Arquivo de Agosto de 2004

SÁBADO

22 de Agosto de 2004

Há dias inesquecíveis. Mágicos. Que se elevam da normalidade. Que afastam a vulgaridade.
E se as noites completarem a magia dos dias, será motivo para rogar mais, muito mais!
O concerto dos Fingertips, em Serpa (cresce, cresce cada vez mais), foi a cobertura do bolo. Inesquecível por tudo. Os Fingertips tocam bem. O Zé escreve e canta de forma deslumbrante. Esta banda merecia ter nascido num País que reconhecesse a sua qualidade. Assim, limita-se a ver o Quim Barreiros à sua frente nos Tops. Exporte-se Fingertips (alguém sabe exportar o que temos de qualidade?).
Depois…. depois foi a apetecida cereja.
Até a confusão do Bar das Piscinas foi um tónico. Sim, água tónica foi demasiada. Mas nem os cromos que por ali abundavam evitaram que a noite fosse mágica. Foi!
Tá-se bem!

Share

LUA CHEIA E BOOM FESTIVAL

21 de Agosto de 2004

Sabemos que a Lua Cheia nos traz uma magia especial.
Bianualmente, para os lados de Idanha-a-Nova, a Lua Cheia de Agosto é comemorada de uma forma especial.
É o Boom Festival. Sem dúvidas o evento estival mais relevante. Ou não fosse toda aquela gente ser abraçada pela luz do planeta da Terra.
Vejam aqui e aqui o que é o Boom Festival.

Share

VIDAS DIFíCEIS

21 de Agosto de 2004

Ou nem por isso.
Dando uma vista de olhos aos apontadores que passaram ontem pela Praça, verifico que há um mundo estranho que nos rodeia, que sabemos que existe, mas ao qual fechamos os olhos.
Gentes sensíveis: este post não é para vocês. Mudem de canal.
Aí vai:

AMIGOS SIM…NAMORADOS TALVEZ…INIMIGOS NÃO…

Ola,sou a Sandra tenho 22 anos,estudante universitária e procuro amizades masculinas dos 20 aos 40 anos que me ajudem ..com sigilio..,moro durante toda a semana num quarto alugado a meias com uma outra amiga,só vou à terra ao fim de semana, passo por algumas dificuldades! Se me quiserem ligar faz um carregamento para o meu telemovel na caixa multibanco em pagamentos de serviços:
entidade-XXXX
referencia-XXXX
montante-4,99

Share

BLOGAR

20 de Agosto de 2004

Hoje, em conversa de mesa do café, alguém dizia, ostentando conhecimentos de cátedra, que a

Share

69

20 de Agosto de 2004

A Aliciante anuncia um 69. Vão ver. E deixem a vossa opinião (se ainda houver espaço na caixa de comentários, pois aquilo está ao rubro).

Share

CURIOSIDADES

20 de Agosto de 2004

O Incomensurável está a fazer uma inquérito à nação.
A pergunta é:
“O que é que o homem mais gostaria de recuperar dos seus tempos de liceu?”
Os resultados obtidos até agora são muito curiosos.

– A mais pequena percentagem dos inquiridos não quer saber do corpo que tinha nos anos dourados da adolescência. A vaidade surgiu-lhe certamente anos depois. Por isso é que os centros de fitness estão inundados de ex-liceais;

Adiante!

– A seguir, em penúltimo lugar, os portugueses gostariam de recuperar a antiga namorada. Não tenho dúvidas: a grande maioria casou com a namorada que teve nos tempos de liceu. Por isso não desejam poder recuperá-la. Há outra interpretação: as namoradas multiplicavam-se e não há lugar ao singular. Se lá estivesse escrito “uma das antigas gajas que andei a *****”, certamente que a resposta seria outra.

Continuemos.

– Em segundo lugar, e aqui começam as minhas dúvidas, o pessoal diz que gostaria de recuperar a Liberdade. Este povo deve estar louco. Mas que liberdade tínhamos nós no Liceu? Que eu saiba, só a de ser irresponsáveis! De resto, onde estava o carro, o computador, o telemóvel e essa maravilha que são os sms, que nos dão a liberdade de ter o mundo na mão só com um toque de polegar? Sinceramente! Já se esqueceram das horas marcadas para regressar a casa? Das “quecas” dadas à pressa em vãos de escada? Não me venham com tretas….

Por fim. Um espanto.

– O povo perdeu o cabelo. Ou o feitio que ele tinha. Vá-se lá perceber as razões que esta gente tem para ter saudades dos cabelinhos apaneleirados dos tempos de liceu. As melenas, as franjas esquisitas, os despenteados de quem se acabou de levantar, o corte de cabelo pago pelo pai, com a indicação de “corte aqui e aqui”. É isto que gostariam de recuperar? Definitivamente: ninguém chegará um dia a compreender este povo.

