Arquivo de Julho de 2003

referência

30 de Julho de 2003

Mais uma referência a este blog. Agora foi feita por um amigo de Beja.
E vamos começar a pensar nessa patuscada….

Share

A NOSSA PRAçA

28 de Julho de 2003

Olá!
A nossa Praça é uma constante dor de cabeça. Se os moradores e comerciantes (com a restauração incluída) da zona deitam a mão à cabeça, em sinal de desespero, agora também os “fazedores da coisa” (leia-se “os projectistas”) andam às aranhas com os calhaus que os romanos por cá deixaram. Tanto assim é que, um dos projectos previstos para aquela área, e que recebeu o aplauso de toda a gente – estou a falar da renovação da rede de águas pluviais – vai ter que esperar pelo fim do século para que efectivamente se verifique. E digo fim do século, pois não passará pela cabeça de ninguém nas próximas décadas fazer uma única obra para aqueles lados, sob pena de ver as gentes daquele local fazer uma verdadeira revolução.
Deixem-me contar-vos uma coisa: vivi durante 1 ano na cidade alemã que foi considerada o maior estaleiro da Europa: Berlim. Ali procedeu-se ao reconstruir de uma cidade nova, pois a que os “camaradas” deixaram de herança, ninguém no 3º Mundo a queria. Sei do que estou a falar, pois vi as condições em que os alemães de Leste viviam na sua capital. Mas, dizia eu, naquele imenso estaleiro havia projectos arrojados, aproveitando todo o legado histórico da cidade. Em pouco menos de 10 anos conseguiu-se um feito que está à vista de todos. Berlim é hoje uma metrópole moderna e dentro dos seus muros (não estou a falar do Muro) convivem alegremente edifícios projectados pelos mais vanguardistas arquitectos com monumentos seculares e legados arqueológicos com mais de um milénio. Tudo aquilo tem sido feito com base em projectos bem estudados e elaborados.
Aqui em Beja, onde sempre ouvi dizer haver vestígios de um teatro romano, precisamente sob a Praça da República, tudo é feito em cima do joelho. Se é verdade que o centro da cidade necessita de uma “reconversão urbana”, também é verdade que expor publicamente o legado histórico dos povos que por aqui passaram seria uma forma de incremento do turismo cultural, aquele que mais vai interessando às novas gerações.
A Pax-Julia ficará mais uma vez adiada. Em nome de uma reconversão, que já se percebeu ser feita atabalhoadamente.
Se tiver interesse na notícia, leia o que o Público escreveu.

Share

(ex)CITAçÃO

28 de Julho de 2003

E aqui vai o que “ao sul” diz de nós:

“SURPRESA!

Vinha eu de um fim de semana alucinante com praia, jantarada e tudo o que tive direito e já só pensava no post seguinte – isto é viciante!
Contudo tinha uma supresa no e-mail do ao_sul…outro blog de Beja! Estamos no mapa!
Já adivinho um encontro de blogs de Beja e convidados, por exemplo: o anarca, o epicurtas, o formiga…é só começar a pensar nisso! Para a paródia a malta está sempre disposta, né?

# posted by ao_sul @ 7:48 PM”

Share

BLOG DE BEJA

27 de Julho de 2003

E aqui por Beja há mais quem se dedique ao mundo da blogosfera. Foi com muito prazer que vi o weblog “ao sul“. Vamos ficar atentos ao que por ali se diz.
E Beja anda aí…….

Share

UMA CIDADE….

26 de Julho de 2003

Depois de umas retemperadoras férias algarvias, onde consegui estar longe e perto das multidões, regressei à nossa tão querida cidade. E cheguei ansioso por ver como se estava a embelezar a nossa Praça da República.
Como devem calcular: bué de desilusão.
Aquele estaleiro vai aumentando o seu volume. E obra visível? Népias. Rien de rien!
Parece que o Baioa e os seus arqueólogos estão muito ofendidos com a falta de atenção que os POLI’s prestam ao património enterrado. Sinceramente, ó Baioa! Então estavas à espera do quê? Que agora se preocupassem com os “calhaus” dos romanos? Nã! Aquela rapaziada é mais do estilo dinossáurico. Se ali houvesse patadas desses animais que só existem no nosso imaginário, ou alguns rabiscos rupestres, aí, alto lá e para o baile! O dinossauro-mor da Praça mandava logo suspender as obras. E se fosse qualquer coisa ligada ao mundo islâmico, então nem te conto. Avançava a fauna de mértola e lá iam à procura dos restos da cultura árabe que, dizem eles, muito nos influenciou. Assim com umas porras romanas, ninguém vai prestar atenção à indignação dos Defensores do Património. Daqui a 100 anos, quando estiver concluído o projecto POLIS XXI-a, já ninguém se lembra de como era a Praça, quem é que por lá andou antes da mesma se chamar da República, enfim, estará escrito nalgum manual de “como ocultar o património”, que por ali passaram romanos e lusitanos (alguns alentejanos).
Até logo e…não encalhem nos calhaus que por aí andam à solta!!!!

Share