Arquivo de Julho de 2004

FUGIR DO ALERTA

24 de Julho de 2004

RUMO AO SUL. Rumo ao mar. Ao encontro da paixão.
Fujo do alerta.

Até já!

Share

POETA COM BLOG?

23 de Julho de 2004

Manuel Alegre vai ter um blog?
Vejam aqui.

Share

“FAZ-ME UM BLOG”

23 de Julho de 2004

João, faz-me um blog!”. Ele tentou explicar-lhe sobre os problemas de infertilidade que o traziam atormentado e em tratamentos.
“Mas eu não estou a pedir-te para me fazeres um filho”.
E o João teve que explicar que um blog é como um filho. Tem que ser alimentado, acarinhado, instruído, tem que aprender a andar, enfim, um blog é mesmo um filho.
Ela compreendeu. Passado um ano disse-lhe: “João, faz-me outro blog!”

Share

CRÓNICA RÁDIO PAX

23 de Julho de 2004

Ausente durante 2 semanas deste espaço de opinião aqui na Rádio Pax, volto hoje para DOIS muito breves apontamentos:

1º – Viver em Beja está a tornar-se um martírio. Não nos bastavam já essas obras POLIS, mais as suas inestéticas consequências, agora estamos sujeitos a constantes cortes no abastecimento de água. Num dia desta semana, mais uma vez, as torneiras calaram-se logo pelas 7 da manhã para só voltarem a desempenhar as funções para que foram criadas quando o Sol se estava a pôr. Obviamente que não é a Empresa responsável pela gestão das águas municipalizadas que manda cortar a água a seu belo prazer. Mas a EMAS poderia sair do casulo para onde se remete e vir a público revelar o estado em que se encontram as condutas de água, explicar o porquê destes constantes cortes no abastecimento e falar-nos da qualidade da água castanha que diariamente sai das nossas torneiras.
A EMAS prefere fazer de conta que tudo está bem e limita-se a, mensalmente, nos debitar a factura de consumo.
Os bejenses vão ficando fartos deste mau serviço municipalizado, não admirando pois que venham a aderir a um projecto de privatização das águas. Veremos.

2º O Partido Socialista é uma caixinha de surpresas. Vencedor claro das últimas eleições para o Parlamento Europeu – (foi há pouco mais de 1 mês, lembram-se?), logo na noite do rescaldo eleitoral o seu líder começou a dar tiros nos pés ao anunciar a sua recandidatura ao cargo de secretário-geral. Obviamente que, no dia seguinte, as oposições internas se vieram colocar na linha de partida, não deixando Ferro Rodrigues saborear a vitória. Ferro Rodrigues que, aproveitando a boleia de uma decisão Presidencial, achou por bem abandonar o cargo, deixando o caminho livre aos seus opositores. Desde a D. Constança, que diz que vem à festança mas afinal não vem, passando pelo mediático Sócrates, todos no PS aspiraram ou aspiram a ser primeiro-ministro. Agora, Manuel Alegre também deseja chegar à liderança da Oposição. Desejo ardentemente que seja este a ganhar. A esquerda ficaria muito mais bem servida, pois ao “pateta alegre“* Louça, juntar-se-ia o poeta alegre Manuel, o que faria a alegria dos portugueses que aderiram à política folclore.

* obrigado JCD pela expressão.

Share

Célia -28-

22 de Julho de 2004

Célia anda triste. Depois do seu regresso definitivo de Londres, onde deixou e largou o chinês e uma estabilidade pacientemente construída, instalou-se na capital para, diz ela, “tenho mais por onde escolher”. E escolheu. Não sei se foi logo na avenida do aeroporto, esse lugar mítico dos que regressam à pátria, mas não demorou a dizer-me que tinha um tecto confortável e uma comodidade de que ela estava a precisar.
Versátil como a conheço, tenho estado à espera que me venha relatar o enjoo de uma ligação eterna, o tédio da rotina, a incapacidade para ser fiel.
Foi com um certo pasmo que a ouvi dizer que estava apaixonada. Pensei que seria do homem da avenida com sofás de marca. “Estás louco?”, não percebi bem porquê nem ela me deixou perguntar. “Vejo-o nos intervalos das viagens, e foi entre intervalos que conheci alguém de quem estou loucamente apaixonada”.
Isso passa-te, avancei logo, não fosse ela pensar que eu ignorava o seu temperamento.
“Não, João! Agora é diferente. Não te sei explicar”.
Não me venhas dizer que, de um dia para o outro, descobriste a tua alma gémea.
“Não sei se é alma gémea. Chama-lhe o que quiseres. Sei que é alguém que já amava antes mesmo de conhecer. A quem entreguei o meu coração, que ele preencheu de uma forma tão terna e tão doce que não tenho dúvidas que é com ele que quero acabar os meus dias, a desfrutar cada minuto”.
Nunca tinha visto Célia tão apaixonada. Seria a mesma Célia que eu conhecera, distante, despregada?
“Mas estou triste.” Ele não te corresponde? Só te quer para inflamar o corpo? Deseja-te somente para a volúpia?
“Não, não é isso. É um amor que corrói. É demasiado angustiante não o ter sempre perto de mim. Tenho uma enorme sede de viver as coisas com ele”.
Um nó encravou-se-me na garganta. Fui ver as mensagens em arquivo.
Como foi possível não ter percebido logo quem é a nova paixão de Célia…?!

