr diz:

    Esta de trocar baladadas pelas badaladas tem que se lhe diga… é por que se diz com toda a razão que no vinho coexiste o melhor e o pior que há na natureza.

  8. Luís Humberto Teixeira diz:

    Provavelmente, é difícil ao PSD encontrar uma figura nacional com reconhecimento junto do eleitorado que se arrisque a concorrer por Beja.
    É que, nas Legislativas 2002, o candidato social-democrata por Beja – o empresário Luís Serrano – ficou a 459 votos de ser eleito… e era alguém que conhecia bem o distrito e concorria numa altura em que a conjuntura era mais favorável ao PSD.

    Perante isto, como poderão os eleitores do PSD em Beja evitar que o PS volte a obter o segundo deputado, que se poderá revelar determinante para uma eventual maioria absoluta no parlamento?
    Eu só vejo duas: uma é votar na CDU(!) e a outra é convencer o eleitorado mais à direita ao “voto útil” no PSD (o que será difícil, tendo uma advogada de Lisboa de quem pouco de sabe como cabeça-de-lista).

    Em meu ver, os 17.449 votos depositados em vão no ex-governador civil, em 2002, e a imposição de uma figura desconhecida na região por parte da direcção do partido, em 2005, são dois exemplos que ilustram bem a necessidade de alterar o sistema eleitoral português.