Arquivo de Outubro de 2004

BRUXAS

31 de Outubro de 2004

Share

ACERTEM O RELÓGIO!

31 de Outubro de 2004

Já viu que horas são?
Agora trate de acertar os relógios que tem aí em casa.
Ah, e veja se o do seu automóvel atrasou automaticamente 1 hora.
O do computador é inteligente. Autoregulou-se. Inteligente!!!!

Share

É O QUE DÁ BEBER EM EXCESSO….

30 de Outubro de 2004

Depois de uns Smirnoff Ice é ISTO que vos pode acontecer.
Roubado à Sónia.

(instrução: com o rato tentem que o rapaz não se espalhe…)

Esta posta tem destinatários!!! Ahahahahahaha!!!!

Share

FESTEJAR 1 ANO E ENCERRAR

30 de Outubro de 2004

Foi a opção do PreDatado.
Respeita-se. É uma decisão adulta.
“Um ano não é uma meta, mas é um marco”.
Assim seja.

Share

“EU HEI-DE AMAR UMA PEDRA”

29 de Outubro de 2004

É o título do novo romance de António Lobo Antunes.
Um homem e uma mulher vivem um amor clandestino.
E neste romance aparecem-nos, escritos por Lobo Antunes, retratos desta paixão.
Obra disponível a partir de Novembro.
Numa ocasião em que se comemorarão 25 anos de actividade literária deste escritor de língua portuguesa, será também editada uma fotobiografia assim como as edições ne varietur* dos quatro primeiros romances do escritor.
Aqui na nossa cidade haverá alguém atento a estas comemorações? (sim, estou a falar da Biblioteca de Beja).

*Disposição jurídica que permite a um autor que um texto seu só possa ser de futuro citado, editado, traduzido, etc., sob a forma em que o publica com essa designação. Lobo Antunes chegou à conclusão que havia várias adulterações nas suas obras, desde gralhas a outras incorrecções, e a partir do seu anterior romance, “Boa Tarde Às Coisas Aqui em Baixo”, todas elas serão publicadas em edições ne varietur, fixadas por uma equipa orientada por Maria Alzira Seixo, à medida que os antigos títulos se vão esgotando.

Share

BLOG COM LITERATURA

29 de Outubro de 2004

Literatura infantojuvenil. E o que mais se verá.
Nasceu neste Outono, descobri-o agora e tem assento em Beja.
Chama-se ALCAMEH.
Vão lá visitá-lo.

Share

Correio dos Leitores

29 de Outubro de 2004

O leitor Carlos Agostinho deixou aí, entre outras, esta questão:

“(…) por acaso alguém sabe que este ano se comemora a entrega do primeiro foral à cidade de Beja? São 750 anos de história…coisa pouca para tanto Pólis.Para os que ainda gostam desta cidade a data do foral afonsino(D. Afonso III) é de 16 de fevereiro de I254. E que tal dar publicidade a esta verdadeira efeméride?

A publicidade está feita. Quanto às comemorações, certamente que teremos que aguardar pelo aniversário da entrega do segundo foral (D. Dinis – 1291).

Share

ENCONTRO DE BLOGS

29 de Outubro de 2004

Estão confirmadas as presenças de Paulo Querido e Luís Ene, autores do livro BLOGS.

Share

ACERTAR RELÓGIO

29 de Outubro de 2004

Dia 31 (noite de Sábado para Domingo)

Fim do horário de verão. À 01:00, atrasam-se os relógios uma hora.
O melhor mesmo é atrasar logo no Sábado quando se deitar (se for para a cama antes da 1:00).
Há quem diga que se dorme mais uma hora. Pura ilusão! Depois logo me contam…

Share

Lua Cheia

29 de Outubro de 2004


28.10.2004

… porque ela tem força para romper a cortina de nuvens espessas que teimam em querer escondê-la.

Share

Porque vi o eclipse…

28 de Outubro de 2004

Não sei se tiveram oportunidade de assistir esta madrugada ao eclipse lunar.
Muitos dirão que terá sido “mais um”, como tantos outros.
Talvez.
Para esses, aconselho que desistam de ler esta posta. A Lua provavelmente nada vos diz. É um satélite da Terra e disso não passará, dirão.
Porém, nós, os que acompanhamos a Lua, compreendemos os seus estados (fases) e temos a verdadeira noção do quanto ela é importante nas nossas vidas, para nós, dizia eu, este não terá sido mais um eclipse.
Atente-se no dia chuvoso, escuro e toldado que esteve.
E de repente, aí por essas 7 da tarde, o céu começou a ficar limpo, negro, sem nuvens, para dar espaço ao brilho de uma Lua que hoje, 28, se enche para nos oferecer a sua mais bela face.
Apesar das nuvens que teimaram em aparecer, a força da Lua rompeu aquela cortina, e deixou-nos contemplar a magia do seu efémero desaparecimento.
Foi-me possível sonhar. E transportar-me para o lado da Lua para observar o eclipse de Sol, com a Terra a desenhar no Universo uma coroa de fogo.
E descrevi este meu sonho a quem comigo compartilhou o eclipse da Lua.
São estes os sonhos só possíveis a quem acredita na força da Lua. E que olha para ela e vê mais que um satélite.
É preciso acreditar que os nossos sonhos são também uma extensão da realidade.
Por isso eu digo: deixem-me sonhar, pois assim sei que estou vivo e é essa certeza que me faz ter força para viver num sonho.
Para ti, que estiveste ao meu lado, sei que ao olhares o céu nesta noite, leste nele o poema que estás a escrever. Não esquecerei esse momento.

Share

Os meus leitores

28 de Outubro de 2004

O Praça da República é visitado diariamente por várias dezenas de leitores. A maior parte é, não duvido, de gente que, de uma forma ou doutra, me conhece. Ignoro as motivações que trazem as pessoas até esta Praça. Muito (muito mesmo) do que escrevo faz parte desse deleite que é a escrita. Tal como se diz no subtítulo deste blog, faço deste o meu espaço privilegiado para desabafar, quer o que me preocupa enquanto cidadão quer aquilo que me vai cá dentro. Não duvidem: o que para aqui vou deixando é o eco de mim próprio.
Dessas dezenas de leitores, alguns gostam de me comentar e, seria hipócrita se o negasse, gosto de ser comentado. É sinal que os meus escritos provocam algum tipo de reacção a quem me lê.
Destes meus comentadores quero hoje destacar um, principalmente pela criatividade dos seus comentários, eles próprios verdadeiras peças de bem escrever.
Assina como charlie e os seus comentários são uma reinterpretação, a maior parte das vezes em forma de poesia, daquilo que escrevi. Já trocamos alguns e-mails, disse conhecer-me e é, sem dúvidas, um dos meus leitores mais atentos. Tenho pena de o charlie não ter o seu blog, pois a forma como escreve merece ser lida e tenho receio que os seus escritos se percam nas caixas de comentários. Mas talvez seja assim mesmo que o charlie queira. Que seja eu a lê-lo. Não sei quem é charlie e isso para mim não é importante. Só quero deixar-lhe aqui o meu reconhecimento e um muito obrigado.
E termino com uma frase do charlie, sobre a existência ou não de uma blogosfera alentejana:
“Há de facto uma blogosfera Alentejana. O Alentejo é do tamanho do Mundo…”
Obrigado, charlie!

Share