Cá para mim, não me importava de recuperar a inocência do meu olhar de adolescente!

Share

REACçÕES

20 de Agosto de 2004

Ouvi há pouco as reacções das diversas forças políticas locais à continuação de JPR como Governador Civil do Distrito de Beja (não ouvi o dirigente do CDS).
Destaco as declarações de:

Amilcar Mourão – dirigente distrital do PSD. Pela sua falta de entusiasmo, percebe-se que esta continuidade não é a que melhor serve os seus intentos. AM remeteu-se, durante todo este processo, a um silêncio compremetedor. Seria de esperar, quando já se dava como quase certo que José Raúl dos Santos iria ocupar a cadeira de GC, que Amilcar M. viesse a terreiro dizer qualquer coisa. Não o fez. As razões? Nem a desculpa de umas eventuais férias o ilibam de ser conivente com a tentativa de trazer Ourique para Beja. Mau, muito mau mesmo!

Miguel Ramalho – dirigente local do PCP. Não aspira ao cargo de Governador Civil, mas percebe-se que a opção de continuidade não é do seu agrado. Desbobinou o discurso que tem gravado desde o dia em que se tornou militante. Não há nele a mais leve brisa de renovação. Deve adorar que o intitulem de ortodoxo. Não tem pergaminhos para isso. Acusando JPR de se “ter posto em bicos dos pés”, Miguel R. acabou por se agachar. Ele é um cromo. Já não há pachorra!

Share

AFINAL ERA BOATO

20 de Agosto de 2004

Que João Paulo Ramôa seria substituído no cargo de Governador Civil.
Mantém-se no cargo, a dar crédito ao comunicado do Conselho de Ministros de 19 de Agosto, que se transcreve na parte que interessa:
O Conselho de Ministros deliberou ainda, por proposta do Ministro da Administração Interna, manifestar a sua confiança em todos os Governadores Civis actualmente em funções.“.

Se foi boato, quem o pôs a circular?

Não, não deve ter sido boato.
Com a apetência que determinado autarca tem por um lugar ao Sol, não me espanta que o referido tenha sonhado (e pressionado?) com este cargo.
Certamente que terá direito sempre a um posto solarengo. O Algarve fica ali tão perto….

(esta foi uma efémera incursão do Praça no campo da má língua).

Share

PARA TI!

19 de Agosto de 2004

ONDAS

Que nenhuma estrela queime o teu perfil
Que nenhum deus se lembre do teu nome
Que nem o vento passe por onde tu passas.

Para ti eu criarei um dia puro
Livre como o vento e repetido
Como o florir das ondas ordenadas.

Sophia de Mello Breyner Andersen

Share

NOCTURNA

19 de Agosto de 2004

“Quando começamos a falar do futuro, sinto uma imensa saudade do passado”.

Share

Célia -36-

18 de Agosto de 2004

Pediu-me para que, numa deslocação à capital, lhe sugerisse um local para uma conversa.
“Preciso de ti. Preciso de estar contigo”.
Entrámos no café, um igual a tantos outros, para tentarmos perceber o que se nos tinha passado. Sentámo-nos frente a frente. Queríamos que aquele lugar fosse só nosso e que nenhum de nós desviasse o olhar um do outro.
Tarefa nada fácil.
Logo ao entrar pareceu-me ouvir um silêncio sussurrante. Deveria estar enganado. Naquele local ninguém me conhecia e Célia seria cara nova por ali. Ou até talvez por isso. Estaríamos a ser intrusos?
Que gente estaria interessada em nós?
Numa mesa um jovem lia com ar sôfrego um livro do José Eduardo Agualusa. Sim, era o “A substância do amor”. Recordei alguns dos contos que ali se misturavam com crónicas. Assaltou-me uma imensa curiosidade em saber que conto estaria aquele jovem a ler. Lembro-me de ter lido aquela coisa terrível de que “o amor é apenas o princípio do ódio, o amor é uma vertigem”, mas a sua face mostrava um sorriso apaixonante. Não podia ser aquele conto. Talvez fosse aquela linda história de “no Rossio, à espera de um táxi, quando o telefone tocou numa cabine ao lado” e ele atendeu. Ah, que linda história essa em que “havia muito Sol do outro lado”. Esbocei um sorriso.
Célia acordou-me destes pensamentos, desafiou-me um olhar terno e rasgou-me com um “João, como é que eu posso devolver-te o teu sorriso?”.
A resposta teria sido sem protocolos, não fosse a chegada dos cafés que nem me lembrava de ter pedido.

Share

BLOG NOCTURNO

18 de Agosto de 2004

Chegou ao mundo da blogosfera.
Diz-se Nocturno e escreve o que vê. Mas principalmente o que sente.
O Praça dá as boas vindas e os desejos costumeiros: longa vida e muita e boa escrita.

Share