Share

THE LAMIA

21 de Julho de 2004

Ao arrumar a casa decidi-me pelo “The Lamb Lies down on Broadway” como companhia.
Espantei-me com a minha memória. Não me escapou uma sílaba. Nem tão pouco a recordação da tentativa, enquanto finalista do liceu, de encenar algumas das faixas.
Como se fosse hoje, relembro a encenação disto:

“With their tongues, they test, taste and judge all that is mine.
They move in a series of caresses.
They glide up and down my spine”

A peça não chegou a ser representada em público. Mas marcou quem a viveu.
Será que eu consigo explicar isto a alguém?

Share

DE MERDA!

21 de Julho de 2004

É como qualifico o serviço prestado por quem gere o abastecimento de água à cidade.
Pela milésima vez, a água sai das torneiras com um tom acastanhado, térreo.
Deve ser qualidade em excesso.
Não tem força para arrancar o esquentador. Que se lixe! Vai mesmo a frio.
A meio do duche: PLOF! Acabou-se. Nem pinga, nem uma gotinha, para ajudar a tirar o gel. Entram em funcionamento os garrafões armazenados.
Não há já muitos adjectivos para qualificar o serviço público de águas, mas não estou muito longe da verdade se disser que a EMAS presta um serviço DE MERDA!
E não há quem os ponha a fazer aquilo que devem?

Share

CÉLIA -27-

20 de Julho de 2004

“De que lado da cama dormes?”. Achei aquilo um perfeito disparate. Áquela hora tardia, uma mensagem sem conteúdo, sem sentido.
Não tinha disponibilidade para lhe contar como se ocupa todo o leito. Quando já nada nos impede de ser dono daquele território. Que aquele espaço só é invadido quando apetece que alguém se transforme em invasor.
“Estás a demorar a resposta”. Incomodado, gritei-lhe em maiúsculas que os livros já ocupam ambas as mesas. Que aquela não tinha resposta.
“Que pena a tua cama só ter um lado”! Silenciei o telefone, desliguei a luz e virei-me para o lado. Não consegui dormir. Percebi então que não consigo sonhar nos dois lados da cama.

Share

ARRUMAR A CASA

20 de Julho de 2004

A COLUNA da direita desta Praça vai sofrer algumas alterações.
Há gente que desaparece sem avisar.
Não sei se o Portas de Mértola fugiu ou meteu férias sem vencimento. O Alentejão foi a Vendas Novas no dia 18 de maio e nunca mais voltou.

Share

“ADIAFA” NA TV

20 de Julho de 2004

O Grupo ADIAFA vai estar na TV.

Tome nota:

Hoje, 3ª feira – SIC, às 11H30 e às 12H30 (programa SIC 10horas).

4ª feira – TVI – no programa “Olá Portugal”, a partir das 14H00.

5ª feira – SIC – a partir das 15H00, no programa “Às duas por três”.

Vamos certamente ouvir alguns temas do seu mais recente trabalho “TÁ O BALH

Share

ENIGMA -12-

20 de Julho de 2004

Não estarei a ficar subitamente fascinado pela paisagem que se me oferece? Serão, de facto, reais estas imagens?
O caminho é sinuoso, cheio de dificuldades. Algumas inesperadas, muitas previstas. Todas elas dolorosas. Não sei como amortecer tanto solavanco.
Procuro mudar de rumo ou continuo neste trilho? E se daqui a pouco já for tarde para mudar de rumo?
Não estou com vontade de equacionar estes enigmas.

Share

O JARDIM TRANSFORMADO

19 de Julho de 2004

A PEDIDO DE VÁRIOS leitores, aqui fica uma imagem do Jardim do Bacalhau após a intervenção POLIs.


foto: João Espinho

Share