Arquivo de Agosto de 2004

MÁGICA

31 de Agosto de 2004

Esta magnífica imagem foi registada pelo meu companheiro de lides fotográficas Jannis G. (Grécia), que gentilmente a cedeu para ser publicada aqui na Praça.
Para quem gosta de boa fotografia, veja aqui a galeria do Jannis.

Share

A ALEMANHA E HITLER

31 de Agosto de 2004

O filme só será apresentado publicamente no dia 14 de Setembro, em Toronto.
Mas o tema já começou a despertar o interesse dos media. O “Financial Times” e a “Times” vão lançar o debate. O “Daily Telegraph” prepara-se para um grande artigo.
O tema, ressuscitado pelo filme “Der Untergang” (O Ocaso), de Bernd Eichinger, que relata as últimas horas do ditador, é ainda tabú na Alemanha. No entanto, segundo opinião dos comentadores, a película poderá servir de psico-terapia e “libertar” as gerações alemãs do sentimento de culpa. Outras opiniões apontam para o facto de esta terapia poder despertar os “revisionistas” e fazer renascer os movimentos germânicos pró-nazis.
Vamos aguardar pela chegada do filme.
Mas o debate já começou. Pelo menos nas ilhas britânicas (o que é sintomático).

fonte: Frankfurter AZ

Share

PROTAGONISMO

31 de Agosto de 2004

A vontade de ter o seu momento de glória e de ver o seu nome nos OCS, levaram-na a dizer isto:

os adolescentes vivem uma liberdade desmedida, passando os dias sozinhos e saindo à noite até altas horas da madrugada. Podem ser considerados muito ‘apelativos’ nas suas indumentárias, pela descontracção com que actuam, pelo bronze e penteados que exibem, por indivíduos viciosos e podem ser considerados presas fáceis porque normalmente têm posses insuficientes para as solicitações da sociedade de consumo em que se integram e que os seduz“.

Quem é que disse isto?
A notícia.

Share

SONHO MEU

31 de Agosto de 2004

Nasceu ontem. E começou logo a sonhar. O que é bonito.
Tem lugar marcado na Praça.
Chama-se SONHO MEU.
Bem vindo e… bons sonhos!

Share

NOCTURNA

31 de Agosto de 2004

“Tenho a audácia de olhar para uma folha de papel em branco.
E deixar que ela assim se mantenha.

É a audácia do silêncio.”

Share

Célia -32-

30 de Agosto de 2004

Célia estaria, por ocasião do final do mês passado, a principiar uma caminhada de que ainda não se tinha dado conta. Os quilómetros percorridos para estar comigo, as viagens rápidas que fazia a partir da capital, às horas mais estranhas e que se sucediam a um ritmo cada vez maior, faziam com que ela se sentisse a viver entre um sonho e o fio da navalha.
Os riscos que corria eram calculados e dizia-me ter tudo sob controlo.
Para essa noite, Célia havia feito um desafio, no mínimo encantador.
Gostaria de estar comigo, mas de uma forma diferente.
Sabendo a atracção que tenho pelas noites de luar, desafiou-me para um encontro que “pudesse ser abraçado” pela intensidade de uma Lua Cheia.
Será uma espécie de rave a dois, gracejei-lhe, perfeitamente rendido à sua ideia. Combinámos que não entraria na cidade.
Quando nos abraçámos, senti que Célia tremia. Olhei-a. Tentou disfarçar com um “comprei este vestido a pensar em ti”.
A música que tocava no leitor do meu carro havia sido previamente combinada. Sabíamos em que momento não resistiríamos ao impulso do nosso fervor.
A magia da Lua, aquela luz profunda, colou-se-nos ao corpo. Sentíamos que nada à volta existia. Quisemos que aquele momento fosse único. Como se fosse o último.
Com uma ternura que lhe é pouco habitual, despediu-se de mim. Dei-lhe um pedaço de papel. Para ler em casa.

Não sei que razões me levaram a não lhe dizer ali, naquele lugar, que “a tua presença tem o efeito da maresia sob o olhar fascinante de uma Lua que sorri, pois na sua face oculta alguém diz Amo-te”.

(Célia 32 corresponde ao desafio lançado no Aliciante para que hoje, noite de luz intensa, se falasse da Lua. Nenhum dos leitores se apercebeu que a numeração de Célia havia saltado de 31 para 33. Está reposta a sequência numérica e temporal)

Share

FINGERTIPS

29 de Agosto de 2004

Serpa.21/8/2004


foto:João Espinho

Share

ACIDENTE

29 de Agosto de 2004

Leia aqui a notícia sobre o acidente ocorrido esta manhã junto a Beja.

Share

LOBISOMEM – LENDA

29 de Agosto de 2004

Está próxima a noite de Lua Cheia (2ªfeira).
Porque à roda das noites de luar existem vários mitos, achei interessante deixar aqui uma das lendas de Beja:

“Este Mito passou-se em Beja há muitos anos. Um rapaz, que era lobisomem, saía de casa por volta da meia noite, para se ir encontrar com outros lobisomens e com bruxas numa encruzilhada.
Daí saíram juntos e iam para o campo onde se despiam e dançavam em roda. Numa noite, quando ele se transformava, uma pessoa da sua família viu-o e apoderou-se das roupas para as queimar.
Se o conseguisse fazer, poderia acabar com a sina do lobisomem ao seu familiar. O desvio da roupa foi feito com cuidado pois, se o lobisomem o tivesse presenciado, poderia correr atrás da pessoa e matá-la.
O familiar do lobisomem levou as roupas para um casão, para aí as queimar, tendo tido o cuidado de fechar bem o portão do casão, onde fez uma fogueira.
Logo que começou a queimar as roupas, começaram a ouvir-se grandes grunhidos e fortes pancadas no portão.
Embora com medo, pois as pancadas no portão eram cada vez mais fortes, o familiar do lobisomem continuou a queimar as roupas.
Com receio, ficou no casão até de manhã. Ao amanhecer, abriu o portão. Lá estava o rapaz estendido, nú, como uma pessoa inocente. O fadário de lobisomem estava quebrado. ”

in Portal Mitos e Lendas

Share

Insónia

28 de Agosto de 2004

Na hora de insónia
Tenho o céu por companhia.
Que hora é esta
Em que a Lua se esconde
Para além das nuvens?

Dispo-me
E nu entro nessa orgia
Que é fazer poesia
A olhar os astros.

Na hora do êxtase
Digo-lhe as palavras
Com que ela me abraça
E as nuvens desaparecem.

Bem vinda insónia
Que me mantém os olhos abertos
Para que não se perca
Um só segundo desta visão.

Sim, a insónia é um sonho
Que dasagua na alma
Como a nossa paixão
Na alvura dos lençóis.

De paixão e amor
Falam os poetas.
De sonhos e insónias
Falo eu agora.

Que a Lua regressou.
E com ela o sonho.

Share

PICTURE OF MY SOUL

28 de Agosto de 2004

Depois da noite de ontem, só mesmo estas asas.
São tuas!
(para quando estiveres a ouvir “picture of my own”. vale?)


foto: João Espinho

Share

ENIGMA -21-

27 de Agosto de 2004

“Acordei com a sensação de ser um para-brisas. Afinal era o mosquito”.
Vá-se lá saber o porquê deste enigma.

Share