Dez 31 2004

2004

Publicado por as 12:47 em Geral

“Nada é mais difícil do que partilhar um amor”
Natalie Barney

Poderia começar assim o balanço deste meu ano que hoje termina.
Poderia até dizer mais de mil vezes tudo o que senti e vivi.
Mas quem poderia compreender as palavras que tentam dizer tudo aquilo?
Seriam linhas e mais letras, talvez até escrevesse um poema.
Uma fotografia apaixonada seria o remate final. Esperado.
Quem sabe se a letra de uma música, daquela música especial, não seria a tradução ideal desse balanço de final de ano…
E poderia eu falar da Lua, do Sol, do Eclipse, da Terra; seriam as imagens em forma de palavras, seriam o reflexo de um sentimento.
Quantas letras teria que soletrar aqui para que se compreendesse aquilo que quero dizer?
Não, não vou escrever.
Nada é mais difícil do que partilhar um amor.
E é esse o sumário possível!

Share

Uma Resposta a “2004”

  1. charlie diz:

    No espelho que a água fazia
    voltou a olhar intensamente
    Estudou como a face envelheçia
    Uma lágrima correu de repente

    Tantos anos em confissão
    o Amor que por ele próprio sentia
    E agora sem mais, a traição!
    Porquê esta água o faria?

    -Jamais assim voltarei
    repartir o Amor com alguém
    do amor que me tenho sou eu Rei
    não o vou mostar a ninguém!-

    E assim dizendo fugiu
    da água que o atraiçoara
    andando nem sequer sentiu
    as mãos que afagavam a cara

    Dedos rugosos e curvos
    gastos por anos a fio
    Os olhos continuavam turvos
    as ideias, tudo em corropio

    -Que bem agora me sinto
    bem longe dessa mentirosa
    sou belo amo-me, não minto
    vou cantar-me em glosa e prosa

    E abrindo a boca em pose
    para cantar a sua beleza
    caiu no chão em tosse
    chorando a sua tristeza

    -O boca que me traiste
    à agua malvada te juntaste
    por ti me sinto tão triste
    peço que de mim te afastes!-

    e fechando de vez a boca
    Enquanto no chão gelava
    sonhou com a sua beleza
    Enquanto a Morte o levava…